Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Futebol perdeu favoritos

29 de Junho, 2018
Continua a fazer enorme eco, aqui em Moscovo, e certamente em todo o mundo, a eliminação da Alemanha do Mundial. As notícias sobre a queda prematura do campeão em título, dominam as manchetes dos jornais editados na capital russa. Os cidadãos locais reagiram também, com grande espanto, ao fracasso da “poderosa” Mainnschaft.
Mas, o afastamento da Alemanha, ainda na fase de grupos, não é um acontecimento inédito na história de campeonatos do mundo, facto que nos permite afirmar, que o futebol vive um novo paradigma. A mais bela manifestação de toda a humanidade deixou de ter favoritos. Ou seja, jamais se poderá depositar todas as apostas num campeão do mundo, sob o risco de voltarmos a perder milhões. É verdade.
O facto é que a realidade tem ajudado a provar o quanto algumas selecções, tidas como principais candidatas aos troféus mais prestigiados do futebol, ficam ultrapassadas com o tempo. Porque não se renovam ou porque as outras equipas evoluíram. Pode ter sido o caso da Alemanha.
A verdade é que a história voltou a repetir-se. Já tinha sido

assim com a Espanha, em 2014, e a Itália, em 2010. Apenas o Brasil, em 2002, escapou a este descalabro.
Era impensável e estava, por isso, longe dos prognósticos a Alemanha ser afastada dos oitavos de final. Muito pelo contrário. Muitos dos adeptos alemãs e não só, presentes na Rússia, faziam fé de que a selecção campeã em título, estaria na final de 15 de Julho. A crença era de tal forma enorme, que muitos adeptos alemãs já têm consigo o bilhete da final do Mundial e viagem de regresso a casa, para apenas no dia 16 de Julho. Defraudaram-se as expectativas. Fracassaram as apostas. Instalou-se o descontentamento. Choveu lágrimas na Rússia e na Alemanha, muito por culpa da queda do “gigante” alemão. É o futebol. Cada vez mais imprevisível, mas ao mesmo tempo mais interessante.
Paulo Caculo| Moscovo

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »