Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas do leitor

24 de Janeiro, 2015
Agora é a nossa vez de responder. Esperamos este tempo todo pelo desfecho destes processos, agora que temos a resposta, até do tribunal arbitral, queremos que esta senhora seja responsabilizada e assuma os prejuízos financeiros e à imagem do COA e seus membros”,
Mário Rosa, vice-presidente do COA

O balanço que faço no fim desta visita é negativo. O clube está mal a nível das infra-estruturas desportivas. As pessoas que trabalham no Vitória são aquelas que gostam do desporto e têm vontade. Porém, em termos funcionais, as coisas vão mal”,
Jacinto dos Santos José, director provincial do Bié

Estou muito desiludido com este tipo de jogadas sujas. Na qualidade de patrono da equipa, não admito estas jogadas. Tenho a certeza de que a direcção não sabe de nada sobre o que se passou, mas suspeito que a equipa técnica deve ter entrado no jogo sujo”,
Domingos António, presidente do Domant FC

Em princípio, esta é a meta que estabelecemos muito antes do nosso embarque (cinco jogos), não queremos nada com as equipas cá da terra, quando começar o campeonato aí sim vamos defrontá-los, antes não”,
Carlos Alves, porta-voz do 1º de Agosto

PERGUNTA DO DIA
O novo treinador de guarda-redes do Petro de Luanda, Adriano Soares, tem competências para superar o anterior, Adriano Panzo?


Apesar de ainda não o conhecer, mesmo assim, acredito que a mudança feita pela direcção no clube é no sentido de melhorar e não prejudicar. Francisco Gaspar, estudante

A época passada foi difícil para as equipas consideradas favoritas na conquista da mais importante prova do futebol nacional, lembro-me que em função dos inúmeros golos sofridos pelos petrolíferos, estes terminaram na quinta posição com apenas 48 pontos. Daí talvez essa mudança possa ser benéfica. Miguel Kiala, estudante

A direcção do clube do Eixo Viário tem a responsabilidade de melhorar os sectores onde se registam falhas no conjunto e creio que a baliza é uma delas em função do número de golos que o Petro sofreu no Girabola passado. Não conheço o treinador mas julgo que pode bem ser uma mais-valia para o clube. Pedro Quitunga, estudante

Avaliação JD

HORÁCIO MOSQUITO
Presidente da Caála
Numa altura em que no país a contenção financeira está em voga devido à baixa do preço do barril do petróleo no mercado internacional, o Recreativo da Caála é uma das formações que optaram e bem por fazer uma preparação caseira para o Girabola, poupando recursos financeiros que podem ser aplicados para outros fins.

DOMINGOS ANTÓNIO
Presidente do Domant FC

Embora a direcção do Domant FC já tenha negado a “venda” do resultado de 10-0 da sua equipa ao Real Sambila no Nacional de sub-20, tendo inclusive demitido o corpo técnico da equipa, o certo é que tal resultado acaba por ser uma marca negativa na história do clube que se quer firmar no futebol nacional.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »