Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A crnica de um campeo anunciado

15 de Julho, 2018
Tinha eu 20 anos, quando a França, no longínquo ano de 1998, ergueu o seu primeiro troféu de campeão do mundo. E hoje, duas décadas depois, vejo as mesmas emoções, mesmas multidões e as mesmas canções de adeptos nas ruas, como se estes 20 anos não tivessem passado.
O facto é que o sucesso celebrado pelos franceses, com o mesmo fervor ao evidenciado há duas décadas remete-me ao ambiente vivido por altura daquele Mundial de 1998, no salão do “Clube dos Franceses”, na Samba.
Recordo como hoje o cenário de festa que se criou no local, com franceses e angolanos a vibrarem com os golos de Zidane e a magia do futebol de Djorkaeff, Deschamps e Petit, numa geração de ouro que perfilavam igualmente Barthez; Thuram, Desailly, Blanc, Lebouef e Lizarazu, Karembeu, Petrick Vieira e tantos outros...
A história pode repetir-se. E desta vez com a maior das epopeias. No “clube dos franceses”, a esta altura já se prepara um “boda rijo”.
Os fogos de artifícios voltarão a ser jogados ao ar ou no meio da multidão, tão-logo o jogo encerrar e a fumaça espalhar-se-á pelos ares da vizinhança.
Como em 1998, os franceses espreitam a conquista do troféu como os principais favoritos, com uma ligeira diferença: o protagonista do virar desta nova página do futebol francês é Antoine Griezmann.
O camisola 7 dos Gauleses representa o principal “cérebro” de um conjunto recheado de qualidades. Hernandez; Kanté, Paul Pogba, Mbappé, Griezmann e Giroud são, apenas, mais alguns da vasta lista de fundamentais...
À semelhança do ano da conquista do primeiro título do Mundial, o futebol do conjunto francês continua a encher espaços no relvado e o seu ataque mantém o caudal ofensivo para correr em zonas nevrálgicas do terreno adversário.
A maioria dos prognósticos apontam para uma direcção: o da vitória francesa. Quer seja aqui, em Moscovo, em Luanda, na Samba, ou em outra parte do Mundo, poderá jorrar muito champanhe, em homenagem a França.
Paulo Caculo|Moscovo

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »