Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Policarpo da Rosa

DAgosto e Petro tm adversrios difceis

01 de Março, 2018
As equipas angolanas tiveram uma safra positiva, na primeira jornada das Afrotaças. Os dois representantes nacionais cumpriram com os seus deveres e continuam na caminhada para atingirem a fase de grupos das provas em que estão engajados.
O 1º de Agosto deixou pelo caminho o Platinum do Zimbabwe, por 5-1 no somatório dos dois jogos (3-0 e 2-1), a contarem para as preliminares de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, enquanto o Petro de Luanda superou o Masters Security, venceu-o em casa por 5-0 e empatar a zero no terreno do adversário, para a Taça da Confederação.
Depois desta fase, em que os seus opositores não tiveram capacidade para superar o melhor índice competitivo demonstrado durante os 180 minutos da eliminatória, a situação pode mudar de figura na próxima eliminatória, já que os adversários apresentam uma estrutura organizativa e competitiva superior.
Na derradeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, o 1º de Agosto vai medir forças com o Bidvest Wits, campeão em título da Áfrca do Sul. Um adversário de calibre diferente do Platinum do Zimbabwe, embora, esta temporada esteja com performances aquém do esperado.
A equipa sul africana está actualmente na 8ª posição com 28 pontos, depois de 7 vitórias, 7 empates e 8 derrotas. A equipa chega ao encontro com os militares depois de um empate (0-0) fora com o Superspot United, por sinal, o adversário do Petro de Luanda.
O Bidvest Wits não vive um grande momento para os padrões do clube, visto que os números que apresenta esta temporada ficam aquém dos conquistados em 2017, entra em campo com tranquilidade como foi possível observar na jornada passada. Aliás, a equipa está a recuperar de jornada a jornada, depois de estar entre os últimos classificados na tabela geral.
A solidez defensiva não costuma ser o ponto forte, já que sofreu, pelo menos, um golo em cada um dos últimos 5 jogos, mas o ataque marca com regularidade, aliás, marcou pelo menos um golo em cada um dos últimos 5 jogos para a competição, à excepção da jornada do último fim de semana. Nos seus jogos há tendência para golos.
Perante estes números, não resta alternativa ao 1º de Agosto senão encarar o jogo de quarta-feira com alguma destreza, de modos a alcançar um resultado que permita encarar os derradeiros 90 minutos com segurança.
O grande adversário da equipa militar é a falta de jogos. O 1º de Agosto até aqui disputou três jogos oficiais, dois para as competições africanas e um para o Girabola. O Bidvest Wits, por seu turno, leva 22 jogos do seu campeonato e mais dois das Afrotaças. Uma diferença abismal que pode influenciar negativa nas contas finais da eliminatória.
Não restam dúvidas, que o 1º de Agosto vai ter pela frente um jogo complicado, difícil, como é lógico. O opositor para além da qualidade individual, tem uma estrutura táctica organizada, com forte coesão defensiva e muito eficaz.
A tarefa do Petro de Luanda afigura-se complicada, vai ter pela frente uma equipa também oriunda da África do Sul: o Supersport United, que é simplesmente o vice - campeão da Taça da Confederação. O ano passado disputou a final da competição com o TP Mazembe, perdeu no terreno do adversário (2-1) e empatou em casa (0-0), por isso, um adversário de respeito e que tudo pode fazer para manter o seu estatuto na prova.
O Supersport United está a fazer uma campanha muito abaixo do esperado, nessa edição do campeonato sul-africano. O clube não atravessa uma boa fase, visto que ocupa a 12ª posição na tabela classificativa com 26 pontos, fruto de 6 vitórias, 8 empates e 8 derrotas.
A equipa pontuou na última rodada do campeonato, dominou o Bidvest Wits que é o adversário do 1º de Agosto, mas arrancou apenas um empate. O treinador mexe frequentemente na configuração táctica da equipa, mas a meta traçada continua longe do previsto.
Acredito, piamente, nas hipóteses de apuramento dos nossos dois representantes, embora, esteja consciente de que vai ser extremamente difícil. Se entretanto, o 1º de Agosto e o Petro de Luanda não encararem os primeiros 90 minutos com atitude correcta para atingirem a fase de grupos, então, tudo ficará mais difícil.
O objectivo das duas equipas é ir o mais longe possível, e numa análise muito sucinta digo que as hipóteses de cada, são 50-50. São duas equipas com alguma experiência a esse nível. Agora, o que conta é o que fazer no relvado, aí, não há favoritos.
Serão dois jogos intensos e os seus jogadores têm de entrar em campo com grande responsabilidade. Vão ter de utilizar as suas armas, que não são poucas! E, acima de tudo, encontrar a melhor forma de abordar os jogos.

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »