Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos Leitores

03 de Setembro, 2015
Continuamos a dar privilégio aquilo que é feito no nosso país. Mas ás vezes temos de decidir por outras opções. O basquetebol é universal, não estamos numa ilha e achamos que todos os técnicos do mundo com nível podem estar à disposição de Angola”.
Paulo Madeira, presidente da FAB


É necessário que toda a acção agora seja no sentido de confortarmos a nossa equipa e não dramatizarmos esta derrota, porque há jogadores que pela primeira vez estão aqui num campeonato africano e tiveram uma prestação bastante aceitável”.
Victorino Cunha, ex-seleccionador angolano de basquetebol

Ainda é cedo para falar em transferência. O que posso lhe dizer é que alguns clubes de Luanda falaram comigo, mas ainda não decidi se vou assinar ou não, porque a época ainda não acabou. Espero acabar a época no Sporting”.
Trésor, médio do Sporting de Cabinda

No nosso desporto temos alguns dos mais espectaculares talentos sobre-humanos. O desafio é conseguir que as pessoas saibam que existem. Nos anos 60 e 70 também se falava muito sobre se seria possível que houvesse outros depois de Ali, e houve”.
Sebastian Coe, presidente eleito da IAAF

A PERGUNTA DO DIA
Quais as prioridades em que o seleccionador nacional, Romeu Fillemon deve apostar para a “Operação” Madagáscar, no próximo domingo?

O tempo está cada vez mais curto para os Palancas Negras. Precisam, por isso, de trabalhar em todos os níveis, uma vez que o jogo diante dos malgaxes está marcado para sábado. Penso que o estádio terá lotação esgotada, mas isto não pode impedir que pensemos na vitória.
Idevilma Manuela, estudante


A Selecção Nacional precisa a todo custo de se apurar para a fase de final da 31ª edição da Taça de África das Nações no próximo ano, na República do Gabão e para que isso se concretize temos de regressar com os três pontos em disputa. O trabalho em grupo é a ordem do dia.
Fernando Mateus, estudante


Romeu Filemon, na qualidade de responsável máximo da equipa técnica dos Palancas Negras, tem observado o desenvolvimento de cada atleta convocado nas sessões de treinos e penso que esta análise detalhada é muito positiva, face ao desafio que temos pela frente.
Gabriel Eugénio, relações públicas

AVALIAÇÃO JD

MARXIMINA BERNARDO Árbitra angolana=POSITIVO-A presença da árbitra internacional angolana no curso de Elite A, promovido pela CAF, em representação do país, não é senão prova da competência que tem demonstrado no país e no Continente. Aliás, será a terceira participação da juíza angolana em acções do género, depois de 2011 e 2013.

DRAGAN JOVIC Técnico do 1º de Agosto=NEGATIVO-Tudo mais difícil para a equipa do rio seco. Ainda não será esta temporada que se vai consumar o regresso à conquista de títulos. A seca vai durar, pelo menos mais uma temporada. Embora estejam ainda em disputa 18 pontos, não cremos que Dragan Jovic tenha argumentos para lá chegar.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »