Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A Taa do Mundo nossa!

08 de Novembro, 2018
A selecção nacional de futebol adaptado, realizou uma grande e histórica façanha, ao vencer o 14º campeonato do Mundo de futebol adaptado a jogadores com muletas, realizado na cidade de Guadalajara (México). A caminho da comemoração do 43ª aniversário da independência nacional, os “sete magníficos” de Angola, lutaram tenazmente nos relvados, para brindarem-nos com o cobiçado troféu.
Em 2014, os nossos valorosos rapazes deram o aviso ao arrancarem a segunda posição da prova, tendo sido derrotados na final por três bolas a uma diante da Rússia. Entretanto, enganaram-se todos aqueles que pensaram, que haviam chegado àquela final com a ajuda ou de forma acidental.
De 27 de Outubro a 4 de Novembro do corrente, a nossa equipa nacional, mostrou ao Mundo, que não foi por acaso que era a vice-campeã mundial em título. Inserida numa série com selecções como a Espanha, a quem vencemos por uma bola a zero, a Ucrânia, por quatro á zero e o Haiti, com quem perdemos por duas bolas a uma, podemos ver quão difícil foi o caminho, para a conquista do inédito título Mundial.
É importante frisar, que a vitória de Angola, é uma grande lição de vida para todos nós. Os nossos rapazes fizeram das fraquezas forças. Foi necessário muita determinação, para superarem vários obstáculos que a vida lhes tem apresentado.
Todos nós vivemos as mesmas dificuldades, resultantes da crise económica e não só. E no caso deles, são obrigados a aceitar a nova condição física, que o tempo e o imprevisto lhe impôs, por via da guerra com accionamento de minas. É preciso muita força mental e auto-estima, para manter-se firme nestas circunstâncias. Pessoas há, que fisicamente estão completas, mas que já atiraram a toalha ao tapete no que a luta pela vida diz respeito.
Então todos nós podemos e devemos aprender muito da atitude mental dos nossos valorosos rapazes. É verdade que foi uma competição entre pessoas com as mesmas circunstâncias. Mas mesmo assim este facto não retira o mérito aos nossos jogadores, pois eles enfrentaram jogadores com as mesmas dificuldades, mas com condições sociais muito diferentes das suas o que por si só poderia servir de handicap.
Então, ao invés de estarmos a choramingar pelas nossas dificuldades, quando o quadro da nossa vida nos for desfavorável, devemos lutar com todas as forças para inverter o quadro. Só para termos uma ideia, a Turquia é, simplesmente, a campeã europeia da modalidade e, naturalmente, com condições a “cinco” estrelas.
Mesmo assim, foi superada pelos nossos jogadores, apesar do grande desnível existente entre eles em termos sociais. Agora, em função desta grande façanha, o país não deve apenas orgulhar-se pelo título conquistado. Temos de tratar os jogadores, com a honra que realmente merecem.
É verdade que o Presidente da Republica, já se manifestou, tendo felicitado e agradecido verbalmente a toda caravana angolana. A ministra da Juventude idem e até pediu que todos fossem ao aeroporto, para a recepção dos nossos heróis, que é muito bom.
Mas não devemos ficar por aí. Podemos ter uma noção de como se deve gratificar alguém que vença uma competição, por apegar-nos ao exemplo dos que realizam o concurso de Misses, cuja vitória é de grande importância para a vencedora e para as pessoas que lhe são próximas porque se revêem nela.
Em Angola, a vencedora de um concurso de Miss, de entre outras coisas, tem direito a uma viatura top de gama, dinheiro, roupas e tratamento de borla durante um ano. É verdade que estas ofertas provêem de pessoas ou empresas singulares. Então porque não mobilizar este tipo de pessoas, para gratificarem com dignidade os campeões do Mundo, onde todos nós nos revemos?
Não nos esqueçamos que estamos diante de um título Mundial e não deve ser minimizado, por ter sido conquistado por uma selecção de futebol adaptado a jogadores com muletas. É uma vitória Mundial. O nome de Angola foi enaltecido a nível mundial nesta modalidade e na FIFA, por causa destes jogadores.
Por isso, queremos acreditar que o Estado angolano fará a devida compensação aos jogadores da nossa selecção, pois será uma motivação dupla: por um lado, os actuais jogadores sentir-se-ão muito honrados e servirá de motivação para os jovens que, futuramente, venham a representar a selecção nacional, pois dirão: “vale a pena representar o meu país”.
De resto, cada um de nós pode fazer a sua parte para homenagear os nossos jogadores, tanto por apoiar financeiramente, por oferecer um momento de descontracção ou entretenimento, e assim por diante. O mais importante é fazer algo para motivar os nossos rapazes.
Assim, poderemos expressar os nossos agradecimentos a todos os jogadores, treinadores e dirigentes da nossa selecção. Sim, o país agradece-vos por este brinde e podemos gritar bem alto e com muito orgulho, para todo mundo ouvir: A Taça do Mundo é Nossa!
Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • Hoje

    Edifcio desportivo erguido desde 1975

    O país vive ainda a ressaca dos 43 anos da Independência Nacional, assinalados ontem em todo o território nacional. E a festa prolonga-se por estes dias. São 43 anos marcados desportivamente, pela adopção de uma nova mentalidade desportiva em Angola.

    Ler mais »

  • Hoje

    Citaes

    O triunfo obtido pela Selecção com Muletas, valoriza o esforço desenvolvido por diferentes estruturas do Estado, com vista a reinserção dos cidadãos com deficiência.

    Ler mais »

  • Hoje

    Aliado diplomtico

    Mágico e célere o tempo correu, e remete-nos hoje a uma data que, há 43 anos, foi de todas as palpitações, de todas as emoções, de todos os sonhos, de todos os sorrisos, de todos os cantares e de todas as danças. Nesse dia, Angola soltava o grito da liberdade e desprendia-se das amarras e dos ditames do colonialismo.

    Ler mais »

  • 10 de Novembro, 2018

    Um exemplo de superao

    Depois de sagrar-se vice-campeã em 2014, Angola não deixou os seus créditos em mãos alheias na edição deste ano do Mundial de Futebol Adaptado, conquistando o título da prova disputada na cidade mexicana de Guadalajara.

    Ler mais »

  • 10 de Novembro, 2018

    A vitria da resilincia

    Mesmo que já se tenha falado imenso do assunto, eu prefiro continuar a falar.

    Ler mais »

Ver todas »