Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Justificar a qualificao

03 de Outubro, 2019
A família do futebol angolano e do desporto em geral, viveram com muita emoção a qualificação dos nossos dois embaixadores, o 1º de Agosto e Petro de Luanda, respectivamente, para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, no passado fim de semana.
Há um pormenor digno de registo e que deve ser realçado na qualificação dos dois emblemas, porque serve de lição para o Mundo da Política. A forma como os adeptos ou seja a família do futebol reagiu a notícia, envolveu adeptos até de clubes adversários. Foi muito bonito ver adeptos do 1º de Agosto e de outros clubes, a festejarem efusivamente a qualificação do Petro na sexta-feira e no domingo último, o inverso também funcionou. Portanto, é caso para dizer que foi uma vitória abrangente e que todos os clubes do país se reviram nela.
Isto produz união, que é um dos grandes alicerces para o progresso ou desenvolvimento de qualquer actividade socialmente falando, pois é um forte indicativo, que os nossos representantes na competição poderão contar com o apoio de toda a família do futebol angolano e do desporto em geral. Assim sendo, a margem de sucesso, pelo facto de estarmos todos unidos para o mesmo objectivo, é maior.
É esta a lição que os políticos devem aprender desta grande vitória do nosso futebol: procurar consenso e união na resolução dos problemas da país. Aliás, o desporto tem dado mostras de ser um grande vector ou meio de promoção da paz e concórdia.
Voltando, a vaca fria, como dizia, o kota Nando Jordão, o facto de a qualificação dos tricolores e militares ter sido recebida com muita satisfação pelos angolanos amantes do desporto e do futebol, em particular, aumenta o grau de responsabilidade para os dois clubes, durante o período de competição nos referidos grupos.
Isto pressupõe dizer, que as mesmas pessoas, que se congratularam com o êxito de ambos emblemas, esperam que dos seis jogos que cada equipa fará no fase de grupos obtenham uma safra positiva, ou seja, que os dois clubes atinjam a fase do “mata-mata” e, posteriormente, façam o que nunca fizeram: chegar a final da competição, visto que já jogaram as meias-finais.
Portanto, os nossos representantes na Liga dos Campeões terão de justificar a sua qualificação para esta fase, que é sinónimo de que o nosso futebol está a progredir. Sim, terão de mostrar que não foi por distracção dos outros, que chegaram a fase de grupos mais por mérito próprio e que realmente o nosso futebol está a conhecer dias melhores.
Sim, em função da empatia conquistada diante do público angolano, para não dizer dos adeptos do futebol, obriga o Petro de Luanda e o 1º de Agosto, a corresponderem com boas exibições, o que vai implicar boa preparação.
Quando se fala em boa preparação, não nos referimos apenas ao lado físico e técnico dos jogadores. Há muito mais e tudo começa na organização. Significa dizer, que o sucesso de cada clube depende da forma como a sua direcção vai preparar a participação do seu clube na referida competição.
Um dos principais activos, para uma boa organização, é a capacidade ou seja a saúde financeira do clube. Com saúde financeira, pode-se fazer uma boa programação. Cabe a direcção de cada um dos clubes resolver este assunto. Depois, determinarem até onde pretendem chegar e de que maneira; com que jogadores podem contar para atingir o objectivo e assim por diante.
Por outro lado, tendo em atenção o facto de ambas equipas serem crónicas candidatas ao título do Girabola Zap, é imperioso definir claramente as prioridades. Sabemos, que para ambos, o título do campeonato nacional nunca será relegado a segundo plano, o que significa dizer que as equipas terão de estar preparadas para as duas empreitadas.
Resumindo, não basta aos clubes em referência terem conseguido o passe para a fase de grupos, só para irem passear ou fazer turismo, durante as três deslocações ao exterior do país. Obrigatoriamente, terão de fazer boa figura ao longo das seis jornadas.
É importante que ambas equipas estejam preparadas psicologicamente, para o que der e vier. Não nos esqueçamos, que é a primeira vez que o nosso país consegue colocar duas equipas de uma só vez na Liga dos Campeões e este ano, apenas cinco países o fizeram, o que torna o feito muito mais gigantesco, porque é um forte indicativo de que estamos a subir de qualidade e por isso temos de demonstrar ao Mundo, que a nossa qualificação não foi em vão. Queremos acreditar que as nossas duas equipas farão boa figura na Liga dos Campeões. O apoio do público já esta garantido. Naturalmente o sucesso de cada equipa dependerá do empenho da sua direcção, corpo técnico e jogadores. O mais importante é mostrar que a nossa qualificação foi merecida. Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »