Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos Leitores

20 de Agosto, 2015
A equipa reagiu muito bem, pois a mudança foi preparada ao mínimo detalhe e em confidencialidade, longe dos holofotes. A mudança de treinador estava decidida desde a jornada doze. Aconteceu em termos formais após o último jogo da primeira volta”.


Rui Campos, presidente do Recreativo do Libolo


A situação do Maquis está complicada, mas assumimos esse compromisso com o objectivo de tirar a equipa da actual posição. Hoje a equipa tem uma outra atitude, outra postura. Por isso acredito que com o trabalho que vamos desenvolver iremos melhorar”.


Alberto Cardeau, técnico do Bravos do Maquis



Ninguém gosta de perder mesmo que a competição seja de nível baixo. Uma vitória, seja qual for, dá outra motivação ao grupo. Nesta derradeira etapa dos trabalhos foi muito arriscado jogar com o Senegal, mas o treinador Moncho López sabe bem o que fez”.


Alberto de Carvalho,
ex-técnico do "Cinco" Nacional


Vai ser difícil ganhar títulos, mas vejo a equipa optimista. Queremos continuar a dar alegria e a ser uma referência no mundo. Estamos aqui para ser competitivos. Mas claro que essa época vai ser mais complicada, pois os rivais já nos conhecem melhor”.


Luís Enrique, técnico do Barcelona



A PERGUNTA DO DIA
Com o regresso ao plantel do capitão Gilberto, o Benfica de Luanda reforça vontade de conquistar o Girabola?



A presença de um determinado capitão de equipa é fundamental; transmite mais confiança ao plantel. É acima de tudo uma convicção naquilo que se pretende alcançar. Esta é a realidade que as águias da capital estão a viver por esta altura.


Tchiputukeno Fulay, estudante


O capitão do Benfica de Luanda e também dos Palancas Negras é um jogador forte e convincente naquilo que sabe muito bem fazer. Por este motivo, apoiamos a sua volta ao plantel. Esperemos que consiga alcançar o grande objectivo: a conquista do Girabola.



Dorivaldo Coxi, estudante


A volta de Gilberto aprovada pela equipa médica que o acompanhou e pela equipa técnica as ordens de treinador principal, Zeca Amaral é sinónimo de grande regozijo na família benfiquista. Vitórias e conquistas a cada jornada é o que esperamos.


Julião Panzo, estudante


AVALIAÇÃO JD
JOAQUIM DINIS
Antigo futebolista Positivo-
O ex-internacional e presidente da Associação de Antigos Futebolistas de Angola defendeu a criação de um fundo de segurança social do jogador, para que o seu futuro seja salvaguardado. Um assunto que tem merecido pouca atenção. Esperemos que a associação leve a intenção adiante.

MEDART
Técnico do Sporting Negativo-
A contratação do técnico da RDC não trouxe ainda os efeitos que os dirigentes do Sporting de Cabinda esperavam. A equipa tarda em dar o salto desejado. Nas últimas duas jornadas, a jogar em casa, somou apenas um ponto. Muito mau para quem luta para evitar a despromoção. Futuro tremido.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »