Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Campeo de ffias

04 de Julho, 2018
Neymar é um astro que, em termos de valor e mesmo de mediatização, vem logo a seguir a Messi e a Cristiano Ronaldo. Logo, integra o selecto grupo de jogadores que o mundo esperava, ansiosamente, ver evoluir neste campeonato. Não será, pois, nenhuma heresia aludir que muitos imploraram para que ele recuperasse da lesão que o apoquentava e pudesse desfilar o perfume da sua classe nos palcos russos.
Sortudo, ou integrando uma selecção mais capaz, acabou por ver os seus concorrentes à ribalta da fama, deixarem primeiro o campeonato. Sem Messi nem Cristiano Ronaldo é para si que se viram os holofotes, sem demérito a outros, que têm, igualmente, dado prova da sua habilidade individual, como Luiz Suarez, Cavani, Mbappé, Lukaku e outros.
Apesar de o seu Brasil estar a seguir bem no campeonato, produzindo resultados em que ele tem sido, realmente, um grande contribuinte, o craque do Paris Saint German vem conquistando alguma fama pelas piores razões. As muitas vezes que o jogador se atira ao chão, na sequência dos jogos, estão a ser alvo de várias e duras críticas.
Já há quem lhe chame campeão das fífias. Diz-se, pois, que nem sempre quando se joga ao chão é por carga violenta do opositor que o imobilize. É um autêntico matreiro com tendência deliberada de ganhar faltas e causar, ao mesmo tempo, motivo para penalização com cartões aos adversários, o que configura um anti-jogo não permissivo.
Na verdade, isto não enobrece e nem agrega valor a um jogador do seu calibre. Neymar precisa ser mais sério, mostrar que é, de facto, aquele estratega de que se fala nas lides do futebol mundial, que custou uma pipa de dinheiro ao PSG na sua polémica e mediática transferência da Catalunha para Paris, ao invés de estar metido em \"rodriguinhos\" de um jogador bairrista.
Aliás, com os dois melhores do mundo fora de cena, o brasileiro tem tudo para realçar o seu valor e conquistar maior projecção, sobretudo sendo ele uma espécie de sucessor destes, que, forçados pela idade, já estarão, certamente, a cogitar, mais época menos época, a retirada dos palcos. Pelos vistos, o menino de brinquinho, não despertou para esta realidade.
É certo que, numa disputa de bola, os choques são constantes, e não se pode dizer que um jogador não possa ser vítima de quedas. Mas, as do brasileiro irritam, e vê-se a olho nu que algumas são uma autêntica simulação, que os árbitros permitem e os agentes da Fifa, no conforto da tribuna Vip, aplaudem.
Aliás, em entrevista à emissora russa RT Sport, o antigo guarda-redes do Sporting, Peter Schmeicher, disse, e com alguma razão, que Neymar precisa aprender com Messi e Cristiano Ronardo. Para o dinamarquês, estes têm uma postura em campo irrepreensível, de longe superior a do jogador brasileiro. E vai mais longe: critica a Fifa por tamanha complacência.
Diz que os árbitros devem ser mais duros com ele, não devem hesitar na advertência com cartões, devendo mesmo expulsá-lo, se for o caso. \"É a forma dele aprender. Meu Deus, Neymar até ganhou o prémio de melhor jogador da partida com o México, mas a FIFA tem de olhar para a maneira como ele se comportou nesse jogo. Não consigo achar outra maneira de descrever, que não seja lamentável\", disparou Schmeichel.
E acrescentou: \"Eu faço esse apelo à Fifa. Não é algo que a gente queira ver no futebol. Temos o VAR, temos de ser poupados dessas simulações. Ele atrai tanta atenção, e todas as crianças vão ver. Não é bom, não é o que queremos no futebol\", disse. Assim como Schmeicher vários outros internautas tiveram igual reacção, fazendo recurso às redes sociais.
Portanto, Neymar precisa mudar a sua postura em campo sob pena de penalizar a sua equipa, caso encontre pelo caminho um árbitro, que não seja condescendente aos seus malabarismos. Por esta ordem, se pode dizer que mesmo o campeonato estar ainda em curso, Neymar já é campeão. Arrebatou o caneco de \"Campeão de fífias\". Matias Adriano


Últimas Opinies

  • Hoje

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se for convocado para a Selecção Nacional estarei disponível, porque é um sonho de todo jogador.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Desafios para 2020

    Hoje estamos a 19 dias do fim do presente ano gregoriano. É hora de se ir olhando para aquilo que foram as conquistas desportivas do ano que se apresta ao fim.

    Ler mais »

Ver todas »