Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Dar a Csar... o que de Csar!

28 de Março, 2017
Este Progresso da Lunda Sul onde agora se deve dar boas condições ao técnico Albano César, algo como dar a César o que é de César, já deu que falar, quando 20 anos depois reapareceu na alta roda do futebol nacional ( Girabola): em 2015 ficou logo na sexta posição, e ainda por cima, considerada, então, equipa sensação.

Nunca ninguém veio a terreiro, assumir quanto rios de dinheiro a equipa fez correr, para ter na altura jogadores de nomeada.Depois, em 2016, quando Kito Ribeiro foi apresentado como treinador, não teve receio de assumir que não temia adversários de peso, como o 1º de Agosto. E, até garantiu que ia classificar a equipa entre os três primeiros lugares.

Colocou a equipa em quarto lugar. Acho, que não fez má figura. Porque, se chegou a dizer, que \"sabemos que somos ainda pequenos e vamos trabalhar na base desta humildade, para fazermos resultados positivos e competirmos de igual para igual, respeitando os adversários\", é porque cumpriu a sua missão.

Neste, a direcção não soube esperar. Acho, que sob o seu comando podia jogar para os lugares de cima. Mas a porca só torce o rabo, como soe dizer, quando o prometido não é devido.

É a meu ver a razão, que neste ano de 2017, Kito Kibeiro já lá não estava, cedeu lugar a Paulo Figueiredo.E deixa-me recordar, que ainda o ano passado, a direcção do Progresso da Lunda Sul, sobre algumas questões levantadas por alguns pupilos de Kito Ribeiro, considerou-as infundadas e eivadas de irresponsabilidades. Acusou o técnico Kito Ribeiro, como parte do problema instalado.

Então, quem trabalhou e conseguiu o quarto lugar, não devia ser tratado como aconteceu. Eu acho, que Paulo Figueiredo não fez a devida leitura do quadro, que ditou a saída dos seu antecessor Kito Ribeiro. Sem todas as garantias, para um bom trabalho, foi às cegas orientar uma equipa sem a mesma motivação do ano passado.

Arriscou-se à chicotada, porque com o mínimo, somou um ponto em seis jogos, cinco derrotas e um empate, somente marcou três golos e com uma das defesas mais batidas com 14 golos sofridos. A pergunta, agora, é mesmo esta: Albano César, por sua conta e risco, assinou um contrato de dois anos, vai superar as marcas negativas ?

Tem todas as garantias das Organizações Santos Bikuku, como seu patrocinador oficial, para conseguiu o desafio a que se propôs? O clube continua com um estável orçamento, para conseguir reforços, na segunda volta, e atingir o quarto ou o terceiro lugar?

Quando, 20 anos depois, o Progresso da Lunda Sul regressou a primeira divisão tinha um orçamento para reforços de “luxo”, fazendo a direcção do clube abrir os cordões à bolsa.

Sei, que por 300 mil dólares, chegou a contratar no Congo Democrático o médio Hervé Ndonga, à conhecida equipa do TP Mazembe.Hoje, se a favor do clube , o governo da Lunda Sul ainda bate à porta da Endiama, no sentido de suportar a equipa, então é caso para dizer que Albano César vai ter de sacrificadamente contentar-se com os atletas deixados por Paulo Figueirado, entre eles o atacante Simon, contratado ao Vita Club de Kinshasa. António Felix

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »