Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Eliminao de lacunas na competio masculina

01 de Junho, 2015
Como previamente mencionado neste Plano, os nossos melhores jogadores jovens (18-21) estão deficientes em habilidades de jogos e maturidade competitiva, uma situação que existe, porque os mesmos não jogam bastante partidas competitivas contra oponentes de qualidade durante o período crítico de desenvolvimento. Embora exista competições como campeonatos provinciais, os jogadores nesta faixa etária não têm oportunidades regular para jogar contra os melhores jogadores do país.

á uma necessidade de introduzir jogadores jovens de (18-21) anos para:
Serem introduzidos no Girabola, campeonato nacional da 2ª divisão onde os clubes devem ser obrigados a utilizar em cada jogo 2 jogadores desta faixa etária;
•Quando possível, participar em competições das selecções provinciais e torneios inter –regionais;
•Criar campeonato de reservas;
•Ter um número suficiente de jogadores que possam satisfazer as necessidades do Girabola;
As equipas seriam predominantemente Sub 21, com regras que permitissem as equipas do Girabola incluir menores de 20 anos e outros que regressem de lesões.

Objectivos

•Introduzir uma competição que vêm das academias, CNT, e outros;
•Garantir que os jogadores dos CNT estejam envolvidos nesta competição;
•Criar oportunidades para os jovens treinadores que estejam no nosso processo de formação;
•Garantir que estes treinadores adiram ao Modelo Nacional de Treinamento ao trabalharem com estes jogadores;
•Criar oportunidades para os árbitros talentosos funcionarem nesta competição.

Eliminação de lacunas na competição feminina
O interesse das senhoras pelo futebol está a crescer em Angola, e com isto as oportunidades de competição precisam crescer. As jogadoras talentosas têm compromissos internacionais nas competições regionais e continentais, e deverão ser incluídas nos programas do CNT e também criar competições mistas (feminina/masculina). O PPDT determina que exista a necessidade de uma competição doméstica regular onde as melhores senhoras futebolistas Angolanas joguem entre si.
O novo campeonato nacional feminino de alta qualidade e perfil alcançará o previsto.

Objectivos

Estabelecer o Campeonato Nacional Feminino, com:
•Faixa de idade variada;
•Seis a oito equipas unidas a Institutos e Associações;
•Duração de temporada de 3 - 5 meses;
•Formatos que complementam as Competições Internacional.

•A "Organização e/ou Estrutura" deve trabalhar com investidores na implementação desta competição;
•Criar oportunidades para os treinadores talentosos trabalharem com estas jogadoras;
•Garantir que estes treinadores adiram ao Modelo Nacional de Treinamento ao trabalharem com estas jogadoras;
•Criar oportunidades para os árbitros talentosos participar desta competição;

•A "Organização e/ou Estrutura" deverá negociar com os principais clubes de Angola (1º De Agosto, Petro de Luanda, ASA, Inter de Angola e outros) a criação de equipas de futebol feminino como forma de envolver maior número de participantes.

Maiores benefícios financeiros para os empresários de jogadores

O Futebol é gerido por um conjunto de regulamentos abrangentes que são impostos pela FIFA.
Dentro destes regulamentos, e refletido nos Regulamentos de Inscrição Nacionais da FAF, a FIFA reconhece duas formas de pagamentos relacionadas a transferência de jogador:
•Compensação de treino - normalmente aplicável quando um jogador assina o primeiro contrato profissional; e
•Valores de transferência – pagos quando um jogador profissional em contrato com um Clube move para um outro.
Actualmente é difícil determinar, na via de desenvolvimento de jogador talentoso em Angola, quem está ajudar a melhorar a via de desenvolvimento do jogador. As propostas de iniciativas como o credenciamento e avaliação deverão tornar mais fácil de identificar os clubes que dão uma contribuição significante no desenvolvimento de um jogador individual como resultado da sua iniciativa particular. Como esta iniciativa está sendo implementada e os agentes se tornam envolvidos neste processo, os regulamentos da "Organização e/ou Estrutura" deveriam ser revistos afim de criar incentivos mais fortes para os Clubes, academias privadas, etc. para contribuir activamente no PPDT.

Objectivos
•A "Organização e/ou Estrutura" deve rever os Regulamentos de Inscrição depois que o sistema de credenciamento e avaliação se torne disponível aos agentes de futebol para garantir que os Clubes que jogam, um papel fundamental no desenvolvimento do jogador sejam adequadamente recompensados.
(*) TREINADOR DE FUTEBOL
ZECA AMARAL (*)

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »