Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A febre do futebol volta aos relvados

23 de Novembro, 2019
Depois da paragem verificada, devido aos compromissos da Selecção Nacional de futebol de honras, que nos dias 13 e 17 do mês em curso disputou a dupla jornada, que serviu de pontapé de saída para a corrida a Taça de África das Nações de 2021, nos Camarões, o Girabola Zap 2019/20 regressa neste fim-de-semana com disputa da 12ª jornada. É enfim, a febre do futebol, que volta aos vários relvados do país.
Digeridos que estão os dois desaires dos Palancas Negras no Grupo D da fase de apuramento ao Campeonato Africano das Nações (CAN) que acontece nos Camarões, primeiro em casa frente à Gâmbia, por 3-1; e depois diante do Gabão, em Franceville, por 2-1; as atenções dos amantes do rei-futebol estão agora viradas para esta ponta final do primeiro turno do campeonato. E adivinha-se uma disputa acirrada nesta fase.
É verdade, que o fecho do primeiro turno do Campeonato Nacional de futebol da I Divisão não define nada em termos de contas final da prova, mas ainda assim pode deixar claro alguns indícios do que venha ser a prestação desta ou daquele conjunto.À entrada desta 12ª ronda da maior prova do nosso “association” e quando vão restar ainda outras três para encerrar o primeiro turno, o 1º de Agosto e o Petro, os dois maiores emblemas da prova, assumem a dianteira.
Os militares do “Rio Seco”, que correm para o penta-campeonato, assumem a liderança com 27 pontos, portanto mais um que o rival do “Catetão”, que soube aproveitar da melhor maneiro o 80º dérbi do historial do nosso futebol entre ambos.
Antes do clássico dos clássicos, o 1º de Agosto assumia uma vantagem de quatro pontos, mas com a vitória de 2-0 no dérbi dos dérbi, que aconteceu precisamente na 11ª jornada, o Petro encostou-se bem ao arqui-rival e daí se antevê uma luta renhida entre ambos.
Porém, a discussão do título, como é natural, não se vai resumir a estes dois “colossos”. A Académica do Lobito, que faz uma época sensacional, a par do Recreativo do Libolo do Cuanza Sul, exerce alguma pressão sobre os arqui-rivais. Os lobitangas ocupam, nesta altura, a terceiro posto com 24 pontos, tantos quanto têm a turma de Calulo na quarta. Isso deixa antever, que ambos entram na refrega destes dois “colossos”, que juntos somam 28 títulos da maior prova do futebol nacional.Com quatro jornadas ainda por disputar nesta primeira volta da prova que nos últimos anos ganhou o cognome de Girabola Zap, é muito provável que o quadro sofra alguma alteração, mas ainda assim é ponto assente, que as quatro equipas do cordão da frente tudo farão para manter as suas posições. E para isso recomenda-se um grande engajamento.
Grosso modo, o quadro não poderá fugir a regra no meio da tabela e na zona movediça do campeonato, onde o 1º de Maio de Benguela e o Santa Rita de Cássia do Uíge, com seis pontos cada, têm o pior registo do pecúlio.
Nesse quesito há assinalar algum equilíbrio em termos pontuais, pois basta referir que entre o 5º classificado e 12º há uma diferença apenas de nove pontos, que facilmente pode ser superada. Nesta ordem, o Clube Desportivo da Huíla (CDH) é o quinto colocado com 19 pontos, seguido pelo Interclube (6º/15); Sporting de Cabinda (7º/14); FC Bravos dos Maquis do Moxico (8º/14); Williete de Benguela (9º/13); Cuando Cubango FC (10º/13) e Recreativo da Caála (11º/11).
Já nos lugares mais abaixo e acometidos com espectro da despromoção estão além dos já referenciados 1º de Maio e Santa Rita de Cássia, que ocupam o 15º e o 16º postos, a estreante formação do Ferrovia do Huambo e Progresso Associação do Sambizanga (PAS), que estão colocados no 13º e 14º postos da tabela de classificação geral, respectivamente. Por isso, resta-nos é esperar o que nos trará esta ponta final do primeiro turno da maior prova do futebol nacional. A ver vamos!!!... Sérgio V.Dias

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »