Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A fria dos adeptos e a vida de Bianchi

25 de Março, 2019
O afastamento, de forma amigável, do técnico hispano-brasileiro Beto Bianchi à frente da forte equipa do Petro de Luanda está a dar que falar, a ponto de agradar particularmente a alguns, sobretudo àquela gente da \"tribo do nosso futebol\", que não morre de amores por esta equipa tricolor, até gora a mais titulada do Girabola. Os do 1º de Agosto estão a liderar a chacota!
Beto Bianchi \"vai embora\" sem lograr título algum para a malta do Petro, mas não tem, quanto a mim, culpa alguma no cartório, porque há objectivos que atingiu. E, por esta razão,não podia já ser tido, na minha opinião, como um treinador fracassado!Neste 2019, os tricolores, além da Taça da Confederação, têm como objectivo conquistar o Girabola e a Taça de Angola. Ainda há(via) tempo para o treinador chegar a estes desideratos.
O director do Petro de Luanda - o antigo craque do clube, Renato Campos, - veio a terreiro, um dia antes do despedimento de Beto Bianchi, dizer de viva voz, que o clube concluiu os objectivos traçados para a competição africana.Significa dizer que Beto Bianchi, afinal, levou a equipa a bom porto nessa prova continental. \"Não foi um fracasso, tudo que fizemos fazia parte do nosso objectivo, a nossa equipa trabalhou de forma planificada\" justificou o dirigente.
Inclusive, o dirigente esmiuçou que, dos três objectivos para a época futebolística 2019, só restam o Girabola Zap e a Taça de Angola.Então, se a equipa saiu da Taça da Confederação com o objectivo atingido e, restando o \"Gira\" e a \"Taça\", só outro facto sério poderia ditar, antecipadamente, a despedida do treinador: a sua segurança pessoal.
E sobre isto, quando o director do Petro explicou, a este jornal, que há adeptos que pretendem, imediatamente, a cabeça do técnico Beto Bianchi, tendo apelado à calma dos mesmos, uma vez que o treinador tem sim comprido com as metas traçadas, não se imaginava que, afinal... o fundo da questão tinha ou tem a ver com as ameaças, directas e veladas, contra o treinador, dirigidas por alguns adeptos. Em boa verdade, com a fúria dos adeptos não se brinca. Afinal, a vida é só uma, de modo que, entre estas duas realidades ( fúria \"vs\" vida), a melhor solução é e só apenas uma: salvar a vida.
Não pode, por isso mesmo, qualquer adepto, quer seja do Petro, quer do 1º de Agosto, rir-se do sincero acordo amigável entre o treinador e a direcção do clube. E quando digo que com a fúria dos adeptos não se brinca, é porque tivemos já situações dramáticas no nosso campeonato. Só para recordar, pergunto: lembram-se ainda de a 11 de Agosto de 1993, quando o então
técnico do 1º de Agosto, Djalma Cavalcanti, saiu fortemente escoltado do estádio da Cidadela Desportiva, porque os adeptos da equipa militar o queriam linchar, pelo facto da ter perdido para o Progresso do Sambizanga, por 1-0? Nunca tinha acontecido, desde que ambas equipas passaram a jogar entre si em 1978.
Já se esqueceram, também, do dia 18 de Outubro de 2011, data em que Victor Bondarenko, então técnico principal do Kabuscorp, após uma sessão de treino realizada no estádio da Cidadela, em Luanda, foi lá agredido pelos adeptos enfurecidos do clube, devido à derrota, dias antes, com o Recreativo do Libolo, por 1-3?
Confesso e tenho para mim, que Bento Bianchi não é o pior treinador do Petro até hoje. Os adeptos deviam valorizar o seu trabalho. Podia ir até ao fim da época. E porquê? Porque, a meu ver, a direcção, conforme disse o director Renato Campos, quer até 2022 que a equipa vença uma competição africana e conquiste o Girabola Zap 2019.
Então...se chegar à fase de grupos foi meta atingida e o campeonato ainda não terminou...qual é a razão da fúria, se ainda restam três jogos em atraso, podendo superar o 1º de Agosto na tabela de classificação?...
Pelo menos, Bianchi já deu passos que superam a prestação do seu antecessor Alexandre Grasseli, este técnico que, até hoje, foi o culpado de uma das piores classificações, desde que o Petro começou, em 1981, a competir no escalão superior do futebol angolano, onde é o mais titulado com 15 campeonatos. Com aquele treinador, em 2014, ficou na oitava posição, com 38 pontos!
Beto Bianchi mereceria, assim, dos adeptos do Petro, outra \"chance\". Ele não é como outro treinador do Petro de Luanda - Miroslav Maksimovic - que um dia tinha lançado um desafio à direcção petrolífera, dizendo que a equipa atingiria a marca de cem golos em 30 jornadas do campeonato, mas que, por fracasso, foi despedido quando restava-lhe aainda um ano de contrato.
Infelizmente, o futebol tem destas coisas. Beto Bianchi, por culpa e fúria dos adeptos, saiu em defesa da sua segurança; da sua vida, quando, vejam só, a direcção do Petro de Luanda tinha confirmado a sua continuidade até 2020 à frente da equipa.Qual é agora o treinador que se seguirá, para ter \"no papo\" o Girabola e a Taça de Angola? É do mercado doméstico? Virá de fora de portas? O coordenador apontado terá peito para tanto?...
De resto,o medo e, desde longo, a determinação de salvar a pele, não se restringe apenas a treinadores, como Beto Bianchi ou outros. Agentes como os árbitro não costumam escapar, como foi, certa vez com Vladmiro Diogo Sebastião, agredido um dia no estádio 1º de Maio, em Malange, pelos adeptos do Sport Clube local, após expulsão de um atleta ou ainda João Goma, que já sofreu actos de vandalismo praticados por adeptos do Petro de Luanda e do 1º de Agosto no estádio 11 de Novembro, durante o jogo da 30ª e última jornada do campeonato nacional de futebol da I divisão, Girabola2014.A fúria é perigosíssima! António Félix

Últimas Opinies

  • 22 de Abril, 2019

    Tem de haver dinheiro para servir os Palancas

    Na suculenta entrevista, que este jornal dá hoje à estampa, nas páginas seis e sete, Oliveira Gonçalves

    Ler mais »

  • 22 de Abril, 2019

    Cartas dos Leitores

    A selecção dos Camarões é extremamente forte do ponto de vista físico.

    Ler mais »

  • 22 de Abril, 2019

    Temos futebol

    Vai de vento em popa a nossa selecção de Sub-17, que na Tanzânia participa no Campeonato Africano do escalão.

    Ler mais »

  • 22 de Abril, 2019

    Glria para os poucos clubes

    No futebol não existem milagres. É uma lição tão antiga, quanto a existência da própria modalidade. 

    Ler mais »

  • 20 de Abril, 2019

    Qualificao vista

    A Selecção Nacional de futebol, de Sub-17, que participa no Campeonato Africano das Nações, que decorre na Tanzânia, tem hoje a missão espinhosa diante da selecção anfitriã, de jogar para a terceira e última jornada da fase de grupos.

    Ler mais »

Ver todas »