Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Jogo que pode decidir o ttulo

07 de Setembro, 2017
O Girabola está prestes a chegar ao fim. Faltam sete jornadas para o fechar das cortinas. Em disputa estão ainda 21 pontos. Perante o número ínfimo de jornadas em falta, é lógico que os níveis de emoção e de stress atinjam valores muito elevados. Nada ainda está decidido.

Não só em relação ao título, como no tocante às equipas que descem de divisão. Contudo, pelo que se pode observar na tabela classificativa, a luta pelo título está reservada a duas equipas, o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, sem desprimor para outros candidatos, que matematicamente podem lá chegar.

Aliás, os clubes, cada um à sua medida, têm o direito de acreditar no melhor cenário possível, enquanto matematicamente for possível. Os que lutam para disputar, no próximo ano, a Segundona; os que lutam para melhorar a classificação e os que pretendem ser campeões.

Quem chegar no final das 30 jornadas, com o maior número de pontos, é o campeão, e quem não atingir os mínimos imprescindíveis, desce de divisão. Este, é o lema não só do Girabola, como de todos os campeonatos de futebol, e de outras modalidades colectivas a nível de todo o mundo.

A luta pelo título, como fica acima referido, e sem descurar os outros possíveis candidatos, está reservada ao 1º de Agosto e ao Petro de Luanda, que por ironia se vão defrontar no fim-de-semana. O maior clássico do futebol nacional, que pode decidir o título, disputa-se às 17 horas de domingo no Estádio 11 de Novembro.

Um jogo que vai centrar as atenções de todos os amantes do desporto - rei e não só, pela importância de que o mesmo se reveste.Creio mesmo, que a “visita” do Petro de Luanda ao 11 de Novembro, pode proporcionar às dezenas de milhares de adeptos que se deslocarem ao Estádio, uma tarde de reencontros e emoções sem par, em função da diferença pontual que as separam na tabela classificativa.

De época para época, somam-se os sucessos, subtraem-se os fracassos, equacionam-se as incidências, e analisam-se os objectivos concretizados e os não logrados. Para dizer que o que está a acontecer hoje entre as duas equipas, já aconteceu na temporada passada, com o 1º de Agosto a levar a melhor, já que foi quem levantar o caneco.

Não me parece, por isso, ser muito difícil perceber os benefícios da estabilidade: naturalmente, uma equipa com sucesso que transita de um ano para outro, arrisca-se seriamente a … continuar a ter sucesso. No fundo, é isso que o 1º de Agosto pretende, e o Petro quer contrariar.

Nas hostes do conjunto do rio seco, a frustração do empate com sabor a derrota, no passado domingo no Uíge diante do Santa Rita de Cássia está ultrapassada, e todo o grupo de trabalho sabe, que o caminho passa por melhorar, ou melhor, por vencer o seu principal concorrente ao título.

Existe a convicção, de que a ansiedade de querer jogar bem e ganhar, principalmente aos adversários menos capazes, está a retirar alguma calma à equipa, mas há confiança de que os resultados vão aparecer, para que os objectivos traçados pela direcção, equipa técnica, jogadores e adeptos sejam concretizados.

Uma tarefa musculada, diga-se, porque o Petro de Luanda, depois do título perdido de forma inglória na época passada para os militares, pretende dar a volta por cima e resgatar o que de época para época, tem perdido: a conquista da maior prova do futebol nacional.

As duas equipas têm uma defesa sólida e muito consistente. A comprovar tal facto, basta ver que são equipas que sofreram menos golos, ao longo da prova. Sem contar o jogo de ontem com o ASA, em atraso e referente a jornada 20ª, os petrolíferos sofreram 10 golos, os mesmos que o 1º de Agosto, em 23 jogos.

O quarteto defensivo das duas equipas, até ao momento, estão a dar conta do recado. E, é na defesa que os jogos se ganham, porque não sofrer golos, é meio caminho andado para se chegar às vitórias. No futebol actual, as defesas são cada vez mais competentes, e é cada vez mais difícil marcar muitos golos durante um jogo, salvo raras excepções. O que interessa mesmo, são as vitórias, nem que seja por margem mínima.

E, é isso que os avançados das duas equipas esperam fazer no domingo, porque a vitória é o único resultado que interessa, quer ao 1º de Agosto quer ao Petro de Luanda. Estas, são as razões mais do que suficientes para dizer que as atenções dos amantes do futebol vão estar centradas no domingo, no Estádio 11 de Novembro. Por via directa ou indirecta. Eu, não fugirei à regra.
POLICARPO DA ROSA

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »