Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Emirates s Emirates por culpa do marketing

29 de Outubro, 2018
A Emirates Airlines, mais conhecida como Emirates, é a principal companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos.Segundo informações disponibilizadas no seu site oficial, o grupo opera hoje em 6 continentes, com uma equipa de mais de 75 mil pessoas, abrangendo 160 nacionalidades. A companhia aérea de bandeira do Dubai possui hoje uma frota de última geração, que conta com mais de 230 aviões e voa para mais de 140 destinos em mais de 80 países.
Apesar de diversas vezes e ao longo dos anos, a Emirates ser reconhecida como companhia aérea de referência, em termos de qualidade da sua gastronomia, bem como pela diversidade de entretenimento a bordo dos seus aviões, para além da excelência dos serviços prestados, a marca Emirates decidiu reforçar a sua posição de líder em escala planetária, no mercado mundial da aviação civil, utilizando o desporto como parte da sua estratégia de comunicação global, estando particularmente activa no futebol, através de campanhas e parcerias bem-sucedidas de marketing desportivo. Porém, um olhar para o historial da relação de “casamento sem divórcio” da Emirates com o desporto, leva-nos ao ano de 1996, período em que começou a dar os seus primeiros passos como marca patrocinadora de impacto e notoriedade no desporto, quando se tornou a principal patrocinadora do maior evento de corridas de cavalos do mundo - o Dubai World Cup.
Já a sua relação especificamente com o futebol começou em 2001, quando assinou um contrato no valor de 24 milhões de libras para patrocinar a equipa de futebol do Chelsea, da Primeira Liga Inglesa, por quatro anos.
Em 2004, a Emirates assinou um contrato no valor de 100 milhões de libras com a equipa do Arsenal de Londres da Primeira Liga inglesa, considerada por muitos como a liga de futebol profissional mais mediatizada e mediática do mundo, incluindo os direitos do nome do novo estádio por um período de 15 anos e patrocínio da camisola da equipa por oito anos, a partir de 2006, quando o Arsenal fez o seu primeiro jogo no novo Emirates Stadium. Em 2011, tornou-se parceira e companhia aérea oficial do Real Madrid. Além dos patrocínios, em 2006 a Emirates fechou ainda uma parceria no valor de 195 milhões de dólares com a FIFA e comprou os direitos de exibição de cada jogo do Campeonato do Mundo na Alemanha, para serem transmitidos nos seus voos.
No campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, a empresa foi um dos parceiros oficiais. Além disso, em 2014, Pelé e Cristiano Ronaldo foram os protagonistas da campanha global da Emirates, actuando como embaixadores globais da companhia aérea, procurando ligar os adeptos e fãs do desporto em todo o mundo. Hoje, além do Sport Lisboa e Benfica (Portugal), do Real Madrid (Espanha) e do Arsenal (Inglaterra), a Emirates patrocina também o Paris Saint-Germain de França, o AC Milan da Itália, o Hamburgo da Alemanha e o Olympiacos da Grécia.
Segundo Sua Alteza Sheikh Ahmed Bin Saeed Al-Maktoum, presidente e pirector Executivo da Emirates Airline & Group, com quem tive o privilégio ímpar e a honra imerecida de trocar breves emails, por intermédio do seu gabinete de comunicação institucional, afirmou que \"considera os patrocínios e o marketing desportivo uma das melhores maneiras de estabelecermos ligações com os nossos passageiros. Elas permitem-nos partilhar e apoiar os interesses dos passageiros, estabelecendo uma relação mais próxima com eles\".
Sua Alteza realçou ainda que \"estamos particularmente activos no desporto, pois ele tem o poder de transcender fronteiras, inspirar e tocar a todos de maneiras muito pessoais\" e que \" o futebol é verdadeiramente um desporto global, a parceria nos permite compartilhar e apoiar os interesses de torcedores em todo o mundo, e construir uma relação mais próxima com eles\".
Pelo futebol ser um desporto de reconhecimento global, ele tornou-se importante para o portfólio de patrocínios da Emirates, que hoje é uma das marcas mais importantes na indústria do futebol.

*Mentor e Gestor Executivo do Fórum Marketing Desportivo

Últimas Opinies

  • Hoje

    Quem salva o ASA

    Campeão das edições do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão de 2002, 2003 e de 2004, respectivamente, o Atlético Sport Aviação (ASA), um clube cuja existência remonta desde o longínquo 1 de Abril de 1953, corre o risco de extinguir a sua equipa principal.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Vale a pena continuar a acreditar nos nossos representantes?

    A caminho da terceira jornada, os dois representantes angolanos na fase de grupos de Liga do  Campeões Africanos, continuam a decepcionar. Na primeira jornada, os militares perderam dois preciosos pontos na recepção aos zambianos do Zesco United, enquanto os petrolíferos foram goleados por três bolas a zero em casa do Mamelodi Sundowns da África do Sul.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Manter a esperana apesar do mau comeo

    Realizadas as duas primeiras jornadas da Liga dos Campeões Africanos, em que estão envolvidas, em representação de Angola, o Clube Desportivo 1º de Agosto e o Atlético Petróleos de Luanda, reservo-me ao direito de expressar o que penso sobre o desempenho das equipas angolanas, que considero ser deficitário não só em termos dos resultados, mas também da qualidade do futebol apresentado.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se for convocado para a Selecção Nacional estarei disponível, porque é um sonho de todo jogador.

    Ler mais »

  • 12 de Dezembro, 2019

    Desafios para 2020

    Hoje estamos a 19 dias do fim do presente ano gregoriano. É hora de se ir olhando para aquilo que foram as conquistas desportivas do ano que se apresta ao fim.

    Ler mais »

Ver todas »