Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Fraca presena de pblico

22 de Abril, 2015
O público do futebol, em Luanda, continua a distanciar-se dos estádios. Salvo algumas excepções, é negativo que os recintos com capacidade para albergar quinze, vinte ou cinquenta e cinco mil espectadores, como é o caso do “11 de Novembro”, apresentem uma quantidade reduzida de espectadores. Esse facto, é igualmente visível em confrontos de carácter internacional, que envolvem tanto as selecções nacionais como as equipas que representam o país nas competições africanas. Já houve casos em alguns estádios nacionais, que as equipas estrangeiras contaram com mais adeptos do que as angolanas. Algumas causas concorrem para que isso aconteça. A fraca qualidade do futebol que a maioria das equipas nacionais ainda desenvolvem, os preços dos bilhetes de ingresso, por muitos considerados elevados, assim como as transmissões televisivas dos jogos de maior importância, são apontados como factores que concorrem para que isso aconteça, aos quais não devem estar dissociadas as difíceis condições de acesso e de acomodação aos espectadores que alguns estádios oferecem. Neste particular, referimo-nos a parques diminutos para o estacionamento de viaturas, desordem no acesso e saída de espectadores, bem como a inexistência de quartos de banho com as mínimas condições de uso e higiene, entre outros.

Em nossa opinião, no que diz respeito aos jogos das selecções nacionais, compete aos órgãos da Federação Angolana de Futebol (FAF) e aos do Girabola, Taça de Angola, Segundona e de outros escalões, aos clubes arranjarem fórmulas para que o cenário seja invertido.

Melhor acessibilidade dos espectadores aos estádios, na aquisição de bilhetes de ingresso, melhor estruturação do futebol nacional que passa pela melhoria das infra-estruturas e na elevação da qualidade dos quadros técnicos e administrativos, melhor programação nos clubes para todo o futebol.

Isso, principalmente, nos escalões de formação que devem começar nos infantis e não nos iniciados como acontece na maioria das agremiações desportivas, por forma a permitir que seja cumprido o círculo de formação, que vai de oito a dez anos, são alguns dos quesitos que devem ser levados em consideração. As campanhas de angariação de sócios, assim como o desenvolvimento mais profundo pelos clubes, e as políticas de marketing, também devem ser levados em linha de conta.

Não é justa, a medida por vezes tomada pela FAF, de não cobrar nenhuma quantia monetária para o ingresso ao estádio em alguns jogos em que os Palancas Negras são intervenientes. Ainda que o faça de forma simbólica, o cidadão deve pagar bilhete, para contribuir com responsabilidade e cidadania para com as selecções nacionais e clubes.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »