Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Derrota futebolstica!

08 de Fevereiro, 2018
Em questões que arrastem multidões, e com impacto de interesse colectivo público, desaconselha-se a postura de cinismo. A aridez deste sentimento, o cinismo por si só transporta uma carga negativa e não abona a que as janelas do diálogo se abram com naturalidade, para o que é a sua missão: deixar que as desinteligências sejam resolvidas com minudência urbanidade.
Por exemplo, o diálogo encontra – ou faltou no devido tempo - dificuldades para iluminar as janelas de duas \"enormíssimas\" instituições do país: a FAF – Federação Angolana de Futebol e o Clube Desportivo 1º de Agosto.
No centro da polémica está a suspensão por 70 dias, de seis jogadores do clube \"rubro -negro\", por supostamente se recusarem – por razões até agora não bem explicadas – a vestirem as cores do combinado nacional. Perante este cenário, com castigo à moda da \"doutrina de padrasto\", urge questionar: A direcção da FAF agiu de boa-fé, na aplicação da pena? A direcção do glorioso terá perdido o sentido patriótico?
A lógica do dia-a-dia é clara, a dar respostas a estes questionamentos: dialogar sem cinismo, com alma sã, fazer o impossível em busca de consensos, quando se há interesses das partes dialogantes, é o caminho. Nenhuma das partes pode sair penalizada na defesa dos projectos traçados.
O discurso de força abraçado pela FAF, de colocar em causa o “sentido patriótico” do clube afecto às Forças Armadas Angolanas, pode ter provocado que as janelas do diálogo se fechassem, que deixou o órgão reitor do futebol nacional numa posição negra, por falta de habilidade em convencer o afiliado de doutíssimos argumentos.
É que a direcção da FAF, ao punir com 70 dias, seis jogadores da equipa que vai representar o país nas Afrotaças, corre o risco de incorrer num crime \"doloso\", por uma fraca e desconseguida prestação do 1º de Agosto na competição e de prejuízo à imagem futebolística, que há anos procura sair do abismo no “Ranking” da CAF e da FIFA. Se é que há estes interesses para se inverter à baliza - das -derrotas.
Todavia, é compreensível a posição da FAF, a mostrar autoridade e transmitir aos clubes que ninguém está acima da lei, mas a medida pode ser vista como um \"inútil\" argumento para esconder as fissuras de um edifício sem janelas, que com o castigo aplicado pode beliscar a participação do clube militar nas Afrotaças.
Se o braço - de -ferro persistir, até ao dia da estreia \"rubro - negra\" na competição africana, pode dessacralizar a honra da pátria futebolística que nos últimos meses está com um ar incomparavelmente mais respirável, desde que João Lourenço assumiu o leme do país.
Todavia, muitos são os agentes -públicos – desportivo - que insistem em actuar em posição de fora - de -linhas, por cinismo, desconhecimento, vaidade, animosidade ou defesa de interesses opacos, a prejudicar todo um equilíbrio social que a força do desporto, no caso, o futebol que tem para as grandes paixões humanas. É e será fatal espicaçar o 1º de Agosto – enquanto representante de Angola nas Afrotaças – por uma medida que (pode ser reanalisada e invertida) pode ter exclusiva e simplesmente, um derrotado: o nosso futebol!
MIGUEL ÂNGELO *

Últimas Opinies

  • 18 de Agosto, 2018

    Cartas dos Leitores

    Foi uma vitória muito importante para nós, mas também muito suada e muito difícil, diante do Domant que apareceu bem. Dou os parabéns a eles e aos nossos jogadores.

    Ler mais »

  • 18 de Agosto, 2018

    Fora campeo!

    O 1º de Agosto volta entrar em cena hoje nas Afrotaças. Os ainda campeões em título do Girabola Zap, estão na Tunísia, onde terão uma tarefa colossal, diante do Étoile du Sahel.

    Ler mais »

  • 18 de Agosto, 2018

    Recuo de Manuel Silva!

    A honestidade é, seguramente, uma das virtudes que um ser humano deve preservar, independentemente das circunstâncias que a própria vida às vezes nos coloca.

    Ler mais »

  • 16 de Agosto, 2018

    O legado de Pepino

    O pais contínua em pranto pela morte de Alberto da Silva ( Pepino ), ocorrida na passado dia 12 do corrente em Benguela, sua cidade natal. Pepino, foi, sem margens para dúvidas, um dos maiores, se não mesmo o maior desportista Angolano dos últimos 100 anos!

    Ler mais »

  • 16 de Agosto, 2018

    O futebol faz diplomacia

    A minha primeira viagem para Europa foi dentro da casa, onde vivia com os meus pais no município do Cazenga. Através das vozes sonantes de Arlindo Macedo, Zeca Martins e Vaz Kinguri, vindas de quatro colunas de uma estação radiofónica chamada de 5. O grande programa "Fora de Campo" da Rádio Eclésia e as manhas desportivas da Rádio 5, davam-me uma graduação universitária em geopolítica. 

    Ler mais »

Ver todas »