Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A chave do sucesso no Desporto

28 de Outubro, 2017
A revitalização da vertente desportiva tem estado muito em voga nos últimos tempos.

Esta vontade foi expressa, nos últimos tempos, em duas ocasiões diferentes, pelo mais alto mandatário do País, o Presidente João Lourenço, que como grande conhecedor alertou e relançou as bases necessárias para levantar a génese do crescimento sustentável do desporto, vertente social que bem cuidada produz um efeito multiplicador salutar. Para sermos mais directos, mostrou a chave do sucesso.

Na verdade, tal como o próprio Presidente da República fez questão de sublinhar, agora, novamente aquando do discurso proferido no dia 16 de Outubro na Assembleia Nacional, sobre o Estado da Nação, e eu atrevo-me a citar: “Devemos iniciar já nos próximos meses uma séria aposta nas camadas jovens, com a identificação de futuros talentos para a prática desportiva (…)” Aqui está, no fundo, a chave que procuramos para abrir as portas do desenvolvimento e crescimento desportivo qualitativo.

O Presidente da República apontou os caminhos e fez de facto notar, que é na formação e particularmente nas camadas jovens, que se deve apostar amplamente para se começar da base, termos uma percepção ampla com perspicácia e eficácia construir um edifício sólido e sustentável.

A identificação de talentos desportivos faz-se no desporto escolar, nas escolas vocacionadas e ou no areal dos nossos musseques, onde todavia existe algum espaço para os “kandengues” se divertirem, jogar a seu “bell prazer”.

É aí, onde, os chamados olheiros descobrem os talentos, como ontem se fez em relação a Joaquim Diniz “Brinca N’areia”, Jacinto João, Chico Negrita, Cavungi, Benje, Chico Gordo, Laurindo, Rui Jordão, Ndunguidi, Maluka, Vata, Napoleão, Jesus, Santo António, Akwá, Mantorras, Gelson, Jean Jacques, Palmira Barbosa, Kaissara, entre outros, que pelo que sabemos, nasceram para o desporto, por essa mesma via.

Hoje, nos dias que correm, podem também nascer os verdadeiros talentos, capazes de assegurarem a continuidade do nosso desporto, e assumirem a ascendência nos patamares mais altos no continente e no mundo.

Aliás, no discurso que acima fizemos referência, o Presidente da República sobre este aspecto dizia, e eu torno a citar: “Estes talentos devem ser acompanhados e potenciados, de modo a que num tempo razoável, possamos atingir o pódium em competições de âmbito regional e continental”.

A formação de atletas, afigura-se uma tarefa ingente, premente, e urgente, porque assegura muitas nuances. Ou seja, várias áreas sociais saem a vencer. A saúde pelo menos, ganha um cidadão com menos preocupações patológicas. O país ganha um homem, um desportista e um quadro. Nisso, combate-se à ociosidade, o sedentarismo, os vícios pelo consumo excessivo do álcool e de drogas. O País ganha notoriedade, por força de uma representatividade mais consentânea, e a bandeira do nosso País seja hasteada em muitas paragens. Isso, ia significar mais atracção de turistas e por conseguinte, mais apetências de vários empresários em investirem no nosso País proporcionar o aumento de receitas. Como se pode notar, muitos sectores saem a ganhar. E, ganham por via do desporto.

Neste contexto, o desporto escolar ganha uma referência maior, se tivermos em conta que a sua dinamização provoca o necessário equilíbrio físico -mental das crianças e jovens, ao ponto de proporcionar grande capacidade de absorção do conhecimento.

Portanto, estão lançados os dados para que aposta seja séria e os caminhos para atingirmos os objectivos da massificação e formar talentos para o desporto de competição e profissional. Temos de saber de antemão, para isso, é necessário haver os necessários complementos.
A estimulação de formação de recursos humanos, ou seja, de técnicos qualificados para trabalhar nas faixas etárias mais baixas, e por outro lado, o cuidado que se deve ter na preservação de infra - estruturas ou estimular o surgimento de outras quadras multifuncionais, para que os três eixos se consigam acasalar e resultar daí, o que esperamos: Sucesso desportivo. Assim, achamos a chave que queremos.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »