Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Bom dia, senhor DAgosto!

28 de Agosto, 2017
Sempre acreditei que o 1º de Agosto, este \"senhor\" conjunto, tarde ou cedo, regressaria ao campeonato com \"raiva\" de campeão nacional para ser líder e, não sendo a primeira vez nesta época, aí ele está novamente ...com 50 pontos no papo!

Eu sabia que qualquer equipa que no reatamento viesse a cruzar consigo - e a vítima foi ontem o histórico Sagrada Esperança da Lunda Norte - sentiria, como este sentiu, o peso da estratégia de jogo tecida pelos técnicos Dragan Jovic e Ivo Traça e seus rapazes, fortemente determinados que estavam, e conseguira m mesmo, dar corpo à recuperação da a liderança do torneio.

Os que desde às 17h00 de ontem estiveram no Estádio 11 de Novembro, e mesmo outros adeptos, outras figuras à distância - a acompanharem pela TV - hão de concordar comigo: o jogo... apesar do taco a taco, no final \"...só deu D´Agosto\" e, portanto, ponto final, o resto, como se diz, é conversa.

Por esta razão é justo que os militares do 1º de Agosto acordem hoje no lugar cimeiro da tabela, onde ainda ontem estavam os seus rivais petrolíferos - à frente - sendo cordial cumprimentar os \"rubro negros\" com um forte.. \"bom dia, senhores comandantes do campeonato\".

Há quem esteja a dizer que aquele golo de Rambé, após cruzamento de Paizo, aconteceu de forma irregular, de forma ilegal, porque o jogador estava em situação de fora-de-jogo. Agora, o que fazer quando já não é nada que fazer? É golo na certa! O Petro de Luanda é que só voltará a acordar na 5ª feira - se conseguir isso - com a mesma saudação de \"bom dia líder\", ganhando ao Interclube na quarta-feira. É, desde já um difícil jogo em atraso, no estádio 22 de Junho.

É claro que ao Petro de Luanda, neste reatamento do campeonato, já saiu de \"cabeça erguida\" do Planalto Central, com aquela valiosa vitória, por 2-1, sobre o JGM do Huambo, embora ,apesar deste triunfo ,que fez sorrir de alegria os seus adeptos, tenhamos visto lá, em pleno estádio dos Kuriculetas, o técnico hispano-brasileiro Beto Bianchi a dizer de boca cheia que não gostou - vejam só essa! - da forma como a sua equipa ganhou. Dá para entender esta justificação?

Ele disse: \"Não gostei do jogo, esperava mais da minha equipa, sobretudo por termos marcado o golo cedo. Sem menosprezo do adversário, fizemos um jogo fraco e o nosso pior desta época\". Dá também para aceitar que verdadeiramente é a pior exibição da época, quando até vimos que golo da vitória foi madrugador aconteceu aos sete minutos, saído dos pés deste fogoso brasileiro chamado de Tiago Azulão, aos sete minutos?

Quem na jornada saiu cabisbaixo do campo foi o Kabuscorp do Palanca e, em bom rigor, para esta equipa tudo indica não restar já outra coisa: é só lutar para o segundo posto, a ver se, a remediar, vai ainda às Afrotaças. Porque depois da derrota sofrida (1-2) diante do Progresso do Sambizanga, fica claro que a pretensão do título exaltado pelo presidente Bento Kangamba e os seguidores é mera ilusão. Dir-se-à mesmo que o sonho de ser campeão é já miragem.

O grupo não está a \"carburar\" como nos tempos em que varria tudo. Será que faltam estímulos financeiros? É que, nesta altura, 48 pontos é pouca fruta para as \"bocas\" - promessas, digamos assim - que ouvimos de Bento Kangamba, ele que até apostou em Romeu Filemon, treinador de renome na nossa praça futebolística.

Agora, de uma coisa é certa: o Progresso do Sambizanga, mereceu o triunfo na ronda, da mesma forma que anotámos em Saurimo a formação \"lunda\" - Progresso da Lunda Sul - a fazer merecida continência em campo aos Polícias (Interclube), por aquela única (1-0) cacetada.

O técnico dos Polícias, Paulo Torres, considerou, sem esconder, que teve um jogo difícil lá em Saurimo. Julgo que nesta fase o que conta são os três pontos, porque tem ainda tempo para, nas próximas jornadas, primar pela qualidade e facilidade de ganhar. A começar pela recepção que fará ao ASA na 23ª jornada.

Outra verdade é que este Progresso da Luanda Sul sai da 22ªjornada com o véu destapado. Viu-se que há mesmo desorganização no seu seio. Vejam como, decididamente, o técnico-adjunto, Hilário Silva, abriu o livro: \"O clube tem passado várias situações que não quero aqui apontar, coisas que não se admite em nenhuma equipa de futebol. Uma equipa que não treina, que tem problemas administrativos e financeiros não pode jogar futebol nem ganhar jogos\".

Sinceramente, dá para entender esta situação de calvário por que passa equipa lunda na alta roda do futebol nacional - esse Girabola Zap prenhe de questões de \"pouca vergonha ?\"... Também não percebi - mas aconteceu - , falando a verdade, aquela derrota averbada pelo Libolo diante do ASA. De facto, como se diz, a bola redonda e o campo é rectangular.

Porém, a soçobrar como está o ASA num dos lugares do fundo da tabela, ainda mais com a qualidade de futebol de pantufas que dá a ver, acho que o Libolo tinha de sacar dos seus galões para fazer gato-sapato ais aviadores. Mas enfim, perdeu e, desde já, isto passa uma borracha sobre o que se escreveu em Calulo quando a meta de se arrebatar o ceptro. É melhor esquecer!

No final das contas feitas, na 22ª jornada, julgo que os resultados que vislumbrámos nos duelos Académica-Maquis; Caála-Santa Rita e Desportivo-1º de Maio...estavam mais ou menos nas previsões. São esquipas do mesmo campeonato - portanto no mesmo nível, mesmo arcaboiço - de modo que assim visto - e está é a minha soberana opinião - os 15 dias de interregno do campeonato, em virtude dos compromissos dos Palancas Negras, parece não terem alterado em nada na forma de jogar destas formações para ganharem, convencendo.
António Felix

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »