Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

De pedra e cal

21 de Julho, 2015
O Recreativo do Libolo mantém-se de pedra e cal na liderança do Girabola. Embora haja pela frente muito caminho a percorrer, - o campeonato nacional só vai na segunda jornada da segunda volta - a equipa de Calulo a cada jornada joga com os olhos postos na revalidação do título.Sem dar margem aos seus mais directos perseguidores, jornada após jornada, revela consistência e segurança na caminhada em direcção ao quarto título.

No comando do campeonato, desde a nona jornada, o Recreativo do Libolo mostra que é de facto o campeão em título, defende a ferro e fogo o seu estatuto.No último fim de semana, voltou a evidenciar isso, ao sair ileso de mais uma “tentativa de aniquilação,” por parte daqueles que são os seus concorrentes directos no mini campeonato do título. Os pupilos de João Paulo foram a Luanda, derrotaram o também candidato Kabuscorp do Palanca, no terreno deste, alargando a vantagem pontual para nove pontos, o que acaba por dar um certo conforto no topo.

A mais recente vitória por 3-2, sustenta a ambição que o representante do Cuanza Sul carrega consigo. Quer em casa como fora, encara os jogos com o mesmo entusiasmo e determinação. Joga deliberadamente ao ataque, tanto com os que são do “seu” campeonato como com os de “outro,” entenda-se os que não lutam pelo título.

O resultado, tem sido a liderança da prova, há nove jornadas consecutivas, ou seja, desde a ronda nove, quando afastou o Interclube do comando. Os números revelam a pretensão ambiciosa. Em 17 jogos, os calulenses estão com um saldo de dez vitórias, seis empates, uma derrota, 27 golos marcados e 13 sofridos. A estatística é positiva, mas para chegar ao objectivo precisa de manter a regularidade, sob pena de colocar tudo a perder.

Com 39 pontos em disputa, as equipas lutam e continuam a sonhar pelo título, isto é, com o desejado troféu de campeão, apesar de estarem a cada jornada a distanciarem-se mais do líder. À excepção do Benfica de Luanda, que mantém em alta a pressão, não se assume como candidata, porém, o Kabuscorp do Palanca, 1º de Agosto e Interclube experimentam dificuldades na passada para acompanharem o Libolo.

Com nove pontos (36-27) a separá-las das duas primeiras equipas, dez (33-26) da terceira, o Recreativo do Libolo respira à vontade, encara os jogos que tem pela frente sem a pressão dos seus concorrentes, que correm atrás do prejuízo para inverter o quadro.Por agora, este é o quadro da liderança do campeonato, que tem o Libolo o mais sério candidato ao título, ainda que as outras acreditem ser possível chegar lá.

O Benfica de Luanda, não obstante ter negado a candidatura, está, implicitamente, a jogar para o título e nesta altura, é a pedra no sapato do campeão nacional. Apesar de tudo, ainda temos muito campeonato pela frente.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »