Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

A vida “dura” de um director de marketing desportivo!

13 de Novembro, 2017
Em finais do ano de 2016, um jovem recém -licenciado tinha como objectivo trabalhar num clube desportivo, recebeu uma chamada telefónica de um Presidente, a convocá-lo para uma reunião. O jovem ficou espantado com o telefonema, acima de tudo ficou extremamente satisfeito com a possibilidade de concretizar o seu objectivo.
Na reunião, o Presidente de direcção do clube foi directo e pragmático… propôs ao jovem a criação de um Departamento de Marketing para o Clube Desportivo que presidia, porém, tinha um “PEQUENO E AO MESMO TEMPO UM GRANDE” condicionalismo… esperava-lhe um grande e redondo zero (0) para iniciar o seu trabalho, ou seja, não tinha recursos humanos, materiais, tão pouco financeiros, para alocar ao projecto.
O jovem ouviu atentamente a proposta do Presidente, rapidamente aceitou a sua “GENEROSA” oferta, pois, encarou-a como um desafio e um árduo teste à sua capacidade pessoal, interpessoal e profissional. Desde logo, o jovem passou a ser o Director de Marketing do Clube Desportivo.
A reunião prosseguiu, durante várias horas, foram debatidas e traçadas várias opções, estratégias e políticas para o recém-criado Departamento de Marketing.
Assim, e tendo por base as experiências e as histórias que esse Director de Marketing vivenciou ao longo do seu percurso profissional nesse Clube Desportivo, permitiu-lhe efectuar uma analogia ao seu trabalho, alinhou-o como os ponteiros de um relógio, utilizou de forma figurativa as 24 horas que compõem um dia, alertando-vos para 24 áreas específicas que foram trabalhadas por esse Director de Marketing, que passo a enumerar:
00h00 – Organização Interna;01h00 – Gestão Financeira;02h00 – Gestão de Sócios;03h00 – Publicidade;04h00 – Patrocinadores;05h00 – Parcerias;06h00 – Organização de Jogos;07h00 – Subsídios; 08h00 – Voluntariado; 09h00 – Imprensa;10h00 – Campanhas;11h00 – Merchandising;12h00 – Eventos;13h00 – Solidariedade;14h00 – Promoção;15h00 – Bilheteria;16h00 – Legislação;17h00 – Instalações Desportivas;18h00 – Social Media;19h00 – Gestão de Atletas;20h00 – Relações Institucionais;21h00 – Corporate/VIP; 22h00 – Contingências;23h00 – Comunicação Interna/Motivação
A primeira “hora”, de forma figurativa, foi destinada a analisar a Organização Interna do Clube.
O seu trabalho passou inicialmente por inteirar-se de forma meticulosa sobre toda a história, a dimensão e estrutura do clube. Identificou a missão, visão e valores do clube, identificou e analisou as modalidades desportivas activas, inteirou-se do número de atletas que praticavam a actividade desportiva, por modalidades e escalões, identificou as estruturas de apoio às diversas modalidades (equipas técnicas, directores, funcionários e demais staff de apoio), inteirou-se do número de sócios do clube e da sua condição (pagante ou não pagante), entre outras acções.
Desta forma, o Director de Marketing tirou uma “radiografia” ao clube para saber de que forma podia integrar e posicionar o departamento de marketing na estrutura e mística do clube, por forma a serem alcançados os objectivos pretendidos.
Depois do reconhecimento inicial, foi elaborado um organograma concreto e conciso, que até ao momento existia só de forma subentendida, onde foram enquadrados todos os recursos humanos dentro de departamentos e criado um conjunto de procedimentos internos para que toda a estrutura fosse capaz de trabalhar e comunicar de forma eficiente e eficaz, dentro de um fluxograma e de forma hierárquica utilizando os canais apropriados de comunicação.
De igual forma, foram elaboradas um conjunto de “check-lists” para determinadas acções/actividades, para que todos os recursos trabalhassem e comunicassem da mesma forma (a uma só voz), quer internamente quer externamente, a reger-se por um guião estandardizado e padronizado em prol do superior interesse do Clube.
Apesar do Departamento de Marketing ser constituído só pelo seu Director, este, segundo o organograma, reportava directamente ao Presidente do Clube com quem trocava impressões diárias, para delinear as estratégias e acções quer a curto, médio ou longo prazo.
Porém, o Departamento de Marketing trabalhava de forma próxima (lado a lado) com o Departamento de Comunicação do Clube, até porque qualquer estratégia de marketing só fazia sentido, se estiverem asseguradas todas as condições de comunicação com o seu destinatário/público -alvo.
Apesar de ainda estarmos na “1.ª hora” de trabalho, já vamos muito adiantados… e para que a leitura não se torne uma enorme maçada, vamos fazer uma pequena pausa, nesta história.
Não perca, o próximo artigo!

Nzongo Bernardo dos santos




























* MENTOR E GESTOR EXECUTIVO DO FÓRUM MARKETING DESPORTIVO

Últimas Opiniões

  • Hoje

    Pensar o futebol

    O futebol é no universo desportivo a modalidade de maior paixão, aquela que pelo mundo tem a particularidade de movimentar enchentes para os estádios e  rios de dinheiro.

    Ler mais »

  • Hoje

    Marketing Desportivo: ir ou não?

    O marketing no desporto vem junto da gestão bem-feita. Por isso é que, há alguns anos atrás, a RED BULL, deu um passo essencial, senão crucial.

    Ler mais »

  • 19 de Novembro, 2017

    Cartas dos Leitores

    Nós técnicos, indiferentemente do país que orientamos, queremos sempre ter mais dias de treino.

    Ler mais »

  • 19 de Novembro, 2017

    O não à selecção

    O factor organização é a todos os títulos determinante. No caso particular do desporto joga papel fundamental, terminando  o nosso sucesso, quando se faz presente, e o fracasso quando ausente.

    Ler mais »

  • 18 de Novembro, 2017

    Cartas dos Leitores

    A realidade é esta.

    Ler mais »

Ver todas »