Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A luta feroz de Artur Almeida

24 de Fevereiro, 2020
O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, já deixou claro, para quem o quis ouvir, que vai mesmo se recandidatar ao segundo mandato, como presidente de direcção da Federação Angolana de Futebol.
As eleições, para o quadriénio 2021/2024, provavelmente só deverão acontecer depois de Junho ou Julho.
Até lá, eu gostaria de saber se este nosso concidadão cumpriu com a maioria dos projectos que deu a ver quando há quatro anos assumiu o cargo que está a terminar.
Por exemplo, Artur Almeida prometeu trabalhar com o Governo e outros parceiros na obtenção de apoios necessários à recuperação, ampliação, melhoramento e conservação das instalações; aquisição de equipamentos desportivos, bem como de outros aspectos julgados úteis ao futebol nacional. Cumpriu ou não?
Na esteira das promessas sobrou a \"boa nova\" de ver construir pequenas quadras nos bairros para a prática do futebol 7 na vertente de formação. Hoje existe algum lugar no país onde tal \"obra\" tenha sido concretizada?
Para atenuar o sofrimento, garantiu um pacote de segurança social e seguro para os atletas. Quantos viram este sonho realizado?
Ficou o juramento de, no seu consulado, procurar , \"assediar\" e contratar \"lobbies\" para a participação activa da Federação Angolana de Futebol e demais personalidades do nosso \"association\" nos órgãos da Confederação Africana de Futebol e Federação Internacional de Futebol Associado. Hoje, temo-los, por acaso, aos montes nestas instituições?
No espaço de cinco anos, o país teria obra feita, segundo Artur Almeida: uma Academia Nacional de Futebol para que acções de formação fossem desenvolvidas nas vertentes de treino, arbitragem, medicina desportiva, gestão e administração desportiva. Falta um ano para cinco e, alicerces, para a oportuna só miragens.
Vou parafrasear aqui algo escrito na \"cartilha de campanha\" de Artur Almeida, ao que o mesmo na altura denominou de \"Futebol Único e Compartilhado por Todos\": a minha candidatura é fruto do incentivo e apoio de muitas entidades ligadas ao futebol, associações, potenciais patrocinadores e e pessoas singulares\".
Estas entidades se, na verdade, vêm sindicando o desempenho de Artur Almeida voltariam a colocar as \"impressões digitais\", votando para um segundo consulado de Artur Almeida á frente do futebol nacional?
Quatro anos atrás Artur Almeida também sublinhou num panfleto que integro na minha lista um rol de personalidades das mais diversas esferas da sociedade que não só têm o perfil adequado para os cargos (...), mas também partilham o mesmo sonho\" .
Em relação a esta suposta coesão e competência o que já passou, o que já aconteceu nas hostes da federação dispensa perguntas. Afinal, vice-presidentes de Artur Almeida \"abandonaram o barco\". Eles tê nomes e rostos e dificilmente subscreveriam essa segunda anunciada pretensão de Artur Almeida!
São muitas as \"contas\" que se podem pedir a Artur de Almeida e Silva, como a de, a certa altura, já com o mandato a correr, ter avisado que protagonizaria uma \"luta feroz\" contra a corrupção, em Angola, por ser até um fenómeno estrangulador que afecta o futebol doméstico, mas, também, à escala mundial.
Recordo, neste particular, que dissera isso ao jornal desportivo português Record: \"Em Angola temos alguns focos também, mas já começámos a trabalhar nesse aspecto. Nunca se vira até agora, no nosso país, tantos árbitros penalizados\".
Provavelmente insatisfeito com o tipo de penalizações, revelou, na altura, que eles, os árbitros, \"apanham três meses, seis meses de castigo\", e ajuntara que \"temos sido bastante duros quanto à este aspecto\", e ainda abriu o livro, sublinhando, na altura, que \"existem alguns casos que estão a ser tratados a nível do conselho de disciplina e do conselho jurisdicional\".
A fechar, tinha rematado que \"possivelmente, face à gravidade dos mesmos, podemos até tirar para sempre do futebol alguns\".
Tudo isto deixou claro em 2017. Estamos hoje em 2020, a meses de vermos cerrar cortinas sobre o primeiro consulado de Artur Almeida e, logo-logo, já diz que vai se recandidatar.
Pergunta-se: quantos agentes corruptos do futebol tirou para sempre? Portanto, é hora de, sobre Artur Almeida, ir-se conferindo as promessas que o vento (não) levou... António Félix

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »