Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Confirmar favoritismo fora de casa

15 de Fevereiro, 2018
As equipas angolanas começaram com o pé direito a odisseia continental. O Petro de Luanda e o 1º de Agosto tiraram proveito do factor casa e conseguiram duas vitórias importantes nos primeiros 90 minutos das provas em que estão engajados.
A eliminatória ainda não está ganha, é verdade! Contudo, as vitórias folgadas, na primeira mão, garantem total favoritismo às equipas angolanas. O favoritismo deve ser confirmado nas quatro linhas.
A verdade é que as equipas angolanas partem em vantagem, para atingirem a próxima eliminatória. Petrolíferos e militares não sofreram golo em casa, pelo que resta gerirem os triunfos caseiros e consumarem os seus propósitos.
O Petro de Luanda foi quem melhor resultado alcançou. Humilhou o Master Security do Malawi, a quem venceu por categóricos 5-0, na primeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação. Com este resultado, posso dizer sem medo de errar, que a equipa do eixo viário já fez grande parte do trabalho.
E, é com essa força moral, que a equipa viaja para disputar os derradeiros 90 minutos da eliminatória. De certeza, que não vão ser favas contadas. Aliás, o técnico Beto Bianchi reconheceu isso mesmo, no final da partida.
“Em futebol nada está decidido, porque existem muitas surpresas. Vamos trabalhar sobre o resultado (5-0).\"
O 1º de Agosto, por seu turno, venceu o Platinum do Zimbabwe por 3-0, pontuável para a primeira eliminatória de acesso para a fase de grupos da Liga dos Campeões. Com este resultado, os militares vão à Harare com a eliminatória quase resolvida.
Se no futebol moderno não se decide uma eliminatória de duas mãos, logo na primeira partida como defende muita gente ligada à modalidade, seria uma verdadeira catástrofe depois do resultado do jogo realizado no 11 de Novembro, o 1º de Agosto não atingir a outra fase da competição. Aliás, esta observação assenta para o Petro de Luanda.
Se é certo que o conjunto zimbabweano não é uma potência do futebol continental, parece cada vez mais verdade que seja difícil a este 1º de Agosto acabar os derradeiros 90 minutos da eliminatória sem marcar qualquer golo. Porém, é importante não sofrer golos nos primeiros 10/15 minutos.
Numa outra visão, penso que a vitória do 1º de Agosto parece que não caíu muito bem nas hostes da actual direcção da FAF. Aliás, pelo que ocorreu antes do jogo, estou convicto que os responsáveis do órgão reitor do futebol nacional, vão rezar para que os campeões nacionais sejam crucificados em Harare, e daí, serem afastados da Liga dos Campeões.
Este pensamento tem haver com o facto da FAF não ter informado à tempo e horas a decisão da CAF, sobre a utilização por parte do 1º de Agosto dos jogadores sancionados, por não terem representado a Selecção Nacional.
O tiro saiu-lhes pela culatra, porque a equipa do rio seco jogou na antecipação. Informou-se junto do organismo do futebol continental sobre a possibilidade ou não, de utilizar os referidos jogadores.
A pergunta agora, é saber por que a FAF não informou com antecedência, ao seu filiado. Valeu o modelo de organização do clube do rio seco, que contrasta com tudo o que infelizmente se passa administrativamente com o órgão que rege o futebol nacional.
As competições africanas (Liga dos Campeões e Taça da Confederação) são provas muito especiais, e no momento em que equipas que não têm qualquer reputação no continente, têm hipóteses de partilhar um conjunto de vivências com outras equipas mais poderosas e da elite africana.
Isto, para dizer, que tanto o Master Security do Malawi como o Platinum do Zimbabwe, por realizarem os seus jogos em casa, vão fazer tudo por tudo para que exista uma surpresa, cabe ao Petro de Luanda e ao 1º de Agosto fazer tudo por tudo para brindarem a nação angolana com um bom futebol e também com a passagem à eliminatória seguinte.
POLICARPO DA ROSA

Últimas Opinies

  • Hoje

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se for convocado para a Selecção Nacional estarei disponível, porque é um sonho de todo jogador.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Desafios para 2020

    Hoje estamos a 19 dias do fim do presente ano gregoriano. É hora de se ir olhando para aquilo que foram as conquistas desportivas do ano que se apresta ao fim.

    Ler mais »

Ver todas »