Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

DAgosto sonha com o ttulo Africano

27 de Setembro, 2018
Depois de eliminar o TP Mazembe, a segunda equipa mais titulada de África, em plena cidade de Lubumbashi, com mais de 18 mil almas como testemunhas, o tricampeão Angolano, 1º de Agosto, entrou por mérito próprio na lista de candidatos ao título continental.
Pela forma astuta como o nosso campeão engendrou o plano para eliminar os Congoleses do TP Mazembe, podemos sonhar com a final e até mesmo, discutir o título com qualquer das três equipas apuradas para as meias finais.
Talvez, alguns cépticos possam dizer que é arrogância à mais, o 1º de Agosto pensar em ser campeão Africano, porque teve a sorte de eliminar o TP Mazembe. Quem assim pensa é livre de fazê-lo. Porém, uma coisa é certa: o 1º de Agosto justificou e bem a sua presença nas meias finais.
Não foi por mera sorte que o campeão Angolano está a beira de chegar à final da Liga dos Campeões Africanos. Ao longo da trajectória até ao célebre jogo com oTP Mazembe, os rubro- negros perderam duas vezes: na África do Sul com o campeão local, por 1-0, depois de ter vencido em casa também por uma 1-0 e com o Mbambane da Swazilândia, em casa deste, também, por 1-0, mas acabou por vencer em Luanda, por 2-1.
Portanto, o percurso do 1º de Agosto até chegar à esta fase, indica claramente, que não foi por acaso que aí chegou. Muito pelo contrário, é forte indicativo de que há trabalho de verdade. A equipa está a mostrar atitude, inteligência e acima de tudo determinação, especialmente, no jogo com o Zesco Unitd da Zâmbia, no Estádio 11 de Novembro, quando depois da estar a perder por 1-0, em 15 minutos virou o resultado a seu favor, venceu por 2-1.
É digno de realce, que este jogo do 1º de Agosto é que fez com que o público angolano, ou seja de Luanda, fizesse às pazes com o futebol angolano, pois, andaram muitos anos de costas viradas. Até os Palancas Negras já se estão a beneficiar disto, como vimos no jogo com a selecção do Botswana, em que arrastaram mais de 45 mil pessoas, o que não se via desde o tristemente célebre jogo Angola – Mali, para o CAN de 2010.
Vale recordar, que além do 1º de Agosto, estão apuradas para as meias finais, o Al-Ahly do Egipto, o líder do Rankink da CAF, com oito títulos na bagagem, o Esperance de Tunis, da Tunísia, com dois troféus conquistados em 1994 e 2011e o Setif, da Argélia, que tal como o 1º de Agosto, são as grandes surpresas.
O 1º de Agosto começa a odisseia rumo à final com o Esperance de Tunis, uma equipa que conhece bem, com quem jogou para uma final da taça Nélson Mandela, em 1999 (?) só não venceu porque o grande Assis, falhou uma grande penalidade, em plena Cidadela desportiva, depois de um empate em Tunis por 1-1, se a memória não me atraiçoa.
Assim, se o campeão angolano eliminar o Esperance de Tunis, pode disputar a final com o Al-Ahly ou o Sertif. Em função dos níveis que o 1º de Agosto atingiu por causa deste sucesso, põe em sentido às demais equipas que lutam pelo troféu, o que significa dizer, que todas elas têm grandes probabilidades de vencer com um sinal mais para os egípcios e tunisinos, pelo seu histórico a nível do continente.
Por isso, ZoramMaki vai ter de fazer uma grande “manutenção” na principal arma que tem à disposição: a mente dos jogadores. Sim, é necessário e importante fazer-se trabalho psicológico aos jogadores. Esta tarefa não deve ser entregue, apenas, ao treinador, também à direcção do clube que tem de organizar bons “motivantes”. Boas “vitaminas” de inspiração.
Em certa ocasião, numa entrevista que fiz ao grande Armando Augusto Machado, ex. presidente da Federação Angolana de Futebol e do Petro de Luanda, perguntei-lhe qual a fonte do sucesso do Petro de Luanda no seu tempo. Ele contou uma experiência que viveu num jogo entre o seu Petro e o 1º de Agosto, e disse: “ ao intervalo nós perdíamos por 1-0, com golo de Vieira Dias e o homem estava muito inspirado”.
“ Entrei para o balneário, falei com a rapaziada e dobrei o prémio de jogo. Na segunda parte, todos os jogadores do Petro, estavam transformados. Eles já eram bons tecnicamente, todavia, aquela “injecção” motivacional duplicou as forças dos rapazes”.
Queremos acreditar que em função do nível que o D’Agosto atingiu em África, por via da eliminação do TP Mazembe, a sua direcção liderada pelo general Carlos Hendrick, não deve poupar esforços, dinheiro e tudo o que for necessário fazer, para que pela primeira vez um clube angolano vença uma taça Africana de Futebol da CAF.
Dada a importância do troféu, para o país, também, queremos acreditar que este jogo com o Esperance de Tunis, e a provável presença do \"Pri\" na final da Liga dos Campeões, esteja a ser vista pelas autoridades do país como uma questão de Estado, e naturalmente, outros apoios possam surgir.
A tratar-se de uma questão de Estado, se este for o caso, todos os amantes do futebol e não só, devem-se rever no 1º de Agosto e aí, de certeza, que surjam muito mais apoios. Resumindo, o mais importante é o 1º de Agosto fazer a sua parte. Porque no que depender do décimo segundo jogador, está tudo garantido: apoiar o \"Pri\", incondicionalmente, até ao fim. Aconteça o que acontecer.
Augusto Fernandes


Últimas Opinies

  • Hoje

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se for convocado para a Selecção Nacional estarei disponível, porque é um sonho de todo jogador.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Desafios para 2020

    Hoje estamos a 19 dias do fim do presente ano gregoriano. É hora de se ir olhando para aquilo que foram as conquistas desportivas do ano que se apresta ao fim.

    Ler mais »

Ver todas »