Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Ao terceiro lugar

27 de Abril, 2019
Hoje, quando forem 14h00, as atenções desportivas estarão voltadas, por inteiro para Dar-es-Salam, onde a selecção de Sub-17 entra em campo, para tentar o terceiro lugar no Campeonato Africano das Nações da categoria, que decorre na Tanzânia. Angola mede forças com a não menos poderosa selecção da Nigéria. Trata-se de um jogo que, apesar de ser consolação, vai, na mesma, ser encarado pelas equipas com grande sentido de responsabilidade.
Quer angolanos, quer nigerianos, depois de terem chegado às meias-finais, e motivados com a qualificação ao próximo campeonato do mundo, esperavam chegar à final do torneio. Mas, não foram felizes diante dos respectivos adversários, com quem perderam aos penaltis, depois de igualdade no tempo regulamentar. Seja como for, ser terceiro não é nada mau. Pois, é também um lugar classificativo honroso.
Pela atenção que se dedica ao futebol de formação em alguns países africanos, dos quais a Nigéria, alguém pode temer pela sorte da nossa rapaziada, mas sem motivo, pois, o curso da prova já nos deu a ver, que este quesito conta pouco. Também por cá está a ser desenvolvido, a nível dos clubes, um forte trabalho de investimento nos escalões de formação. Só assim se justifica a forma determinada, como esta selecção se fez presente em Dar-es-Salam.
Pretendemos dizer que o jogo de logo mais, não tem vencedores antecipados. Há-de ser disputado palmo-a-palmo, porque quer Angola, quer Nigéria apresentaram, durante a fase de grupos, um nível de futebol que convenceu a todos quantos na condição de técnicos, olheiros ou meros assistentes, acompanham com interesse particular o desenrolar do torneio, que amanhã conhece o epílogo.
Sobre o adversário, Angola tem apenas a desvantagem de ter averbado uma derrota na primeira fase, enquanto este teve duas vitórias e terminou invicto. Portanto, isto não é lá tão significativo, a ponto de ser encarado como desvantagem de forças. A equipa precisa, sim, é de encarar o jogo com maior determinação e crença no seu potencial competitivo, e não encarar o adversário como seu superior.
É preciso que os jogadores tenham em consideração, que quem numa competição chega às meias-finais arrisca-se a ir mais além. O título não foi possível, mas o terceiro lugar pode estar ao alcance. Portanto, chegados até onde chegaram são todos iguais e ninguém deve temer ninguém. O país deposita toda confiança à equipa. Pois, em função do que já mostrou até aqui, é dotada de experiência e nível de jogo suficiente para pensar alto.
Depois de assegurado o passe ao campeonato do mundo, chegar à final seria cereja no topo do bolo. Mas não choremos pelo leite derramado. É com este pensamento, que a equipa deve entrar em campo. Apesar de não contar com o calor do público, pelo país inteiro faz-se uma corrente de força, para que tudo corra à contento e Angola possa se orgulhar dos seus meninos.

Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »