Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A descida do ASA "apaga" a histria

31 de Outubro, 2017
Nesta altura, para falar verdade, porquê... duvidar mais da capacidade do 1º de Agosto, graças a qual conquistou o título, se, agora, o que está na \"boca\" dos amantes do nosso futebol é a curiosidade de saberem se o ASA vai ou não cair mesmo de divisão? Confesso que, no meio do JGM, Progresso da Luanda Sul e Académica do Lobito, realisticamente, em termos materiais e financeiros prefiro o ASA.
O ASA, e eu já escrevi isto ontem, só está na corda bamba, preso por um fio, porque o 1º de Agosto, no receio de não esperar até ao fim, ganho-o, no domingo passado e empurrou mais os aviadores à zona do risco.É claro que são os jogos e as vitórias que dão os pontos e a classificação, mas, para mim, em termos práticos, repito, o ASA mesmo a soçobrar financeiramente fará melhor figura, mantendo-se no campeonato.
O mesmo não posso, obviamente, dizer do JGM do Huambo, Progresso da Lunda Sul e Académica do Lobito que ainda esta ano muitas vezes tiveram dirigentes a dizer aos jornalistas, e estes noticiarem, que desistiriam do prova por falta de dinheiro. Sempre o dinheiro!
Do Huambo, quem não se recorda; quem não ouviu... o queixume do de costume, vindo da parte do vice-presidente do JGM, António Caquinda, a ameaçar a desistência do clube, no campeonato e também da Taça de Angola?
Se foi apenas chantagem, artimanha ou ardil de pressão para o governo e empresariado locais apoiarem, isto não se explicar. Não faço a ideia de onde saíram depois os cerca de 40 milhões de kwanzas que o clube \"reclamava\" para se aguentar; se veio outra vez da algibeira do seu presidente, o empresário Jorge Mangrinha. Prefiro, portanto o ASA.
Com as calças nas mãos, sem dinheiro, está, igualmente, o Progresso da Lunda Sul. Aliás, o próprio presidente, António Jamba, foi visto e escutado sobre a intenção da equipa desistir por razões financeiras, porque nem sequer para os dez meses de salários e prémios de jogo. Um equipa assim deve permanecer no Girabola?
E a história é a mesma por banda da Académica do Lobito onde ecoou sempre a voz do seu presidente, Luís Borges, dando a conhecer os problemas financeiros que o clube enfrenta e que poderiam redundar na desistência do campeonato. Uma equipa como esta, vale a pena continuar na primeira divisão para, volta e meia, endividar-se com os treinadores, atletas e, por arrasto, apenas participar sem, no verdadeiro sentido da palavra, competir como \"manda a lei\"? Eu prefiro o ASA.
Tanto é verdade, tanto é real...que até direcção da Federação Angolano de Futebol fará já prometeu, nos próximos tempos, um licenciamento com condições a serem impostas aos clubes, visando evitar situações de desistência durante o campeonato da primeira divisão.
Por esta razão, desta tribuna, agora que o 1º de Agosto é campeão; agora que fez jogar o champanhe e espera, e que ainda pretende fazer o mesmo com a Taça de Angola, onde o Petro também está metido...prefiro que todos os cenários da última jornada do Girabola desemboquem na permanência do ASA. Isto porquê?
Porque o ASA tem patrocinadores oficiais que podem, da melhor forma, suportar financeiramente a sua equipa se houver melhor trabalho de sensibilização, ao contrário do JGM, Progresso da Lunda Sul e Académica do Lobito, que sobrevivem, digamos, mais da carolice, da filantropia, do bem-querer dos seus dirigentes.
Mas, enfim, viva mais uma vez o D´Agosto, viva também o Petro, e que sobreviva quem em campo provar ser melhor embora, repito, haja equipas financeiramente de rastos a lutarem para a permanência. O que, desde já, é mau para esse nosso futebol. Isto é mentira? António Felix

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »