Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Falso assunto Bento Bianchi

15 de Setembro, 2017
Beto Bianchi” é o cara, como os brazucas nos influenciaram a fazer referência a alguém que sobressai por algum motivo. O motivo que torna célebres algumas pessoas nem sempre são uniformemente aceites como bons.

Em Novembro de 2015, o site do Petro de Luanda anunciava a contratação de Bianchi, como parte da estratégia para trazer o clube novamente ao convívio dos grandes, já que tinha "conseguido" o 8º lugar, seu pior registo na classificação do Girabola daquele ano.

Quando alguém se liga ao Petro de Luanda, às vezes, não tem como manter-se no anonimato, vira assunto. Sendo o Petro um clube que, no meu orgulho de adepto, digo que é da maioria dos angolanos, Bianchi não escapou à tendência e tornou-se assunto.

Primeiramente assunto do cepticismo, porque afinal não tinha vindo de nenhum clube cuja grandeza as pessoas podiam comparar com o Petro. O mesmo se pode dizer dos resultados que trazia no currículo.

Quando levou o Petro ao segundo lugar do campeonato, mesmo com a aposta do clube em atletas jovens, então passou a ser mesmo assunto certo. Devolveu alguma alegria aos adeptos.

Chamou a atenção. Tanto que a Federação Angolana de Futebol não hesitou em negociar com o Petro para que Bianchi ceda parte do seu "saber" à selecção nacional. O contrato foi feito, às meias, com o clube.

Num pronunciamento oficial o treinador, hispano brasileiro, foi apelidado de patriota.

Mas o assunto passou a ser sério. As críticas ao "meio-seleccionador " começaram a chover, só por isso mesmo.

À medida que dura o consulado de Bianchi o assunto endossa-se mais. Quer pelos resultados, bons para alguns e, nem por isso, para outros. O assunto fica também bicudo pelas travessuras do treinador, seja nas redes sociais, entrevistas ou ao serviço do Petro de Luanda.

Bianchi daqui e Bianchi dali. Surgiu uma corrente, com tendência a depreciar o trabalho do homem que sublinha com regularidade em seus comentários o facto de Bianchi não ter descoberto a roda em Angola e que, afinal a selecção nacional ou o Petro já fizeram resultados melhores e com técnicos angolanos.

E isto é feito de forma reiterada para reprovar comportamentos menos bons do treinador. Fica a ideia de que alguém nos está a impingir um seleccionador. Honestamente falando, não entendo porque associar feitos anteriores da selecção nacional ou de treinadores quando se quer repudiar actos do treinador ao serviço do clube. Sinto um cheiro à xenofobia quando certos sectores abordam o assunto Bianchi.

Dá a entender alguma avidez em aproveitar os males do treinador para passar recados à entidade que emprega o técnico. Se queremos abonar ou questionar a duplicidade de funções, não é Bianchi que nos vai resolver a questão. É apenas um funcionário. Tem patrões.

Tenhamos a frontalidade (Bianchi usaria outro termo, provavelmente na sua língua materna) para entregar as encomendas no lugar certo!
Silva Cacuti

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »