Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos Leitores

09 de Junho, 2015
O meu colega Mosquito falou na defesa do futebol, então temos de apoiá-lo senão vão continuar a ganhar sempre aqueles que não permitem o crescimento do futebol nacional, queremos que ganhem aqueles que suam e trabalham”.


Tomás Faria , presidente do Petro de Luanda


Nos cinco dias que antecedem o jogo, o grupo vai dar o máximo para atingir a excelência. Vamos melhorar os nossos níveis de adaptação e estou em crer, que estaremos em plena forma desportiva no sábado”.


Romeu Filémon, técnico dos Palancas Negras


Confirmo a minha ida para o Recreativo da Caála, para representar a equipa na segunda volta por força de um acordo assinado entre as direcções do Domant e do Caála. Quero dizer que não se trata de uma dispensa, mas de uma transferência”.


Yamba Asha , reforço do Recreativo da Caála


Não sei se foi o meu último jogo, mas se for, isso é uma grande despedida. Não sei. Cheguei pela porta grande e não vou sair pela porta dos fundos. Não sei viver de outra maneira a não ser a lutar, foi por isso que me trouxeram aqui, porque sou competitivo”.


Daniel Alves, defesa do Barcelona


A PERGUNTA DO DIA
Acha que os jogadores escolhidos para a “Operação RCA”, a disputar no Lubango, garantem confiança para a conquista dos primeiros três pontos para os Palancas?


Acreditamos na potencialidade dos nossos eleitos ao serviço da selecção. No sábado vamos sair do Estádio da Tundavala de cabeça erguida, diante dos milhares de adeptos, que certamente vão assistir a partida. A FAF deve cumprir com as suas obrigações para com a selecção.
António Gomes, ex-futebolista


A confiança depositada pelo órgão reitor da modalidade ao professor Filemon para voltar a dirigir a Selecção Nacional garante competitividade e profissionalismo. Este por sua vez, precisa de tempo e muito trabalho para atingir a meta traçada.
Alfredo Santos, funcionário público



Apesar da proximidade da data marcada para o referido jogo, a 13 do corrente, a equipa técnica precisa ainda de dobrar os esforços já empreendidos nas sessões de treino, com vista ao alcance da vitória diante da RCA no Lubango. Isso podia dar outra motivação ao grupo.

Bernardo Wajila, funcionário público


AVALIAÇÂO JD
ALBANO CÉSAR
Técnico do Progresso positivo-
Em boa altura, a direcção do Progresso “roubou” ao Sporting de Cabinda, o técnico Albano César. Os níveis de motivação aumentaram e ajudam a equipa a sair dos “cuidados intensivos,” hoje ocupa um lugar mais confortável na tabela classificativa. Uma aposta certa de Paixão Júnior.


CARLOS DINIS
Técnico do ASA Negativo-
Depois do que fez, na fase regular do BIC Basket, esperava-se mais da equipa do ASA nos Play-Offs. A diferença económica em relação às restantes equipas (Libolo, Petro, 1º de Agosto), não serve de desculpa ao descalabro. Foram duas vassouradas, a primeira diante do Petro e depois com o 1º de Agosto.


Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »