Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Eleies no basquetebol e a Providncia Cautelar

03 de Janeiro, 2017
De regresso às páginas deste jornal, antes de tudo, desejamos um ano novo cheio de prosperidade a todos os leitores, sobretudo àqueles que acompanham o mundo apaixonante dos desportos, por via deste jornal de especialidade, que vaidade à parte, é o único no País.

Voltámos com a vontade de sempre, com forças retemperadas, esperanças renovadas e o desejo de fazer mais e melhor nos temas eleitos para as abordagens semanais, ou seja, ao compromisso fiel que convosco estabelecemos às terças-feira, neste espaço.

E, hoje não é diferente, pelo que cá estamos para falar das eleições na Federação Angolana de Basquetebol marcadas por “conflitos” que em nada condizem com o prestígio que a modalidade granjeou no continente berço da humanidade e não só.

Como que de imitação ao que sucedeu no pleito passado, que culminou com a ascensão de Paulo Madeira ao cadeirão máximo da modalidade, mais uma vez a bola foi lançada ao cesto do Tribunal Provincial de Luanda, e como resultado decorre acção de Providência Cautelar, imposta por integrantes da Lista A.

Dada a responsabilidade de nos comunicarmos com o prezado leitor, obrigamo-nos à consulta para compreender o que é a Providência Cautelar, na tentativa de elucidar os destinatários deste produto jornalístico, que tanto ou pior, desentendem destas coisas do direito.

Não pretendemos, nem por imaginação, substituir os especialistas na matéria, mas do nosso parco saber podemos dizer que Providência Cautelar é uma acção colocada em Tribunal, que suspende determinada coisa ou facto, e tem carácter de urgência.

Para o caso em concreto, ficam suspensas todas as acções que até então estavam a realizar em torno das eleições, que vão sufragar o próximo homem forte da Federação Angolana de Basquetebol, poleiro para o qual lutam Hélder Martins da Cruz e Paulo Madeira, respectivamente, pelas Listas A e B.
Partindo-se para o campo jurídico, ficamos com a necessidade de ver satisfeita a inquietação em relação ao estabelecido no artigo 46º da Lei do Desporto Nacional, sobre os órgãos competentes para a resolução dos litígios de natureza desportiva!..

Afora as considerações, que ficam para os especialistas em matéria de direito, somos de opinião que não se aproveitou ao máximo o papel de bons ofícios desempenhado pelo Ministério da Juventude e Desportos, que promoveu um encontro entre as partes envolvidas, e o entendimento foi de que as coisas estavam a ser recolocadas nos carris.

A boa nova funcionou como a alegria do pobre que dura pouco, momentos depois caírem por terra os avanços alcançados na citada reunião, que entre meios termos conseguiu que a Comissão Eleitoral considerasse a possibilidade da lista A concorrer, com um novo nome indicado para o cargo de Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Tomados por tais avanços, o confrade António Félix propôs que a nossa abordagem da semana anterior, por conseguinte a última do ano findo, fosse em torno do assunto, pois entendemos alcançados os consensos com os benefícios daí decorrentes, em abono da família do basquetebol.
Infelizmente, quando pensamos que hoje pudéssemos falar das novas datas para a campanha eleitoral e consequente dia das eleições, eis a “tal menina” Providência Cautelar que lançou mais achas na fogueira em que se incendeia o basquetebol angolano, para a tristeza da nação que apoia a modalidade.
Carlos Calongo

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »