Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Teixeira Cndido

Chega Artur!

27 de Janeiro, 2020
Artur Almeida e Silva anunciou a sua recandidatura ao cargo de presidente da Federação Angolana de Futebol. Tem a liberdade de o fazer, mas devia fazer um balanço do seu mandato. Se me dessem esta responsabilidade, bastaria uma palavra para resumir ou caracterizar este consulado: quase desastroso. Foi quase por conta da exibição da Selecção sub-17, que, como se sabe, foi terceira no CAN e jogou pela primeira vez uma fase final de um mundial da categoria. Artur Almeida foi o responsável pela desastrosa prestação dos Palancas Negras no último CAN. A equipa nacional não conseguiu uma preparação à altura de uma prova dessa dimensão. E como no futebol não existem milagres, Angola caiu na fase de grupos. Tinha tudo para chegar a outra fase. Mas ausência de uma preparação à altura deitou tudo a perder. A seguir, os Palancas Negras não conseguiram se qualificar para o CHAN, pois na véspera o senhor presidente da Federação Angolana de Futebol despediu o treinador e acreditou num milagre. Ora, este não aconteceu. Decidiu recorrer a um treinador novo, ao invés de programar jogos amistosos nas datas estabelecidas pela FIFA, assobia de lado como se eles não existissem. Como será que o treinador vai trabalhar e conhecer os jogadores? As competições doméstica vivem mergulhadas em desorganização sem precedentes. Artur Almeida não foi capaz de ser líder entre os seus, logo no início do seu consulado viu sair dois vice-presidentes, por falta de diálogo e uma gestão individualizada, dizem estes vice-presidentes. Com tudo isso, aonde vai Artur Almeida buscar autoridade moral pedir voto de confiança aos sócios da FAF? O que Artur Almeida quer fazer com o segundo mandato, quando foi incapaz de gerir um grupo de trabalho? Não se lhe pedia que conquistasse CAN ou Mundial de sub-17, apenas organização e uma preparação à altura do nome do País. Quer se aceite ou não, Angola íntegra a lista dos poucos países mundialistas. É um privilégio, mas também responsabilidade. Artur Almeida parece esquecido disso. Sem dúvidas, não merece qualquer segunda oportunidade. É melhor ir tentando do que manter quem se sabe que não vai acrescentar nada ao futebol nacional. Aliás, para quem andou a vida toda a reclamar de falta de dinheiro, essa vontade de se recandidatar é uma verdadeira contradição. Espero que os associados tenham anotado todos estes problemas e escolham outra pessoa.Poupem-nos do sofrimento.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »