Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Febre do futebol est de volta

24 de Novembro, 2018
Ainda num ritmo brando, o Campeonato de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, regressa aos vários campos dos país depois do interregno verificado nos últimos dias devido ao engajamento da Selecção Nacional na corrida aos Camarões-2019.
É por demais sabido que pelo facto de muitas das equipas que evoluem nesta que é maior prova do futebol dentro das nossas fronteiras cederem jogadores aos Palancas Negras não haveria outro recurso senão o da interrupção do campeonato.
Também, claro está, que só com apoio de todos, de Cabinda ao Cunene e do Mar ao Lesta, era possível fazer aquele cordão de solidariedade aos nossos bravos rapazes, que com a vitória sobre o Burkina Faso viram reancender as esperanças para a grande cimeira de futebol continental que pela primeira vez acontece no mês de Junho.
E, embora não esteja ainda qualificada para o Campeonato Africano das Nações (CAN) dos Camarões, a vitória sobre os Cavalos burkinabes, domingo último, coloca a selecção de todos nós a três pontos da consolidação desse desiderato.
À passagem da quinta jornada do Grupo I, Angola só precisa de vencer na deslocação a Gaberone, Botswana, a congénere local e arrumar em definitivo a sua qualificação ao CAN-2019, o que acontecer será a oitava vez no seu historial.
Continhas feitas nesta série em que a Mauritânia aparece a fazer história com a qualificação inédita para uma Taça de África das Nações, Angola pode até empatar ou mesmo perder na deslocação a Gaberone e garantir a presença nos Camarões.
Mas para isso é importante que os “Mourabitounes” da Mauritânia ganhem ou empatem no jogo da derradeira jornada do grupo, em que se deslocam a Ouagadougou, reduto da selecção burkinabe. Os angolanos só precisam obter um resultado semelhante ao dos burkinabes na derradeira jornada. É importante lembrar, que Angola estreou-se em 1996 num CAN. Além da presença nesta edição organizada pela África do Sul, esteve ainda nas do Burkina Faso (1998), Egipto (2006), Ghana (2008), Angola (2010), Gabão e Guiné Equatorial (2012) e novamente na Pátria de Nelson Mandela (em 2013).
Noves fora a campanha que Angola vem encetando para a corrida aos Camarões, por cá a febre do futebol nos vários campos reatou quinta-feira com a disputada da terceira ronda do Girabola Zap, cujas olhares dos adeptos estiveram postos no Atlético Sport Aviação (ASA) - 1º de Agosto, o mais antigo dérbi do país, em que a vitória sorriu para os actuais campeões em título. E embora, a presente edição do campeonato regresse à sua primeira e com alguns casos à mistura, a sua disputa é feita num curso normal. Porém, acima de tudo está a febre do futebol que reata para a alegria dos prosélitos da modalidade rainha. Nesta semana que se apresta a passar para a história salta ainda à vista a suspensão de toda actividade pela Confederação Africana de Futebol (CAF) ao árbitro zambiano Janny Sikazwe, pela vergonhosa actuação que teve no jogo que ditou o afastamento do D\'Agosto, das meias-finais da Liga do Clubes Campeões do continente.
Uma informação veiculada na edição de terça-feira do jornal da Zâmbia Daily Mail da conta como causa do afastamento do juiz no jogo que opôs o embaixador angolano a equipa do Esperança de Tunis, na Tunísia, a “arbitragem tendencioso”, em claro prejuízo do conjunto do “rio seco”. Janny Sikazwe, que foi bem referenciado no Mundial deste ano na Rússia, ganho pela França, chefiou a equipa de arbitragem de que fez parte também o assistente angolano Jelson Emiliano dos Santos.
Para lá disso, o 1º de Agosto e Petro de Luanda, por sinal as duas equipas mais titulados da maior prova do futebol nacional, com doze e quinze troféus arrebatados, já conhecem os seus adversários da próxima época das Afrotaças.
Os militares defrontam o AS Otôho do vizinho Congo Brazzaville para a primeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos, ao passo que os tricolores medem forças na Taça CAF com o Opara United do Botswana. Os desafios da primeira “mão” estão agendados para os dias 27 e 28 deste mês, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, ao passo que nos da segunda quer o campeão em título angolano, quer o vice-campeão deslocam-se a Brazzaville e a Gaberone entre 4 e 5 de Dezembro. Contudo, tal como aconteceu no mais antigo dérbi do país, em que o D’Agosto pode aquilatar as suas reais para o primeiro confronto com o AS Otôho, o Petro terá aproveitado bem o jogo com a estreante equipa do Saurimo FC da Lunda Sul.
A equipa do “rio seco” que esteve muito perto de chegar a final inédita da “Champion League”, pode cruzar na segunda eliminatória com CNAPS FC do Madagáscar ou com o FC Platinium do Zimbabwe. Os petrolíferos, por seu turno, que na edição passada tiveram uma prestação abaixo de desejado, vão procurar ir o mais longe possível na prova que visa obtenção da Taça Nelson Mandela. Mas a anteceder os jogos das Afrotaças, temos neste sábado e domingo o complemento da terceira ronda do Girabola...
Sérgio V. Dias


Últimas Opinies

  • Hoje

    Sarav Alves Simes

    Dada a força que o futebol representa no universo desportivo, seguramente que depois do jogo de ontem, entre as selecções nacionais de Angola e da Gâmbia, pontuável para o apuramento ao CAN de 2021, o tema de eleição para a edição do Desporto no texto seria, sem margem para dúvidas, as incidências do referido jogo.

    Ler mais »

  • Hoje

    Cartas dos Leitores

    A avaliação que faço da nossa participação no Campeonato do Mundo Sub-17 é positiva, porque estivemos bem, apesar de não termos atingido outros níveis, como os quartos-de-final. Tivemos orgulho em representar o país.

    Ler mais »

  • Hoje

    Os semi-finalistas

    Hoje, depois de semanas de enorme refrega nas quadras , o campeonato do mundo de futebol de Sub-17 tem a honra de definir os finalistas, quando se disputarem os dois jogos correspondentes às meias-finais. Brasil-França e Holanda-México são as quatro selecções, que sobreviveram a um crivo em que outras 28 acabaram devolvidas a casa.

    Ler mais »

  • Hoje

    Derrota frustra adeptos

    O público correspondeu de forma positiva a chamada para estarem presente no Estádio 11 de Novembro. Nem a hora do jogo e muito menos a chuva que caiu em alguns bairros de Luanda inibiu a vontade de transmitirem o calor a sua selecção. Humilhados pelo resultado, mas consciente pelo dever cumprido os adeptos mereciam prenda melhor.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Em defesa do basquetebol

    A crise do basquetebol não pode ser varrida para o debaixo do tapete, como se de uma falta não assinalada numa partida se tratasse. É a maior crise que se assiste nos últimos vinte anos na modalidade.

    Ler mais »

Ver todas »