Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Combater a corrupo na alta competio

07 de Junho, 2018
Desportivamente falando, quando alguém induz ou influencia alguém para agir em seu favor com a finalidade de obter vantagens em relação a outros, consciente ou inconscientemente essa pessoa está a praticar a corrupção. O acto de corromper é antigo, pode dizer-se, que anda de mãos dadas com a humanidade desde os primórdios. Em certos casos, a corrupção pode ser tão grave a ponto de prejudicar uma nação inteira.
Desportivamente falando, muito já se escreveu, falou, opinou, sobre este grande mal, e como acabar com ele? A verdade é que a cada dia que passa, parece-nos que a corrupção no desporto ganha mais adeptos.
Temos de reconhecer, que ao redor do Mundo muito se faz para acabar com este grande mal. Aliás, em Angola, um dos grandes objectivos supremos do titular do Poder Executivo, e ele acredita que consegue, é acabar com a corrupção.
Entretanto, apesar dos esforços feitos nesta direcção, parece-nos que o vírus da corrupção continua gordinho, por um erro que se comete com muita constância, segundo o treinador de basquetebol do Asa, Carlos Dinis, em entrevista à Radio 5.
O categorizado treinador mostrou-se agastado com a forma que a justiça no geral actua em caos de corrupção, por apresentar ou julgar apenas o corrompido e não o corruptor! Fala-se sempre de corrupção na arbitragem, de jogadores que foram corrompidos, dificilmente se apresenta os corruptores.
Há anos, tivemos um caso, em que o presidente de um clube angolano, no caso o jovem Horácio Mosquito, do Recreativo da Caála, assumiu publicamente que ele mesmo tinha corrompido um arbitro e estava disposto a abrir o jogo todo sobre a questão, para o efeito marcou uma conferência de imprensa.
A verdade, porém, é que até hoje o homem não passou da intenção, o que por si, só pode indiciar que para alguns não convinha que tal verdade fosse exposta ou aberta, em função do “calibre ou do peso” das pessoas provavelmente envolvidas. Muito recentemente, tivemos o caso que envolvia a arbitra Maximina Bernardo que foi suspensa, por supostamente ser corrompida por alguns responsáveis do Benfica de Luanda, no Girabola de 2015.
É verdade que os dois actores ( o corruptor e o corrompido ) foram punidos, embora, tardiamente. Já foi muito bom o caso ter sido descoberto e se a memória não me atraiçoa , pela primeira vez desportivamente falando, o corruptor que é o mal a ser combatido, foi exposto e punido.
Entretanto, a grande questão é: é possível a acabar com a corrupção no desporto? Para respondermos à questão, primeiro, temos de saber o porque é que algumas pessoas recorrem à corrupção.
Tendo em atenção o significado de corrupção ou o acto que conduz à esta definição no contexto desportivo, conforme expresso no primeiro parágrafo deste texto, vemos que o grande objectivo do corruptor é ganhar vantagem em relação a outros.
Assim, o corruptor como está envolvido em alta competição é movido pelo orgulho e desejo de vencer, consequentemente, receber as honras e os benéficos de um vencedor.
Portanto, o orgulho ganancioso e porque a maior parte das pessoas o aprova, comanda o corruptor e ele agi como alguém telecomandado.
Portanto, é preciso muita força moral baseada em elevadas normas de conduta, para uma pessoa resistir à tentação de corromper ou ser corrompido, e isto, é impossível num ambiente desonesto e competitivo como é o desporto de alta competição, de prejudicar uma nação inteira.
Desportivamente falando, muito já se escreveu, falou, opinou, sobre este grande mal e como acabar com ele!? Mas a verdade é que a cada dia que passa, parece-nos que a corrupção no desporto ganha mais adeptos.
Temos de reconhecer que ao redor do Mundo, muito se faz para acabar com este grande mal, a corrupção no desporto de alta competição?
Augusto Fernandes




Últimas Opinies

  • 21 de Junho, 2018

    No violncia!...

    Ainda está-se por saber se o futebol está propenso à união ou à discórdia entre os membros da sua tribo. À partida, é um fenómeno de massas, com forte tendência de dar lugar a acesas discussões, intermináveis em certos casos, sempre com cada um dos intervenientes a tentar chamar à si a razão.

    Ler mais »

  • 20 de Junho, 2018

    Febre de bola

    O mundial entra hoje no sétimo dia de competição. Irresistível, como sempre, ou não fosse a  maior competição de selecções ao nível do planeta. Mediático, o campeonato do mundo chega a todas às sensibilidades e até pode tornar-se num forte agente da diplomacia mundial, que o digam o chefe da Arábia Saudita presente no jogo de abertura e o presidente Putin da Rússia, no confronto entre os dois países, em que o mandatária da FIFA deve ter servido de medianeiro nas conversas. Do que falaram, eles lá sabem, mas as imagens correram o mundo.

    Ler mais »

  • 19 de Junho, 2018

    Jornada de gritos...

    Quando logo mais as selecções da Rússia e do Egipto descerem ao relvado do Estádio São Petersburgo, estará a começar a segunda jornada da primeira fase do Campeonato do Mundo, que, não sendo cem por cento decisiva, pode, porém, começar afastar a cortina de fumo. Há coisas, que, no desfecho desta ronda, ficarão já clarificadas e outras que se vão manter incógnitas, até aos derradeiros 90 minutos.

    Ler mais »

  • 18 de Junho, 2018

    Citaes

    O nosso compromisso é com o bem do futebol nacional, nós estamos a trabalhar com clareza e estamos a ser criticados apenas para trazer de volta a horrível corrupção que havia antes, infelizmente, é isso o que alimenta o nosso futebol.

    Ler mais »

  • 18 de Junho, 2018

    Clima tenso no basquetebol

    O ambiente no basquetebol está tenso depois do presidente da Federação ter declarado em conferência de imprensa a falta de apoio do departamento ministerial que rege o desporto nacional, concretamente na não alocação de verbas para a Selecção Nacional poder cumprir com o seu programa na preparação para o Mundial.

    Ler mais »

Ver todas »