Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Jogo limpo, vitria justa!

04 de Novembro, 2019
Deixo toda a história do jogo de ontem ser contada, ponto por ponto, pelo repórter de serviço, mas devo recordar que, pelo lado do 1º de Agosto, houve, antes, um antigo craque do clube que, puxando a brasa à sua sardinha - falo de Vieira Dias - que disse o seguinte :
\"Será um jogo de muita tensão nos balneários, vivi isso de 1983 a 1993, ano em que terminei a carreira pelo 1º de Agosto. As duas equipas estão a viver um bom momento, apesar do Petro estar há 10 anos sem conquistar a competição, ao contrário do 1º de Agosto, que venceu os últimos quatro campeonatos\".
Este antigo craque falhou redondamente, porque viu, cabisbaixo, os golos de Dany, aos 42 minutos, e outro de Isack Mensá, aos 80\' a favor do Petro de Luanda.
Só não percebi, já no final, por que carga d´água malta do 1º de Agosto atacou os adeptos do Petro de Luanda
É que, se os clássicos nem sempre costumam seguir a lógica das coisas - como foi o D´Agosto a mandar - é bom sabermos que nem sempre o momento de forma é a coisa determinante de uma equipa. O mais importante, isso sim, é que as coisas, às vezes, se invertem e, então, o que ontem anotei é que o Petro de Luanda soube aproveitar o seu momento para marcar dois \"golaços\" - cada um com a sua história - e ganhar ao 1º de Agosto.
Eu acho que o treinador da equipa militar, Dragan Jovic, sabe dessa verdade imperiosa. Só tem, agora, de começar a pensar já no Libolo, no sentido de jogar para ganhar. E porquê ? Porque ontem nada se afigurou fácil como ele próprio e seus pares reconheceram antes e depois do jogo.
O Petro, diga-se, esteve mais motivado para a vitória e isso permitiu dar outro salto de cangurú na classificação. Está num lugar que já amedronta o 1º de Agosto!
Não sei o que se passou para a falta da galvanização habitual dos jogadores do 1º de Agosto, mesmo sabendo-se de antemão que a direcção do clube estabeleceu um aumento de prémio, uma forma de puxar o grupo para a disputa do jogo, rumo à defesa do título.
Foi um factor que não fez, obviamente, o Petro inibir-se. Este, vindo de jogos onde não encheu os olhos, ontem, já surpreendeu com futebol alegre. Há quem diga, até, que humilhou mesmo o 1º de Agosto, pois trabalhou para não voltar a cometer os erros vistos noutros jogos.
Valeu ao treinador do Petro de Luanda, António Cosano, considerar a equipa mais coesa e motivada, visando quebrar, como quebrou, o ciclo de três edições seguidas sem ganhar ao 1º de Agosto em jogos do Girabola.
O técnico brasileiro pode já afirmar que a sua equipa acertou e está a conseguir praticar o futebol que é peculiar ao Petro e, por assim dizer, este seu Petro e o 1º de Agosto - velhos rivais no nosso “association” - travaram ontem, um desafio que, mais uma vez, nesta segunda-feira, está a suscitar grandes conversas entre adeptos, dirigentes e sócios de parte a parte.
A grande satisfação para os tricolores está, sobretudo, no facto de, agora, verem encurtada a diferença classificativa sobre o 1º de Agosto.
Significa que, para continuar no primeiro lugar, deve o 1º de Agosto, agora, rezar para que não perca e nem o Petro de Luanda triunfar nos jogos que sobram pela frente, tarefas desde já árduas, diante dos adversários da agenda. De resto, valeu o jogo, valeu o estádio cheio. Abaixo a violência! António Félix

Últimas Opinies

  • 18 de Novembro, 2019

    Palancas: mais "frangos" e "promessas de bacalhau"

    Paulo Gonçalves ainda não limou as arestas que sobressaem entre os vários sectores dos Palancas Negras.

    Ler mais »

  • 18 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Não podemos agarrar-nos ao que já passou.

    Ler mais »

  • 18 de Novembro, 2019

    Imposio de limites

    Apesar do atletismo ser das modalidades mais representativas do nosso mosaico desportivo não é menos verdade que a sua acção se faz sentir com maior impacto quando se chega a esta fase do ano, em que se coloca em funções a máquina organizadora da tradicional corrida de fim de ano, São Silvestre.

    Ler mais »

  • 16 de Novembro, 2019

    Haja resilincia mas com seriedade

    A campanha dos Palancas Negras rumo ao Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2021, que Camarões irá organizar, pode ser de todo ofuscada, se acreditarmos que Angola, o nosso País, tem valor real e imensa qualidade em termos futebolísticos, mas sobretudo não tem o essencial: organização e seriedade.

    Ler mais »

  • 16 de Novembro, 2019

    Palancas devem ser destemidos no Gabo

    No seu retorno a mais uma campanha para atingir a elite do futebol continental, Angola joga amanhã frente à congénere do Gabão em Franceville, uma cartada importantíssima rumo aos Camarões-2021, depois do dissabor que experimentou diante da Gâmbia.

    Ler mais »

Ver todas »