Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Do telgrafo de Geraldo fotografia de Rui campos

07 de Fevereiro, 2017
Há dias, o técnico principal do 1º de Agosto, Dragan Jovic, antes de descer ao relvado com a sua equipa, para defrontar o Libolo na Supertaça, dizia que o jogo colectivo seria a principal atracção do seu conjunto na época 2017, ao contrário do individualismo que sobressaiu e predominou a época passada. Tomei nota disso.

Porque Geraldo deu a ver um golo muito rápido, como telégrafo, logo, aos três minutos, isto claro está...com a ajuda dos seus colegas, para a vitória, por 1-0, que levou o presidente do Libolo a mandar as “bocas” que mandou, inclusive atirando-se contra os jornalistas. Desta forma ele ficou mal na fotografia! Afinal, perde-se com dignidade e ganha-se com respeito!

Deve saber que Supertaça é Supertaça e campeonato é campeonato. Essa é a pura verdade; o campeonato faz-se de jornada a jornada, a bola é redonda, o campo é rectangular e os resultados...só no fim do jogo. O D´Agosto ganhou lindamente.

E os jogos ganhos é que determinam as conquistas de um campeonato. Para a abertura das “hostilidades” é claro que a equipa militar saiu de cabeça erguida. Saiu do campo a sorrir devido àquela vitória, por 1-0, mas pela frente, ao longo da época, existem outras equipas dispostas a destilar” igualmente o seu fio de futebol nesta época.

Por esta razão não já faz sentido, à malta do 1º de Agosto, que este ano o 1º de Agosto vai arrasar. Premeditar assim é a mesma coisa que pensar no mar não há baleias. Vi, ouvi e li, até mesmo de jornalistas, analistas, comentaristas - e não devia ser assim...pois o trabalho deve ser desapaixonado - embarcando todos no jeito fanfarrão de fazer profecias ganhadoras para o 1º de Agosto.

Os sócios, dirigentes e adeptos de outras equipas também terão a soberana oportunidade de ver jogar os seus planteis e tiraram as “medidas” ao campeão 1º de Agosto. Aliás, quem no domingo foi ao campo do Catetão ver o Petro de Luanda a exibir o seu plantel, no jogo particular com o Desportivo da Huila, sabe que os tricolores deixaram um grande “recado” ao 1º de Agosto. A vitória por 2-0 mostrou que a formação tricolor tem plantel para todas a encomendas, se os árbitros “desta vez” forem mesmo “árbitros de verdade”...

Os brasileiros Toni e Rómulo assim como o angolano Nandinho, são reforços de peso que o Petro de Luanda. Podem e vão na certa dar trabalho ao 1º de Agosto que o ano passado viu partir as estrelas cintilantes que são Gerson e Ary Papel.

Também estive atento, de Dezembro a Janeiro, ao estágio que a maioria das equipas realizou em Benguela ( a crise económica e financeira impediu deslocações para Portugal, Brasil, África do Sul e outras paragens daqueles tempos das vacas gordas...) e observei que este ano a luta vai ser grande, porque todas elas fizeram os investimentos possíveis no sentido de fazerem boa figura no campeonato.

O Interclube, o Kabuscorp do Palanca, o Progresso do Sambizanga e mesmo o Sagrada Esperança, deixaram boas impressões e, portanto, é muito cedo para o 1º de Agosto dizer que o campeonato já são favas contadas.

Mesmo até porque, no 1º de Agosto, o seu técnico, Dragan Jovic, foi sincero, mas muito sincero mesmo. Há dias ele disse o seguinte:
“Temos uma equipa para fazer boa temporada. Contratámos jogadores com qualidades capaz de proporcionarem bons espectáculos e resultados satisfatórios, apesar de faltar ainda um ponta de lança fixo que a curto prazo será encontrado”.

O seu adjunto, Ivo Traça, também não mentiu. Poreque são dele estas palavras: “Jogamos o suficiente para vencer. Defrontamos uma grande equipa (Libolo) e conseguimos vencer, mesmo sem praticar ainda o futebol que pretendemos”.

E são os próprios treinadores que honestamente dizem ainda querer um ponta de lança que jogue com cabeça, tronco e membros ( membros inferiores, pois claro!), então como é que os “outsiders” nestas coisas de orientação já estão a adiantar-se ao técnico? Saber esperar, é uma grande virtude!
António Felix

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »