Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Hendrik & Jovic: dupla vencedora

09 de Novembro, 2017
O clube central das Forças Armadas, 1º de Agosto, tem a soberana oportunidade de fechar com chave de ouro a temporada futebolística de 2017, se no dia 11 de Novembro vencer a Taça de Angola depois de ter conquistado o seu décimo primeiro título nacional.
É interessante que em 39 anos de Girabola, seja a terceira vez que os militares do \"Rio Seco\" conseguem o bi-campeonato depois de o terem feito nas épocas 1991 e 1992 e em 1998 e 1999, sendo que a única vez que conseguiram um tri-campeonato foi de 1979 a 1981.
Os rubro negros já experimentaram dois momentos negros equivalentes a 20 anos de jejum de títulos. O primeiro foi de 1981 a 1991 e o segundo de 2006 a 2016. Nesta ultima década, o desnorte da direcção do clube militar até antes da entrada de Carlos Hendrik, foi tão grande que em cinco épocas teve um treinador diferente!
Queremos lembrar que até antes dos últimos dois títulos, o último treinador a ganhar um campeonato pelo 1º de Agosto, foi o Holandes, Yan Brawer, em 2006, depois de o clube ter ficado sete anos sem ganhar, isto de 1999 á 2006.
Com a conquista do nono título em 2006, a anterior direcção liderada por Raúl Hendrik decidiu recolocar o clube militar no seu devido lugar: no estatuto de colosso do futebol angolano. Entretanto na época seguinte, em 2007, Yan Brawer, tinha tudo para fazer o bis, quando a poucas jornadas do fim tinha cerca de 11 pontos de avanço sobre o Interclube, mas foi ultrapassado pelos polícias da capital, tendo ficado na segunda posição.
Aquele desastre, custou a demissão do categorizado técnico. A direcção do clube, queria refazer-se do choque a todo o custo ganhando os campeonatos seguintes. Assim, os dirigentes do 1º de Agosto, colocaram toda a “carne no assador”, como soe-se dizer, pondo à disposição da equipa técnica e dos jogadores todas as condições para o efeito.
A verdade porém é que os títulos não apareciam. Desesperados e com muita vontade de recuperar a mística a direcção dos militares sem se aperceber passou a ter uma atitude imediatista de 2007 a 2011 tendo contratado vários treinadores neste período a saber: Vitor Manuel, Vítor Bondarenko, Drulovic, Romeu Filémon e Daúto Faquirá!
Em 2011, Carlos Hendrik, foi eleito o oitavo presidente do clube militar, cargo que já foi ocupado por André Pitra Petrof ( 1977 a 79 ), Pedro de Castro Van-Dúnem ( Loy ) de 1977 a 1982, Henriques Teles Carreira (Iko Carreira) de 1982 a 88, Justino Fernandes ( 1988 a 1993 ), Melo Xavier ( 1993 a 99 ), Pedro Neto ( 1999 a 2007 ) e Raúl Hendrik de 2007 á 2011.
Pelo visto o novo presidente aprendeu muito dos erros da direcção anterior. A primeira coisa que fez foi apostar na paciência e melhorar o que de bom a anterior direcção havia feito como por exemplo a aposta na formação e um excelente investimento nas infra-estruturas.
Na qualidade de comandante da tripulação por assim dizer, o General Carlos Hendrik, foi inteligentemente, organizando activos para assalariar bem os seus jogadores e toda as forças vivas que usam o seu saber e força para que aquele grande clube funcione de forma exemplar como temos visto.
É verdade que uma boa fatia do orçamento do 1º de Agosto, vem dos descontos que os militares sofrem quer tenham ou não o clube no coração, o que é contestado por muitos, mas o mais importante é que não existe nenhuma ilegalidade nesta forma de agir e muito menos retira o mérito da direcção em idealizar estratégias para angariar contribuições financeiras para o clube.
A verdade nisto tudo é que o 1º de Agosto, é dos clubes, que melhor justifica o que recebe em termos de financiamentos a julgar por aquilo que é visível a todos como por exemplo o forte investimento nas infra-estruturas ali no quartel das comunicações e no Ex RI-20 onde foram construídos os seguintes activos:
Dois campos de futebol para treino das camadas jovens com relva sintética, um pavilhão de Basquetebol, um campo multiuso, um estádio de futebol com capacidade para cerca de 30 mil almas sentadas ( está em construção ), condições para formação de jogadores de futebol e outras modalidades no sistema de internato, salário condigno para os seus funcionários e assim por diante.
Assim com grande nível de organização em três anos, na qualidade de comandante da tripulação, Carlos Hendrick bem coadjuvado por Dragan Jovic, colheram os primeiros frutos do seu plantio montando uma equipa extremamente competitiva e vencedora.
É ponto assente que depois do jogo da final da taça de Angola marcada para o dia 11 de Novembro, a dupla vencedora CH & DJ, ficará desfeita por motivos de saúde do segundo. Por isso a grande questão que surge na mente da família agostina é: Quem sucederá Dragan Jovic?
Tem se dito que o futuro a Deus pertence. Seguindo esta verdade vamos esperar para ver quem ser o sucessor de Jovic. Agora que venha o dia 11 de Novembro para ver se Dragan Jovic, consegue a dobradinha.
Entretanto, em minha modesta opinião, não importa se Dragan Jovic, vença ou não a taça de Angola porque por tudo que os homem fez pelo 1º de Agosto e consequentemente pelo futebol angolano ele sai pela porta grande.
De resto a historia do nosso futebol vai registar que no período de 2014 á 2017 Carlos Hendrik e Dragon Jovic, fizeram uma dupla vencedora e conseguiram recolocar o grande 1º de Agosto na sua verdadeira posição: um colosso do futebol angolano . Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »