Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Coices de Cavalos e a dor dos Palancas

13 de Junho, 2017
Por um lado esta derrota, por 3-1, imposta pelos Cavalos do Burkina Faso aos Palancas Negras é um \"caso sério\" para quem sonhou começar em beleza a corrida ao CAN de 2019. Por outro nada ainda está perdido. Basta, aliás, \"ouvir\" o que revela o próprio treinador da selecção burkinabe na página três deste jornal. É bom ler!

Todavia, também pergunto:porquê que os Palancas Negras saíram cabisbaixas de Ouagadogou, diante dos Cavalos do Burkina Faso que no seu ambiente foram mais fortes e certeiros nos seus três \"coices\" do que a única \"chifrada\" desferida na baliza deles pelo Gelson, este rapaz que \"vira Leão\" quando está ao serviço do Sporting de Portugal?

Não estou a dizer que terá sido o Gelson o grande craque fracassado no ataque só porque não marcou mais.Não senhor. A culpa deve ser assacada a todos que estiveram dentro e fora do campo, como os que protagonizaram do ponto de vista pessoal e institucional total falta de organização.Repito aqui a questão que coloquei na semana passada. Porquê que, apesar da crise, o nosso Ministério da Juventude não disponibilizou mais dinheiro para os Palancas Negras realizarem um estágio condigno, defrontando equipas fortes, em vez de terem ido a Portugal \"experimentarem-se\" com equipas de baixa categoria?

Olha-se que os Cavalos Burkina Faso uma semana antes de derrotar os Palancas Negras foram a Santiago do Chile defrontar a selecção daquele país! Perderam, por 2-0, mas o resultado não interessou. Valeu o quilate do adversário. O presidente da República do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, três dias antes do jogo foi ao Estádio \"4 de Agosto\" e disse lá o seguinte aos jogadores: “Estou certo que no sábado vamos obter uma vitória sobre Angola e é por esta razão que aqui estou para dar esta certeza. Trata-se da primeira etapa do caminho para o CAN dos Camarões.

Temos bons jovens e bons veteranos na nossa selecção e esta combinação faz do Burquina Faso uma equipa forte. Às 18 horas rogarei a Deus e estarei no Estádio\" . Ele acertou.E agora também pergunto: é verdade que para os Palancas Negras ,em nome de Angola, só cabe à nova direcção da Federação Angolana de Futebol liderada pelo empresário Artur Almeida e Silva organizar-se melhor, como uma alta autoridade do nosso desporto cinicamente arguiu?

Deixem-me tocar noutro aspecto e condição de trabalho que não sei se a Federação proporcionou ao técnico Beto Bianchi. O seu homólogo Paulo Duarte assistiu a cinco anteriores jogos de Angola em vídeo. Pergunto: teve Beto Bianchi a mesma sorte?

Mais ainda. O burkinabes têm bons craques. Paulo Duarte substituiu logo Moussa Germain Sanou, que joga no Beauvais de França, por Daouda Diakité. E também Abdoul Aziz Kaboré, do Valencienne, igualmente a militar em França, por Ben Aziz Zagré da Associação de Jovens da cidade burkinabe de Bobo-Dioulasso. E isto porquê?

Porque Paulo Duarte não ficou contente com as atitudes destes dois jogadores que faltaram ao profissionalismo que se lhes exigia. Qual? O de só terem respondido à convocatória depois de uma semana! Aconteceu entre nós em termos de comparação? A resposta é fácil: perdemos tempo a questionar as ausências de Bastos, Dolly Menga, Manucho, Djalma e outros, quando o momento era de trabalho e renunião de condições. Agora o que Beto Bianchi deverá fazer?

Um dos caminhos é mostrar a mesma atitude revelada por Paulo Duarte que mesmo a sorrir pelos 3-1 mandou já este recado velado a estirpe de jogadores com manias de \"atletas de salto alto\": \"Não posso ganhar com um jogador que não dá o seu máximo\".Mas , enfim, nada ainda está perdido. Depois do desaire os Palancas têm pela frente nove meses para se apresentarem com nova postura frente ao Botswana. O jogo está previsto entre 19 a 27 de Março de 2018, para a segunda jornada. Disputar-se-à em Luanda e aqui a obrigação é ganhar e esperar preferencialmente por um uma derrota do Burkina Faso diante do Bostwana. Ou por um empate.

O Botswana está perfeitamente ao alcance dos Palancas Negras moldados a Beto Bianchi. Isso se for lavado em conta o historial dos nove anteriores jogos das duas selecções.E mais um aviso: muita, mas muita atenção mesmo à Selecção da Mauritânia pregou a primeira surpresa do Grupo I ao ganhar fora de casa ao Botswana, por 1-0, com golo apontado pelo avançado Abdellahi Soudani aos 78 minutos. E este jogador o seleccionador Beto Bianchi e seus pupilos devem já levar em conta nas suas agendas. Para não dizerem depois que não foram...avisados! Em suma quando saiu o sorteio das eliminatória de apuramento marcado para os Camarões houve entre nós uma plêiade de analistas do nosso jogo de pontapé á bola - e de muitos adeptos também - a alvitrarem optimismo. E ainda é possível! António Felix

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »