Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cem anos do Esperance no assustam o DAgosto

22 de Outubro, 2018
Lá, em Túnis (Tunísia), já estão vendidos mais de quarenta mil bilhetes para o Estádio de Rádes, onde o nosso 1º de Agosto terá de fazer, mas fazer mesmo...tudo por tudo amanhã para voltar a ganhar ao Esperance local, a fim de poder marcar presença na Liga dos Campeões.
E a conversa que nos chega é que a equipa da casa tem um compromisso e encontro “com a história” que os militares do Rio Seco não podem enguiçar amanhã.
Por esta razão, até não sei se há já alguma trama, não sei se existem já lances extra-campo; extra-jogo, para prejudicar o nosso 1º de Agosto.
O que, imperativamente, já se alvitra lá é que o Esperance de Túnis, com o seu novo treinador, chamado Mouíne Chabani, pode entrar na história se passar e depois vencer a Liga dos Campeonato, justamente neste ano do seu centenário de existência.
Há duas semanas, depois de o Esperance ter saído de Luanda com a derrota (1-0) imposta pelo 1º de Agosto, anunciou, mesmo assim, um grandioso programa para celebrar os tais cem anos do clube mais antigo da Tunísia.
E a festa maior quer-se, precisamente, com a consagração na Liga dos Campeões. E está aí então a explicação e o meu receio: este desejo e alegado encontro pretendido com a história, que Chabani e seus jogadores, como se diz lá, não devem perder por nada no mundo, resultará de jogo jogado ou de batota?
O treinador do Esperance até sabe que se amanhã vencer e apurar a equipa verá a sua carreira empolgar-se “para sempre”. E certamente está sonhar com isso. Ele já disse o seguinte:
“ A minha hora vai chegar. Eu sonho em tornar-me o treinador principal do Esperance de Túnis um dia”.
A equipa este ano começou com o comando de Faouzi Benzarti, depois seguiu-se Mondher Kebaier, que não durou muito tempo na liderança, onde também foi sucedido por Khaled Ben Yahia e este então por Mouine Chabani.
Só que a partida de Ben Yahia no início da semana antepassada precipitou as coisas para Mouine Chabani. Ele foi escolhido por Hamdi Meddeb para liderar o barco do Esperance de Tunis na semifinal da Liga dos Campeões, amanhã, no Estádio Olímpico Radès. Vai conseguir?
De facto é uma oportunidade incrível para Mouine Chaâbani que, em caso de qualificação para a final, verá , repito, o seu “status” de treinador mudar de temporário para permanente. Mas também o que sei é que o Esperance de Túnis continua “chorar” pela suspensão de um dos seus craques, o Khalil Chammam.
Este jogador está suspenso e, por esta razão, deixou uma verdadeira dor de cabeça para a equipa técnica no eixo central. O treinador está mesmo a pensar como reajustar o comportamento defensivo de toda a equipa e não apenas dos defensores centrais e laterais.
O 1º de Agosto deve estar atento ao também li e ouvi: o Esperance ainda procura acertar o seu ataque para ser eficaz. Anda, acima de tudo, a magicar fortemente como a defesa angolana poderá ser “bar aberto” à pressão a ser feita por Rami Jeridi.
Mouine Chabani diz que pode contar com toda a sua equipa para esta empreitada. E está animado com o retorno dos atletas internacionais, seniores e olímpicos, que estiveram em representação das respectivas selecções.
Isto, obviamente, não pode assustar o nosso 1º de Agosto que, certamente, acompanhou à distância o que o Esperance de Túnis está a fazer. A direcção do D´Agosto tenha enviado “espias” em Túnis para ver e contar tudo, antes do desembarque militar?
António Félix

Últimas Opinies

  • 21 de Setembro, 2019

    Craques que buscam afirmao alm-fronteiras

    É por demais sabido, que a história do futebol angolano regista o nome de ex-jogadores, que ajudaram a elevar o nome do país além-fronteiras.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Talentos angolanos ofuscados na dispora (?)

    Hoje, neste espaço assinado “A duas mãos”, concordamos escrever sobre um assunto de suma importância e que merece a nossa atenção, até porque, sem desprimor para outros, as questões sobre os futebolistas angolanos que actuam na diáspora, com particular destaque para os novos talentos que têm, nos últimos tempos, preenchido largos espaços na média desportiva e não só.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os adversários são bons, os grupos são fortes e têm boas selecções.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Crise petrolfera

    Há maus ventos no Petro Atlético de Luanda

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Futebol nacional deve ser revolucionado? (II)

    A semana precedente fechei o texto com o seguinte argumento: “A meu ver, já não se pode gastar dinheiro em vão com o futebol.

    Ler mais »

Ver todas »