Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Srgio V. Dias

Era possvel fazer muito mais e melhor

07 de Abril, 2021
Passados os tempos de inquietação derivados da guerra que assolou o país por quase três décadas, hoje caminhamos há quase 20 anos desde que se testemunhou o calar das armas a 4 de Abril de 2002. E ontem o país assinalou, precisamente, 19 anos da conquista deste bem supremo, que enche de orgulho milhares e milhares de angolanos.
Como é óbvio, a paz, palavra que deriva do latim ‘pax’ e em sentido lato significa ausência de guerra, trouxe benefícios incomensuráveis para o país. Graças à conquista desta em 19 anos Angola testemunhou melhorias significativas em vários domínios da vida social e particularmente no campo desportivo, como parte integrante desta.

Em quase duas décadas da efectivação da conquista da paz, que a par da Independência Nacional constitui dos bens mais supremos da nação, Angola alcançou vários títulos internacionais, com realce para modalidades como o basquetebol e andebol, além de várias medalhas no atletismo paralímpico e outras disciplinas individuais.
E como a grandeza de um país mede-se pelas suas infra-estruturas, a realização no país de eventos como a Taça de África das Nações em de futebol de 2010, bem como dos Campeonatos Africanos de Basquetebol e Andebol permitiram a edificação de muitos recintos de apoio ao desporto. Isto além de elevar a auto-estima da população das regiões onde ambos foram erguidos, permitiu o fomento da prática desportiva.

Facto caricato é que muitas destas estruturas erguidas no âmbito do Campeonato Africano das Nações (CAN), do Mundial de Hóquei em Patins, que por conseguinte o país albergou em 2013, bem como das provas continentais de basquetebol e andebol não têm a serventia para que foram criadas. Portanto, muitos dos campos e pavilhões multi-usos servem outros fins e não propriamente o desporto. Isto é algo contraproducente.
Agora uma pergunta se impõe fazer: o número de infra-estruturas construídas ao longo destes 19 anos de paz efectiva corresponde às expectativas? A resposta clara seria não, obviamente. E isto porque efectivamente poder-se-ia ter feito muito mais.
Convenhamos reconhecer o esforço empreendido pelo Executivo nesta era de paz, mas também em oposição a este facto viu-se um grupo de ‘iluminados’, a coberto de funções de proa na governação do país, a dar descaminho a avultadas somas do erário público para servir interesses próprios e de seus correligionários. Isso emperrou o próprio desenvolvimento do país e particularmente do tecido desportivo nacional.

Tem de se dar a mão à palmatória e não se fugindo, como é óbvio, com o rabo à seringa, para reconhecer esses graves atropelos cometidos ao longo desse período. Agora espera-se, sim, que o actual elenco encabeçado pelo Presidente João Lourenço consiga, de facto passar por cima da situação, com o combate cerrado que vem empreendendo à corrupção, ao nepotismo e a outras práticas nocivas ao bom exercício da governação. De resto, depois de ao longo destes anos Angola ter dado provas da sua grande capacidade de organização de eventos e, no caso do desporto-rei, particularmente, lograrmos a qualificação ao Mundial de 2006, na Alemanha, e juntando a isso a conquista do Campeonato do Mundo e Africano, pela Selecção Nacional de futebol adaptado, em Guadalajara (México) e no país, em 2018 e 2019, respectivamente, temos de acreditar que era possível fazer muito mais e melhor pelo nosso desporto...

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »