Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Boas perspectivas

28 de Outubro, 2019
Angola começou da melhor maneira a sua campanha na 18ª edição do Campeonato de Mundo de Sub-17 de futebol, ao vencer a sua similar da Nova Zelândia e abrindo, assim, boas perspectivas para inscrever o seu nome na segunda fase da prova.
A vitória de 2-1 dos Palanquinhas na noite de sábado último, no Estádio Bezerrão, em Brasília, sobre os “Kiwis”, designação por que é conhecida a selecção neozelandesa, coloca os comandados de Pedro Gonçalves perto do segundo turno da prova.
Mas para tal, o combinado nacional angolano precisa vencer amanhã, o Canadá, jogo agendado igualmente para o Estádio Bezerrrão, em Brasília, as 17H00\' locais (21h00 em Angola), referente a segunda jornada deste Grupo A do Campeonato do Mundo, que decorre no Brasil desde sábado e que se estende até o próximo dia 17 de Novembro.
A selecção canadiana viu-se impotente para travar o anfitrião e tri-campeão mundial, Brasil, no outro jogo da ronda inaugural do grupo. Os 4-1 aplicados pela turma brasileira, espelham bem a supremacia da equipa da casa, que espreita mais um título.
É ponto assente que, no duelo de amanhã, os angolanos entrem motivados para fazer um bom resultado, que passa inequivocamente pela vitória, para depois, na última ronda da primeira fase, frente ao Brasil, um dos fortes candidatos à conquista do título desta 18ª edição do Mundial, apenas confirmarem o acesso a outra fase. É um objectivo legítimo.
Nas contas que se fazem para a qualificação dos Palanquinhas à segunda fase deste Mundial do Brasil, até um empate no jogo de amanhã, serve perfeitamente.
E isto desde que na última jornada a selecção do Canadá obtenha também um empate frente à congénere da Nova Zelândia, que neste contexto, independentemente de conseguir ganhar ou não o Brasil no duelo de amanhã, ficaria em desvantagem em relação à Selecção Nacional em termos de confronto directos.
Por isso, o jogo de amanhã, tal como assegurou o seleccionador nacional Pedro Gonçalves, assume-se como de carácter importante para as ambições de Angola.
Porém, voltando ainda a transcorrer no leito daquilo que foi a vitória dos Palanquinhas na estreia, frente aos Kiwis neozelandeses, é sublime realçar o facto de o conjunto nacional assumir o domínio do jogo, o que lhe permitiu, nos seis minutos iniciais, adiantar-se no marcador, resultado com que terminou a primeira parte.
No segundo tempo, a selecção neozelandesa ainda empatou por intermédio de Garbett, mas ainda assim as fortes investidas feitas pelos angolanos, no seu sector mais recuado, levaram a que o defensor Bark marcasse na própria baliza. Assim se fez a sentença do resultado do jogo inaugural da Selecção Nacional no Grupo A e que, curiosamente, marca de forma, efusiva, a estreia de Angola num Mundial de Futebol de Sub-17.
Agora que venham, então, os canadianos, num jogo em que o seleccionador Pedro Gonçalves deixa no ar a promessa de uma boa atitude. E oxalá que assim seja!!!...

Últimas Opinies

  • 17 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Aproveitamos para encorajar os atletas, à equipa técnica e endereçámos uma palavra directa ao treinador e à Federação.

    Ler mais »

  • 17 de Fevereiro, 2020

    A prata de casa

    Circularam informações nos ‘midias’ e particularmente no nosso jornal, na semana finda, dando conta do possível regresso de Carlos Dinis ao comando técnico da Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Grandes focados no topo do Girabola

    Depois de verem gorados os seus intentos de chegarem a última etapa da Liga dos Campeões, mais concretamente nas meias-finais, pela fraca prestação conseguida na fase de grupos desta maior prova da Confederação Africana de Futebol (CAF), 1º de Agosto e Petro de Luanda estão agora focados no Girabola Zap.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Entramos bem. Criamos oportunidades de podermos sair a ganhar nos primeiros 45 minutos, mas não conseguimos porque o nosso meio campo não conseguia transportar a bola para o ataque. Aliás, não é fácil jogar no campo do Desportivo da Huíla.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Problemas de sempre

    Em tempo de crise e em que se recomenda o aperto dos cintos, o nosso desporto vai-se revelando como um «parente pobre» do sector.

    Ler mais »

Ver todas »