Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Emirates s Emirates por culpa do marketing

29 de Outubro, 2018
A Emirates Airlines, mais conhecida como Emirates, é a principal companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos.Segundo informações disponibilizadas no seu site oficial, o grupo opera hoje em 6 continentes, com uma equipa de mais de 75 mil pessoas, abrangendo 160 nacionalidades. A companhia aérea de bandeira do Dubai possui hoje uma frota de última geração, que conta com mais de 230 aviões e voa para mais de 140 destinos em mais de 80 países.
Apesar de diversas vezes e ao longo dos anos, a Emirates ser reconhecida como companhia aérea de referência, em termos de qualidade da sua gastronomia, bem como pela diversidade de entretenimento a bordo dos seus aviões, para além da excelência dos serviços prestados, a marca Emirates decidiu reforçar a sua posição de líder em escala planetária, no mercado mundial da aviação civil, utilizando o desporto como parte da sua estratégia de comunicação global, estando particularmente activa no futebol, através de campanhas e parcerias bem-sucedidas de marketing desportivo. Porém, um olhar para o historial da relação de “casamento sem divórcio” da Emirates com o desporto, leva-nos ao ano de 1996, período em que começou a dar os seus primeiros passos como marca patrocinadora de impacto e notoriedade no desporto, quando se tornou a principal patrocinadora do maior evento de corridas de cavalos do mundo - o Dubai World Cup.
Já a sua relação especificamente com o futebol começou em 2001, quando assinou um contrato no valor de 24 milhões de libras para patrocinar a equipa de futebol do Chelsea, da Primeira Liga Inglesa, por quatro anos.
Em 2004, a Emirates assinou um contrato no valor de 100 milhões de libras com a equipa do Arsenal de Londres da Primeira Liga inglesa, considerada por muitos como a liga de futebol profissional mais mediatizada e mediática do mundo, incluindo os direitos do nome do novo estádio por um período de 15 anos e patrocínio da camisola da equipa por oito anos, a partir de 2006, quando o Arsenal fez o seu primeiro jogo no novo Emirates Stadium. Em 2011, tornou-se parceira e companhia aérea oficial do Real Madrid. Além dos patrocínios, em 2006 a Emirates fechou ainda uma parceria no valor de 195 milhões de dólares com a FIFA e comprou os direitos de exibição de cada jogo do Campeonato do Mundo na Alemanha, para serem transmitidos nos seus voos.
No campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, a empresa foi um dos parceiros oficiais. Além disso, em 2014, Pelé e Cristiano Ronaldo foram os protagonistas da campanha global da Emirates, actuando como embaixadores globais da companhia aérea, procurando ligar os adeptos e fãs do desporto em todo o mundo. Hoje, além do Sport Lisboa e Benfica (Portugal), do Real Madrid (Espanha) e do Arsenal (Inglaterra), a Emirates patrocina também o Paris Saint-Germain de França, o AC Milan da Itália, o Hamburgo da Alemanha e o Olympiacos da Grécia.
Segundo Sua Alteza Sheikh Ahmed Bin Saeed Al-Maktoum, presidente e pirector Executivo da Emirates Airline & Group, com quem tive o privilégio ímpar e a honra imerecida de trocar breves emails, por intermédio do seu gabinete de comunicação institucional, afirmou que \"considera os patrocínios e o marketing desportivo uma das melhores maneiras de estabelecermos ligações com os nossos passageiros. Elas permitem-nos partilhar e apoiar os interesses dos passageiros, estabelecendo uma relação mais próxima com eles\".
Sua Alteza realçou ainda que \"estamos particularmente activos no desporto, pois ele tem o poder de transcender fronteiras, inspirar e tocar a todos de maneiras muito pessoais\" e que \" o futebol é verdadeiramente um desporto global, a parceria nos permite compartilhar e apoiar os interesses de torcedores em todo o mundo, e construir uma relação mais próxima com eles\".
Pelo futebol ser um desporto de reconhecimento global, ele tornou-se importante para o portfólio de patrocínios da Emirates, que hoje é uma das marcas mais importantes na indústria do futebol.

*Mentor e Gestor Executivo do Fórum Marketing Desportivo

Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »