Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A sobrevivncia do futebol

11 de Março, 2019
O Atlético Sport Aviação (ASA) e o Progresso do Sambizanga são hoje os cartazes da crise financeira, que assola o futebol nacional. Por muitos anos têm sido as equipas das \"províncias\". Falta muito pouco para atingir os big tree.
Ou seja, 1ºde Agosto, Petro de Luanda e o Interclube. Talvez só por essa altura é que os senhores do futebol irão sentar, para colocar fim à gestão actual do futebol. Um modelo construído na base de uma economia que o País já abandonou em 1991.Muitos clubes nasceram da necessidade das empresas ou sectores afins, oferecerem aos seus trabalhadores recreação. Os capitalistas traduzem isso em responsabilidade social das empresas. Mas o futebol que se pratica há duas décadas, mais anos menos anos, deixou de ser de recreação, é profissional, e com potencial para gerar milhões.
Ou como se diz em Marketing, há um mercado à espera de consumir um produto com valor, de qualidade. Há pessoas dispostas em investir conhecimento, para virar da cabeça aos pés o actual quadro.
Falta, no entanto, outra parte com quem dialogar. Grande parte dos dirigentes aprenderam apenas a gerir o dinheiro alheio. Aquele que lhes é colocado em mãos pelas empresas ou instituições patrocinadoras. Talvez isso explica à falta de vontade, para modernizar o futebol e a sua gestão. Fazer dos clubes empresas com lucros. E cada vez mais, o País exporta dinheiro, por menor que seja.
Quando alguns adeptos compram camisolas de um clube estrangeiro por cem dólares ou mais, e não o fazem em relação aos clubes nacionais de que são adeptos, é um dinheiro que se desperdiça.. Este é um dos cem exemplos. Disso resulta uma conclusão. O futebol precisa de um plano marshal.
O futebol é um grande empregador. Gera milhares de empregos. É um sector que pode oferecer muitas receitas para os cofres do Estado.
Não se pode crer que só os outros é que podem.
O que eles fazem diferente é o profissionalismo. Há argumentos de que o futebol e a sua qualidade dependem do desenvolvimento do país. Em parte sim.
Mas temos igualmente fartos exemplos de o futebol ter se adiantado ou ser pretexto, para chamar infra-estruturas como hotéis, estradas, transportes públicos e outros. Não foi o futebol que suscitou o boom de hotéis que o País conheceu? Não foi o futebol que precipitou a conclusão da via expressa? Não foi o futebol que permitiu ao município da Catumbela beneficiar de um aeroporto? Podíamos mais. Portanto, se o futebol fizer a sua parte, pode trazer consigo outros investimento. De outro modo, a principal competição do futebol nacional um dia pode acabar com metade de equipas. É inexplicável que se adie a liga eternamente. É um entrave ao desenvolvimento da modalidade.Teixeira Cândido


Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »