Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Brincar aos futebis!

19 de Janeiro, 2017
O campeonato nacional de futebol da 1ª Divisão, vulgo Girabola, é sem duvidas um das maiores atracções desportivas do pais.

O Girabola movimenta cerca de 368 jogadores de 16 equipas que o disputam, além de dezenas de treinadores, dirigentes desportivos, árbitros e outros elementos ligados directamente ao espectáculo.

Alem disso, para que haja uma partida de futebol, é necessário que haja segurança e para tal, centenas de polícias e pára -militares são movimentados das unidades, o que por si só implica avultados gastos logísticos, e não só.

Por outro lado, milhares de pessoas deslocam-se de suas casas para os Estádios, fazem gastos com transportes quer a nível de combustíveis ou transportes de táxi para ida e volta, o que também implica despesas avultadas.

Outro sector, que também beneficia com o movimento do Girabola é a imprensa, que com a venda de material escrito, falado ou televisionado faz chegar as informações sobre o andamento do campeonato nacional ao consumidor.

Em suma, o Girabola faz correr muito dinheiro fora dos campos. Agora, a grande questão: o que ganham os principais protagonistas? Por exemplo, quanto ganha um clube que se sagre campeão nacional?

Não nos esqueçamos que para disputar os 30 jogos que comporta o campeonato nacional, ou Girabola, uma equipa não gasta menos de dez milhões de dólares, ou o seu equivalente em kwanzas, isto em termos de transporte, salários, estágios, prémios de jogos e coisas similares.

O valor acima referenciado é o mínimo, para uma equipa que queira lutar pelo título, como um 1º de Agosto, Petro de Luanda, Kabuscorp ou Libolo, necessita para um campeonato mais u menos equilibrado, porque existem outras despesas que não entram nestas contas, como os encargos com os jogos de bastidores.

Clubes há, que entram para o campeonato sem metade deste valor acautelado, e o resultado é o que todos temos visto: tais equipas transformam-se em autênticos turistas do Girabola, e na maior parte das vezes abandonam a competição a meio do caminho.

Mas grande questão: o que ganham as equipas que vencem um Girabola, que na maior parte das vezes, é disputado com picardias à mistura? Muito suor é vertido durante as 30 jornadas, bilhões de kwanzas são gastos com contratações para reforços e não só, com que objectivo? É só para participar nas taças Africanas?

Desde a temporada de 2016, a Zap passou a apadrinhar o Girabola, e é por isso, que agora o campeonato nacional de futebol da 1ª Divisão é denominado “GirabolaZap” . Em contrapartida, a empresa em referência oferece à equipa vencedora, algo como um milhão de dólares ( este dado não é oficial).

Oficialmente, o órgão que superintende o Girabola, a Federação Angolana de Futebol (FAF), se a memória não me atraiçoa, nunca divulgou o real valor ou prémio ( além da taça de campeão) da equipa que vençe o campeonato.

Portanto, como vimos, gastam-se rios de dinheiro para disputar-se um Girabola, mas não existe compensação aos prováveis dez milhões de dólares, necessários para se fazer um campeonato razoável.

Se o prémio do patrocinador oficial ou do padrinho do Girabola for os tais um milhão de dólares, uma equipa que gaste dez milhões está a queimar ou a deitar fora nove milhões de dólares para disputar o campeonato!

A ser verdade, então jogar ou participar do Girabola é uma forma de deitar fora dinheiro, só para entreter outros. Assim, estamos a brincar aos futebóis. Gostávamos de ouvir a verdade sobre esta questão através das entidades de direito.

Se realmente for verdade o que estamos a pensar, então o órgão reitor do nosso futebol deve rever com urgência a situação. Aliás, esta questão deve ser resolvida por todos aqueles que directa ou indirectamente fazer “andar” o Girabola.

Uma das formas de valorizar o Girabola, e com isto engrandecer o nosso futebol, era criar mecanismos para que o campeão nacional de futebol seja bem remunerado, por incentivar o empresariado local e não só, a investir no futebol, mas mostrar como ele podia ter o retorno do seu investimento.

Poder-se-ia experimentar o seguinte: toda equipa que tiver de disputar o Girabola deve depositar dois milhões de dólares numa determinada conta, criada para o efeito, isto dava cerca de 32 milhões de dólares.

Aí sim. mesmo que se gastem dez milhões ou um pouco mais, para sagrar-se campeão, valia a pena jogar ou participar do Girabola, porque a equipa vencedora ia ganhar 22 milhões.

Mesmo que deste valor fossem deduzidos cinco ou sete milhões, para outros prémios, como melhor jogador, árbitros e outros ligados à festa do futebol, valia a pena todo esforço e gastos ao longo da época desportiva.
Sim, brincadeira tem hora, como soe dizer-se!

Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 25 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Dou, primeiro, os parabéns à selecção da África do Sul, que tem um nível de intensidade de jogo superior ao nosso, pois na metade da primeira parte já estavam a ganhar por dois a zero. Nós também criamos boas jogadas, infelizmente não concretizamos

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    O almejado retorno Taa das Naes!

    A presença de Angola na 32ª edição da Taça de África das Nações em futebol já é um facto.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

Ver todas »