Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Graves falhas que a FAF viu

07 de Novembro, 2017
1. O 1º de Agosto é de facto um justo campeão do Girabola Zap e isto não se discute, porque bateu na concorrência os rivais do costume. Acho é que as graves falhas verificadas no campeonato devem ser, só e apenas, imputadas à fraca fiscalização e actução da direcção da Federação Angolana de Futebol.
2. As falhas administratativas, informativas ou tecnológicas, não são de hoje. São recorrentes, de modo que se fizermos um “play back” pode-se concluir que são velhas e mesmas questões que hão de voltar a ser discutivas e aprovadas no 2º Congresso Nacional de Futebol, que vai acontecer em Luanda na próxima quinta e sexta-feiras, em Luanda.
3. Para o conclave foi noticiado, por exemplo, que vão ser abordados, a bem do nosso futebol, itens para o aperfeiçoamento competitivo e organizativo, temas ligados à forma de captação e gestão de talentos, clubes, selecções e campeonatos provinciais e nacionais, “marketing” e \"scouting\", contratos e transferências internacionais, da observação ao treino e, nisso, organização de departamentos afins\".
3. Eu pergunto: todos estes assuntos não foram jábordados e discutidos, em 2015, no 1º Congresso Nacional do Futebol? Das decisões, então tomadas, o que é que ajudou a melhorar, a ponto de hoje a FAF confrontar-se com esta badalada \"maka\" do \"Caso Cabibi\"?
4. Os clubes da primeira e da segunda divisões - ainda me recordo - tomaram decisões em conjunto, para, a partir da época de 2016, conferir qualidade às competições de vulto ao Girabola. Nada acontceu!
5. A \"tribo do futebol\" nacional, desde dirigentes, treinadores, jogadores, árbitros, sócios adeptos, e até jornalistas, nesta época de 2017 mais uma vez depararam-se com a mesma, se não desorganização, pelo menos, fragilidade da Federação Angolana de Futebol: não pôs as coias em ordem.
6 . Se, rigorozamente, a instituição liderada por Artur Almeida implementasse, como mandam as regras, o novo modelo de inscrição de jogadores, num sistema que foi orientado pela Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), denominado TMS/FIFA, permitiria mais segurança no registo e inscrição de jogadores neste camepoanto, ganho pelo 1º de Agosto. Evitava-se a adulteração de dados, como nomes, idades e nacionalidade.
7. Os clubes da 1ª divisão foram informados disso, num encontro com a FAF pelo que não podiam proceder de forma diferente, desde a abertura da época futebolística.
8.Na época de 2015, deixem-me recordar, a Federação Angolana de Futebol confrontou-se com o caso (detectado pelo seu Conselho de Disciplina ) do jogador Saki Ndaka Amisi, do Progresso do Sambizanga, que acabou suspenso por um período de dois anos, de toda actividade desportiva, por falsificação de documentos. Este ano aconteceu?
9. Então, por que nesta época de 2017 não se impediu - e vai aqui outro exemplo - a denúncia feita pelo suspenso director desportivo do Progresso da Lunda Sul, Floriano Quipossua, que até forneceu \"dicas\" a respeito?
10 . Acho que a Federação Angolana de Futebol não dá cavaco ao Ministério da Juventude e Desportos. Porque este órgão do Governo num outro dia, na Galeria dos Desportos, no meio de uma salva de palmas, anunciava que havia dinheiros públicos na Conferência Nacional do Futebol. O que resultou hoje dos temas \"Desenvolvimento do futebol: Pilares para construir o futuro\", \"Todos Pelo Futebol\"?
11. O meu resumo é que tudo visto e ponderado o 1º de Agosto é um justo campeão, ssim senhor. Mas a Federação Angolana de Futebol está a tardar o seu alinhamento à estratégia de um campeonato melhor desenvolvido, melhor organizado. Porquê? Porque dá a sensação de que não tem objectivos, programas e metas a atingir.
12. Outras perguntas, para terminar: então, com respeito às ideias do meu colega Carlos Calongo...estamos diante de uma \"jogada confusa\" em termos da pretensão de fazer crescer o futebol nacional, com um campeonato mais bem organizado? Não é, digamos, um \"auto -golo\" na baliza da federação, fazer tábua rasa às penalizações, à má gestão do campeonato de 2017 em todas as linhas? António Felix

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »