Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Bento Kangamba prepara o chicote!

06 de Julho, 2017
Esta situação está a irritar o presidente do clube, e por isso, depois do empate com os Bravos do Maquis em pleno Estádio 11 de Novembro, Bento Kangamba afirmou que ia rever a qualidade da equipa técnica e dos jogadores do seu clube.

A posição pública do presidente palanquino deixou a família do futebol nacional com algumas interrogações: será que Romeu Filémon e a equipa vão continuar no grémio palanquino?

Mas a grande questão é: será que Bento Kangamba tem motivos para levantar o chicote? De uma analise profunda à actual situação do Kabuscorp no Girabola, e em função do andamento da campeonato, podemos dizer que o homem tem alguma dose de razão, de preparar o chicote.

Mas uma coisa é erguer o chicote, e outra bem diferente, é usá-lo contra a equipa técnica. Se tivermos em conta a classificação do Kabuscorp, em relação aos chamados crónicos candidatos ao título, não se justifica a “chicotada”.Depois de 18 jogos, a situação é a seguinte: o clube ocupa a 4ª posição com 34 pontos, fruto de 9 vitórias, 7 empates, duas derrotas, 26 golos marcados e 16 sofridos.

O actual líder do campeonato, o 1º de Agosto, tem 40 pontos, mais seis, que o Kabuscorp. Se o Petro de Luanda vencer os dois jogos em atraso, passa a ter 43 pontos e fica a 10 pontos.

É preciso ter em mente, que ainda faltam 12 jornadas, e 36 pontos por discutir. A actual situação do Kabuscorp no campeonato era previsível, a julgar pela forma como começou a corrida ao título. Os pupilos de Romeu Filémon, começaram o campeonato com seis triunfos e um empate.
Filémon venceu Beto Bianchi do Petro de Luanda e dos Palancas Negras por 2-1, e a Dragan Jovic do 1º de Agosto, “varreu” por 2-0! O facto de arrancar de forma vitoriosa, transformou o Kabuscorp num alvo a abater, por todas as equipas. Daí, as grandes dificuldades que os rapazes de Filémon enfrentam para vencerem os adversários nos últimos jogos.

Portanto, o facto de estar a sete pontos do líder, 1º de Agosto, ou a dez se eventualmente o Petro vier a ocupar a primeira posição, caso ganhe as duas partidas em atraso, não afasta automaticamente os palanquinos da luta pelo título.

É verdade, que é mais difícil recuperar dez pontos, do que sete. Mas as duas equipas da frente também podem perder alguns pontos. O 1º de Agosto, particularmente, mostra-se muito instável.

Em função da situação menos boa da equipa de Kangamba, acredito que uma “chicotada psicológica” nesta altura, pode ser uma má opção com consequências imprevisíveis.Sabemos que uma “chicotada” funciona como uma faca de dois gumes. Tanto pode cortar quem a recebe, como a que a dá. Por isso, o mais sensato em minha modesta opinião, era recorrer ao diálogo para descobrir o real motivo dos tropeços constantes.

Com certeza que o treinador não desaprendeu do dia para noite, e nem os jogadores. Então, além de estarem a ser alvo de uma forte oposição da parte dos seus adversários, pode haver situações internas, de balneário, susceptíveis de serem revistas.

Apesar de aborrecido com o actual momento da equipa, acredito que Bento Kangamba atingiu um nível de madureza suficiente para tomar medidas inteligentes, para não prejudicar a própria equipa.

Além do mais, todo dirigente desportivo sabe, que não basta querer ser campeão. É preciso ter em mente que existem outras equipas na concorrência, e que a nossa equipa só joga o que as outras permitem.

Por isso, toda a calma é necessária para encontrar o motivo (se é que existe algum) por trás dos resultados menos bons do Kabuscorp do Palanca, nas últimas jornadas.

Assim, resta ao presidente Kangamba reflectir profundamente com toda a calma e serenidade, para encontrar soluções pacíficas, e recolocar a “sua tropa” no caminho do título.
Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »