Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A "vara mgica" de Artur Almeida

10 de Dezembro, 2018
Sem terceira intenção, até porque ainda está por aquecer o seu cadeirão, faço o novo reparo a Artur Almeida. Vai para o facto de este nosso novo \"governante\" do nosso futebol, ter dito, há tempos, que não tem soluções mágicas para a modalidade. Será já uma antecipada e primeira desculpa aos desafios com que vai deparar-se no seu mandato?
Não sei se ele olvidou, mas, parece haver contradição: quando anunciou a sua intenção de concorrer, deixou claro, muito claro mesmo, que \"estamos a trazer uma solução para o futebol, com coisas palpáveis, que temos um projecto que toda a gente pode ter acesso e vai perceber, de facto, que é aquilo que o futebol de Angola precisa\".
Deveria arrolar palavras mais mobilizadoras. Por exemplo, Pedro Neto quando \"sucedeu\" Justino Fernandes, em 2011, ouvi-o a dizer e, depois tomei nota, que \"espero que as mesmas portas que se abriram para quem eu substituí também se abram para mim\". Artur devia, já agora... abrir este jogo. Ou não é assim?
Contudo, e para não dizerem que estou a lançar achas à fogueira, julgo que, na positiva, o homem avançou ideias, que o podem ajudar evitar receios. Ouviu-o a dizer que \"queremos contribuir para melhorar com opiniões bastante válidas e construtivas\". Foi dele a afirmação de que \"estamos a trazer uma matéria de contribuição para melhorar, porque não estamos a vir aqui apenas para dizer aquilo que está mal\".
No plano das provas internas, Artur Almeida considerou que a federação tem de reformular, por exemplo, os campeonatos infanto-juvenis até aos seniores. É uma boa ideia e deve bater-se por ela.
Até porque está rodeado por uma equipa de colaboradores capazes. Mas não poderá olvidar quem está fora do seu elenco, particularmente os técnicos.
Estes e outros mais elementos, que formam o \"corpus\" do nosso futebol, poderão ajudar-lhe na criação da tal entidade independente, que venha gerir os campeonatos nacionais e um quadro regulador da modalidade, acompanhar esta regulação e, ao mesmo tempo, cuidar das selecções nacionais.
Quero esperar para crer, para ver se é presidente de palavra e, consequentemente, escravo da sua palavra.
Em 2011, aquando da sua campanha, Artur Almeida mostrou coragem. Prometera - e vejam só esta boa coragem! - que se vencesse Pedro Neto naquele ano, então os Palancas Negras poderiam ser campeões africanos no CAN de 2017, portanto, no ano que vem, o que infelizmente não será possível porque ele não esteve à frente da federação.
Por isso, no dia da tomada de posse, estarei radiante se ouvir já da sua parte uma nova promessa, um novo horizonte de ou sobre quando é que os Palancas Negras serão campeões africanos. Os aficionados do nosso \"assoctiation\", do nosso desporto-rei, cobrarão isto a toda a hora e em qualquer lugar.
Lembro-me que, em 2011, não tendo logrado o cadeirão máximo da FAF, Artur Almeida prometeu, numa conferência de imprensa muito concorrida, realizada no Hotel Trópico, que criaria o que designou na altura de Observatório do Futebol da Sociedade Civil para o Futebol, instituição que ficaria atenta às realizações e ao cumprimento do programa apresentado pelo candidato Pedro Neto, esse programa que deu poucos louros e, por isso, o Artur venceu
Governar com a malta do futebol será positivo e desde já, gostei de sentir que... ovacionado pela sua vitória, Artur Almeida não marginalizou os seus concorrentes... admitiu publicamente que também vai acolher os projectos de outros candidatos. Isto é, de Luís Prata e Jesus. Esta é também uma dívida que será cobrada ao longo do seu consulado.
Da minha parte bati fortes palmas para si, sobretudo pelaparte em que ele sublinhou o seguinte: \"é para tornar num só projecto o dos três candidatos com vista à gestão do futebol\".
Eu, pessoalmente, espero que seja assim até 2020, porque não foi isto o que se viu da parte de Pedro Neto, que depois de o ter derrotado em 2011, por 48 votos contra 27, \"governou\" o nosso futebol à sua maneira.
António Félix






Últimas Opinies

  • 14 de Outubro, 2019

    Objectivo alcanado

    Terminou na passada sexta-feira, em Benguela, o Campeonato Africano de futebol para amputados, que durante dias a fio juntou naquela cidade do litoral angolano seis países, sendo cada qual com a sua capacidade competitiva, com a sua ambição e com a sua meta estabelecida no certame.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Mais um campeonato sem clima de Girabola!

    Já se tornou costume dizer-se, que os campeonatos de futebol da primeira divisão, não importa o país em que se realiza, devem dar aos prosélitos e amantes do futebol o que eles mais querem ver.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Devolver o basquetebol aos seus

    Ver um clássico do basquetebol nacional hoje as vezes dói. Continua a ter alguns bons executantes é verdade. Carlos Morais,Valdelicio, Armando Costa e uns poucos são ainda os tais que nos mantém nos sofás.

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    Os nossos embaixadores e a lotaria da Champions

    Há quase 40 anos a participar nas provas da Confederação Africana de Futebol (CAF), nesta época, pela primeira vez na história, o desporto-rei no país testemunha a presença simultânea de duas equipas angolanas na fase de grupos da maior prova de clubes continental.

     

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    possvel o 1 de Agosto e o Petro chegarem l!

    A entrada dos dois colossos do futebol angolano, para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, é um feito transcendente e que pode despoletar outros benefícios mil, se tivermos em conta toda a avalanche de interesses que encarna as hostes de um e de outro que, decididamente, partem em busca da conquista da África do futebol.

    Ler mais »

Ver todas »