Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Como causar impacto atravs do marketing?

19 de Agosto, 2019
De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado, assim como a necessidade de haver total controlo e utilização de uma linha adequada ao perfil do seu público-alvo (sejam sócios, adeptos, patrocinadores e até mesmo potencias investidores), de tal maneira que chegue ao ponto de gerar aptoximação e sintonia.
Se levarmos em conta que o maior “património” de uma agremiação desportiva é a sua imagem, e este factor “sine qua non”, for MAL explorado ou relegado para um plano inferior, toda a estrutura da agremiação desportiva, fica comprometida.
E, no caso particular de Angola, não temos apenas, mas devemos melhorar o formato comunicativo das agremiações desportivas, com a finalidade de reforçar o posicionamento das marcas, assim como promover um conjunto de produtos e serviços, que as mesmas possam disponibilizar, integrar soluções que captem e atraiam mais sócios, mais adeptos, mais patrocinadores e mais investidores, ao invés de andar atrás do prejuízo, “filme” que habitualmente assistimos todos os dias, cujo “enredos”, montados por alguns responsáveis (que diga-se amadores) de comunicação dos clubes, chegam ao ponto de permitir as mais absurdas e desastrosas especulações, ou até, o mesmo esclarecimento de assuntos candentes!
Salvo raríssimas excepções, até mesmo distribuir press releases ou enviar comunicados com o roteiro de actividades semanais dos clubes, constitui-se num grande défice para a comunicação dos clubes, para com os seus principais interlocutores, que são os adeptos e os sócios. Porque ora, é feita de forma deficiente, ora é feita de forma desfocada. E isso, quando existe!
Como compreender, que para o desporto que é uma actividade que aglomera e converge grande concentração de massas diariamente, pelos mais diversos canais de informação, seja imprensa, rádio, tv, etc, o formato comunicativo das agremiações desportivas, seja considerado um handicap, ou seja, não se antecipa, não prepara o ambiente e complica em vez de explicar?
Como entender, que hoje, em que não se pode falar do futuro, presente (ou vice-versa) sem as novas tecnologias, a maior parte das agremiações desportivas em Angola, não tentam “vender” a sua imagem, marcar presença activa na internet e nas redes sociais, apostar em acções de comunicação de proximidade e de interactividade permanente, com o seu público-alvo e parceiros, preferir ao contrário ficar fechados na presunção do quero, posso, mando, e não dou “cavaco” a ninguém?
Repito, salvo raras excepções, tudo o resto só confirma a regra de que há um escasso domínio profissional dos assuntos, do como, quando, onde, porquê, para quê e através de que meios deve uma agremiação desportiva comunicar com seu público-alvo, de forma particular e com a imprensa especializada de uma forma geral!
Por norma, embora não existam modelos perfeitos, a definição de um plano de comunicação a implementar num período alargado, impõe a necessidade de utilizar uma multiplicidade de formatos e suportes, que o tornem proactivos na passagem de mensagens aos principais interlocutores, sendo importante a escolha de ferramentas mais adequadas, dados os objectivos visados.
Uma boa gestão de comunicação é essencial para assegurar a reputação de qualquer agremiação desportiva, reduzir as probabilidades de ser mal citada ou de ver publicadas informações incorrectas, que acabem por afectar a sua imagem.
(*)Mentor e Gestor Executivo do Fórum Marketing Desportivo
Zongo Fernando dos Santos

Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »