Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Nzongo Bernardo dos Santos

As complexidades ao se trabalhar marketing desportivo

22 de Janeiro, 2018
A primeira e derradeira complexidade, ao se trabalhar o marketing desportivo, prende-se com a intervenção e o entendimento correcto do referido conceito, na realidade em que esta ferramenta pretenda ser inserida. Isto é, a necessidade de haver marketing desportivo em Angola, deve estar intrinsecamente ligada á complexidade do nosso mercado e das variáveis envolventes.
Exemplo disto é a relação que se pretende dar e estreitar entre o marketing desportivo e a dimensão do mercado nacional em termos gerais. Não estaremos muito longe da realidade se afirmarmos que uma grande fatia da população angolana está envolvida com o desporto, quer pela prática de uma actividade desportiva, seja ela amadora ou profissional, independente da modalidade, quer pela forma quer como as pessoas participam em apoiar os clubes das suas paixões e dos seus corações.
Este pleno e largo contacto com o desporto pode ser justificado através da larga cobertura dos mídia, que na nossa realidade é tão relevante, a julgar pelos resultados apresentados pelo último estudo de audiência, divulgado e apresentado em Novembro do ano passado, pela Marktest Angola, empresa especializada na recolha, tratamento e prestação de serviços especializado no campo dos estudos de mercado, onde a Rádio 5, canal desportivo do Rádio Nacional de Angola, aparece na 2ª posição na preferência dos angolanos, no que a audiência de rádios de cobertura nacional diz respeito.
O desporto representa não só uma simples actividade, mas também um elevado carácter de entretenimento, sendo este último, um dos factores justificativos da atenção dos órgãos de comunicação social.
Mas para isso e no nosso caso em particular, é indispensável haver um aumento da oferta em termos de produtos e serviços, para que a mesma possa gerar uma concorrência mais feroz e a eficácia do produto desportivo tem necessariamente que assentar numa base de comunicação directa com os diversos segmentos alvos.
O consumidor de desporto em Angola, também desperta algumas complexidades, que é preciso ter em conta. Tal como qualquer outro mercado, a exigência do consumidor tornou-se, maior e mais complexa.
De modo que para as instituições que actuam no campo do desporto, e para aquelas que querem investir e tirar dela os retornos financeiros, precisam hoje mais do que nunca, estarem preparados para principalmente ultrapassarem obrigatoriamente os desafios apresentados por algumas barreiras que travam o desenvolvimento e principalmente as necessidades que emergem desta situação, daí a relevância e uma postura voltada para os consumidores e para a satisfação das suas necessidades.
Sem esquecermos, o facto de os consumidores deste mercado serem especialmente sensíveis a factores emocionais e de relação com o seu desporto, atleta e equipa preferida, quer seja nas suas vitórias, bem como nas suas derrotas.
Outra característica importante, na complexidade ao se trabalhar o marketing desportivo, mais concretamente em Angola, prende-se directamente com a utilização do desporto como ferramenta do marketing.
Estamos a falar claramente de uma segunda faceta do conceito de marketing desportivo, que é o de usar o marketing de outros produtos e serviços que usam o desporto como de promoção junto dos seus consumidores.
Desde já, fica a promessa de que no artigo da próxima semana, farei uma abordagem \"sui generis\", sobre as duas principais facetas do marketing desportivo, para um melhor enquadramento do assunto, dada as suas vertentes técnicas e científicas.
Porém, e em jeito de conclusão, vale a pena referir que o uso do desporto como veículo e suporte da comunicação ganha cada vez mais uma dimensão que é preciso conhecer, saber interpretar e aplicá-lo profissionalmente de forma correcta.
*MENTOR E GESTOR EXECUTIVO
DO FÓRUM MARKETING DESPORTIVO

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »