Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Convite aos investidores

29 de Outubro, 2018
Em sono profundo, ressona em voz silenciosa. O eco abafado, perde-se num perímetro perdido no Km 30 da municipalidade de Viana. Em pleno coração da Zona Económica Especial, está a mais nova e moribunda infra-estrutura do Ministério da Juventude e Desportos. Herdada da ZEE, despida e com sinais vitais ainda visíveis, o futuro Centro de Estágio clama por investimento.
Erguido num perímetro de aproximadamente 40 mil metros quadrados, o Centro de Estágio tem a matriz para apoiar as selecções nacionais e reduzir os custos de preparação para os eventos internacionais. É uma infra-estrutura que mereceu a apreciação do Presidente da República, João Lourenço, no discurso sobre o Estado da Nação: \"Acabámos de pôr à disposição do desporto nacional uma infra-estrutura desportiva multi-uso, que tem condições adequadas para servir de Centro de Estágio\".
A apreciação é acertada. A infra-estrutura tem potencial para ser uma grande fonte de receita, quer para o investidor quer para o Estado. É apanágio do Estado colocar Angola \"a um lugar cimeiro no continente e mesmo no concerto das nações de todo o mundo, no que respeita à transparência e ao nível de desenvolvimento e de bem-estar dos seus cidadãos\". O Executivo está preocupado com \"o avançado estado de degradação precoce\" em que se encontram as \"infra-estruturas desportivas, estádios e pavilhões gimnodesportivos\" investidos nos últimos anos.
O Centro de Estágio de Viana tem solução. Cabe a cada um dos agentes desportivos ou empresários olhar nas vantagens do investimento. A recuperação daquela infra-estrutura tem apoio do Estado.
\"Todo este trabalho será desenvolvido, fundamentalmente, pelo sector empresarial privado nacional e estrangeiro que investir no nosso país\", disse o Presidente da República João Lourenço.
Assim sendo, o Chefe de Estado angolano também apelou aos antigos desportistas a tomarem a iniciativa de gerir as infra-estruturas como o Centro de Estágio de Viana.
\"Talvez pudéssemos confiar nas velhas glórias das diferentes modalidades, organizadas em empresas e com o apoio inicial do Estado, ou numa outra solução. Estamos aberto a ouvir contribuições; não podemos continuar a observar impávidos e serenos ao que se está a passar\", disse o Presidente da República..
O Centro de Estágio de Viana comporta departamentos inoperantes e operacionais. Estão em funcionamento o Centro Médico, Ginásio e Restaurante. Além de servir os desportistas, a população está convidada a beneficiar daqueles serviços. O Estado, por meio das suas agências tributárias, tem mais uma fonte de receita.
Outros serviços, que podem engrossar os bolsos do investidor e do Estado, são a piscina, o pavilhão multiusos, o campo de futebol e a hospedaria. As quatro infra-estruturas carecem de investimentos. Os potenciais candidatos são chamados sem temer o mercado. O retorno pode ser feito em curto espaço de tempo. O Estado angolano dá garantias.
\"O papel do Estado será, sobretudo, o de agente coordenador e regulador de todo este processo, criando as condições necessárias para que os investimentos do sector privado, quer nacional, quer internacional, encontrem o ambiente necessário que assegure um retorno satisfatório e adequado do capital investido\", garantiu o Presidente da República.
A recuperação do Centro de Estágio de Viana deve constar da agenda do Conselho Consultivo da Juventude e Desportos, a decorrer amanhã em Luanda. É a oportunidade para se definir o destino das infra-estruturas desportivas nacionais, se se pretende \"pôr um freio e mesmo a anular algumas das práticas, que mais lesavam o erário (público) e os interesses da grande maioria do nosso povo\", como disse o Presidente da República, João Lourenço. Francisco Carvalho

Últimas Opinies

  • 14 de Dezembro, 2019

    Dcimo lugar reflecte sentido do dever cumprido

    O décimo-quinto lugar conseguido na 24ª edição do Campeonato do Mundo disputado na cidade japonesa de Kumamoto, melhorando o 19º conquistado há dois anos, na Alemanha, constitui uma safra boa.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os nossos atletas estão a corresponder com aquilo que nós almejamos, tentar fazer sempre o nosso melhor, no sentido de disputarmos um campeonato tranquilo para que consigamos, também, na parte final do campeonato, termos essa tranquilidade e a permanência assegurada.

    Ler mais »

  • 14 de Dezembro, 2019

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

Ver todas »