Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Amor de Cabungula

27 de Março, 2016
Sabe-se que a participação da equipa da terra das pedras preciosas, como é chamado o diamante, é consequência da desistência do FC Bravos do Maquis que em condições normais devia ser o representante de Angola na segunda maior prova continental, a nível de clubes.

Se só por isso se pode aclamar a referida equipa, melhor em relação à um dos seus jogadores em quem recai quota parte da responsabilidade do êxito dos diamantíferos, na presente época futebolística.

Refiro-me a Arsénio Sebastião Cabungula, mais conhecido por Love, que conta 37 anos desde que viu pela primeira vez o raiar do sol num dia 14 de um mês como o que corre, e que também é conhecido como mês da mulher.

Julgando ter feito no momento indicado as homenagens merecidas, apesar de ser no mês das mulheres, decidi hoje escrever algo sobre o amor que Cabungula tem ao futebol que é uma das suas marcas, a intimidade com as balizas contrárias.

Confesso ter uma relação não tão profunda com o referido jogador, mas de grande admiração pelo carácter de humildade e seriedade profissional criadas por altura da minha passagem pelo Clube Desportivo 1º de Agosto, onde vanglória à parte, desempenhei as funções de director de Comunicação e Imagem e porta-voz durante o consulado do então presidente Raul Hendrick. Por conveniência de serviço, conheci outra dimensão de Love normalmente adjectivado como uma pessoa de trato fácil, prenhe de humildade, desconte-se o que cada um achar necessário aceitável à luz do postulado bíblico segundo o qual “ não existe um só justo sequer, à face da terra”.

E porque falou-se em justo/justiça, devo aqui aclamar a decisão do seleccionador nacional de futebol convocar Love Cabungula para a "Operação RDC", que acontece hoje em Kinshasa, e na terça-feira em Luanda, parece ter-se feito justiça quanto à forma de proceder, apanágio do treinador de qualquer selecção que é escolher os melhores, num dado momento.

Aliás, com 37 anos cravados e pelo que tem feito até ao momento, Love Cabungula demonstra ser um ponta de lança com quem se pode contar para as encomendas, caso redunde simplesmente na marcação de golos, que de resto é a sua primeira missão, enquanto avançado.

Os números falam por si e apresentam um Love com sete jogos disputados na presente época, nos quais marcou o mesmo número de golos, que corresponde a média de um por jogo, entre a competição doméstica e fora de portas.

Sendo bom recordar que os melhores marcadores do Girabola Zap têm cinco golos rubricados contra os três de Love, pode-se perceber que o avançado da equipa verde da Lunda Norte pode entrar na corrida a disputa do título de melhor marcador, pois ao que se sabe não lhe falta vontade para fazer o que de melhor sabe: marcar golos.

Para terminar, dizer que não concordo, (apesar de a prática mostrar que seja isso), que Love fosse chamado para a Selecção Nacional, no lugar de Yano, por estar lesionado.

Defendo que Love Cabungula não tem nada a perder para quem quer que seja, aliás, está a demonstrar que ainda tem amor à profissão, sempre apaixonado com as balizas contrárias.

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    A eliminao do Petro e o tal patriotismo

    Terminada a participação Petro de Luanda, na Taça Nelson Mandela, é normal que por esta altura, esteja a ser feita uma profunda reflexão em torno da participação na referida competição africana, nos mais diversos aspectos que ela comporta, sem descorar, portanto, a (des) continuidade do técnico Beto Bianchi, que mais uma vez não conseguiu o troféu de uma competição em que esteve envolvido. 

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Palancas Negras de olhos no Egipto

    A Selecção Nacional de futebol honras, vulgo Palancas Negras, só depende de si para chegar à fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019, que vai ser disputado no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário  (Recreativo do Libolo) foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os dois golos.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

Ver todas »