Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Equvocos comunicacionais da Federao de basquetebol

02 de Maio, 2017
Comunicar é a acção de dar a conhecer, divulgar ou informar, expor, noticiar ou veicular. Por sua vez, a notícia é um facto novo de interesse geral. Estas são algumas das definições \"de ponta\" e de memória permanente, recomendáveis aos dirigentes da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), presidida por Hélder Martins da Cruz \"Maneda\".

O desconhecimento das definições, parece levar os dirigentes da Federação, instituição de utilidade pública, a sucessivos equívocos comunicacionais na abordagem sobre a organização ou não, pelo País do Afrobasket.

Tema de interesse geral, os Jornais de Angola e dos Desportos, tal como os demais órgãos de comunicação nacionais, que por via do seu objecto social e responsabilidade de informar ajudam a formar e a diversificar opiniões, estavam ávidos e sem ruídos, ouvir um esclarecimento à \"Nação\", na voz de alguém de direito ligado à Federação Angolana de Basquetebol, fosse ela qual fosse.

Qual não foi o espanto, depois de contactado pelo Jornal de Angola, no sábado dia 22 de Abril, e da promessa de prestar informação aquando do seu regresso ao País, proveniente da cidade de Bamako, palco do congresso da FIBA-África, onde foi alinhavado o provável acolhimento da competição por Angola, \"Maneda\" colocou-se só e apenas à disposição da LAC, que na quinta-feira dia 27, por via do programa Desporto Total da Televisão Pública de Angola (TPA), no qual abordou e supostamente \"dissipou\" alguns ruídos frequentes e constantes na comunicação institucional daquela Federação.

É legítimo comunicarmo-nos com mais e maior frequência, com as pessoas ou instituições com as quais nos identificamos, mas não é menos verdade que se trata de um assunto de interesse público, sobretudo pelo direito a nós (e aos demais cidadãos) reservado, enquanto contribuintes.

Ir ao programa e nele informar questões relativas ao provável acolhimento do Afrobasket, foi sem qualquer ciúme para com as duas estações de audiovisuais, excluir os demais órgãos \"parceiros\" da FAB, que durante anos sem conta têm estado na incansável missão de dar abrangente cobertura à modalidade, sem olhar a nomes de dirigentes eleitos, seleccionadores contratados ou jogadores convocados.

Emitido o comunicado, chegado ao correio electrónico, apenas às 20h29 (tarde de mais) do dia acima referenciado, era suposto estarem dissecadas as dúvidas quanto à realização de uma esperada conferência de imprensa, na qual tudo seria abordado sem tabus. Ao proceder deste modo, a Federação pode dar mostras da sua preferência comunicacional, enquanto instituição de utilidade pública. Pois, no contexto concreto, não haveria tão pouco caberia direito à exclusividade para qualquer órgão. A igualdade de direitos era exigida.

E, na eventualidade de só e apenas comunicar por nota, esta tinha de ser enviada para todos os órgãos, sem excepção, às primeiras horas da manhã, para desse modo permitir a elaboração cuidada dos textos jornalísticos. E, quiçá, colocar algumas perguntas aos responsávei da FAB, se necessidade houvesse. Na ocasião, ao presidente da Federação coube ainda o condão, de em primeira-mão anunciar a escolha de Raul Duarte, para assumir o cargo de presidente da comissão técnica, nova designação instituída pela FAB, pois antes a terminologia era director técnico nacional.

O ruído constante, caros dirigentes, dá \"ocasião\" à especulações e à falâcias levianas, vezes sem conta. Por outro, o discurso de campanha onde a inclusão era um dos \"chavões\", parece ter ficado na \"esquina\" a seguir ao dia 18 de Fevereiro deste ano. Lamuriar quando não somos percebidos, só tem razão de ser, quando não comunicamos. Daí, a necessidade de \"comunicar e bem\", para não dar azo à falácias, suposições e cogitações.
ANAXIMANDRO MAGALHÃES

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »