Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Basquetebol tem futuro garantido

13 de Julho, 2017
A cidade do Cairo foi palco do Mundial de Basquetebol em Sub 19, testemunhou que o futuro da modalidade em Angola está garantido, em função do desempenho da nossa Selecção Nacional que foi a 13ª classificada. Para muitos, esta classificação pode ser considerada humilhante e indigna de elogios. Entretanto, tais pessoas esquecem-se do facto de que no Mundo existem 193 países. Tratou-se de um campeonato do Mundo.

A 13ª posição significa simplesmente ser a 13ª melhor selecção do Mundo, num universo de 193 países!

Os nossos jogadores tiveram uma atitude mental forte, dadas às dificuldades que tiveram ao longo de preparação. Não nos esqueçamos que o cinco nacional viu-se privado de um estágio condigno, por dificuldades financeiras. Em função desta realidade, limitou-se a treinar em “casa” com equipas locais, e de um nível muito inferior a de um Libolo, Petro de Luanda ou 1º de Agosto.

Os rapazes de Raúl Duarte passaram por várias dificuldades que podiam influir negativamente no desempenho ao longo do campeonato. Normalmente, um estágio serve para “comprometer” ou endividar mentalmente os jogadores com a entidade patronal e seus adeptos, além de elevar os níveis motivacionais.

Para piorar a situação, o sorteio colocou-a num grupo com os Estados Unidos da América, Irão e Itália que veio a disputar a final no jogo com o Canadá. No jogo com a Itália, os nossos rapazes impuseram um rigoroso empate no tempo regulamentar, e levaram o desafio ao prolongamento, perderam por quatro pontos (66-70).

Diante do Irão, um adversário do nosso campeonato, o cinco nacional cumpriu a sua missão, venceu por expressivos 70-48, que o colocou na 3ª posição do grupo. Na fase a eliminar perdeu com o Canadá por 65 – 87, Porto Rico por 59 – 63, venceu o Mali por 73 – 54 e no último desafio a Coreia do Sul, por 58 -56. Portanto, o desempenho dos nossos jogadores, ao longo do campeonato, foi positivo e permitiu que melhorar a nossa classificação em relação à ultima participação em 2009, em que ocupamos o 14ª lugar da tabela classificativa.

Além disso, neste Mundial vimos o nascer de uma nova estrela do basquetebol nacional, ao estilo de Jean Jacques da Conceição,que dá pelo nome de Sílvio de Sousa, foi o melhor ressaltador e terceiro melhor cestinha da prova.

Naturalmente, Sílvio de Sousa destacou-se dos demais. No entanto, no cômputo geral todos os jogadores portaram-se bem, e foram considerados a melhor selecção de Sub 19 de todos os tempos, pelos “especialistas” da modalidade a nível do país. Ex - jogadores, como Carlos de Almeida e comentaristas como António da Luz, foram unânimes em reconhecer que esta selecção é a melhor de todos os tempos, nesta categoria.

Assim, podemos dizer sem receios que já temos em vista substitutos de jogadores como Kikas, Felizardo Ambrósio, Armando Costa, Leonel Paulo e outros, que valentemente substituíram os jogadores da geração de José Carlos Guimarães, Paulo Macedo, Necas, Baduna e muitos outros.

Isto, implica dizer que dentro de mais dois anos, a África que se prepare para voltar a ver a selecção de honras de Angola a “borrifar” o seu perfume a nível do continente, a conquistar mais títulos e a justificar por que é que é ela quem manda no Basquetebol Africano.
Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »